Avell lança notebooks equipados com a 8ª geração de processadores Intel Core

A Avell, fabricante brasileira de notebooks de alto desempenho anunciou a atualização das linhas Gamer e Workstation com a chegada dos processadores da 8ª geração da Intel, a linha Coffee Lake. Além disso, é a primeira empresa a trazer ao Brasil os processadores da série H, que vão compor o…

via Hardware.com.br

Microsoft adia novo update do Windows 10 por bug de Tela Azul da Morte

A companhia de Redmond adiou por tempo indeterminado a chegada da atualização 1803, que tinha lançamento esperado para os dias 3 ou 10 de abril.


A Microsoft adiou o lançamento do próximo upgrade de recursos do Windows 10 por um período indeterminado, dizendo que, entre outras coisas, o código trazia um bug que podia afetar significativamente alguns computadores. 

“Em determinados casos, esses problemas de segurança (que descobrimos) podiam levar a uma maior porcentagem de BSOD nos PCs”, explica a diretora do programa de preview Windows Insider, Dona Sarkar, em um post no blog da companhia. A sigla BSOD em questão faz referência à temida Blue Screen of Death, ou Tela Azul da Morte.

Neste post, Sarkar anunciou o lançamento da Build 17134 para a chamada “fast track” do Windows Insider, dizendo que a Microsoft decidiu publicar uma nova build em vez de corrigir a anterior (Build 17133). A última build, que foi entregue pela Microsoft pela primeira vez em 27 de março, em um determinado momento teve agendada para 9 de abril a graduação para o que a Microsoft chama de Release Preview. A aparição deste Release Preview tem sido um sinal de que o código final está próximo.

Mas em um update de 5 de abril, Sarkar retirou a frase “Estamos mirando a disponibilidade geral do Release Preview na segunda-feira, 9/4”, indicando que o lançamento tinha sido adiado.

Há dois meses, a Computerworld dos EUA previu que, com base em quando a Microsoft enviasse o código base para gerar um preview para o upgrade do quarto trimestre, o upgrade do segundo trimestre começaria a chegar aos usuários em 3 ou 10 de abril

Outros atrasos

Nos últimos quatro upgrades de recursos – chamados de 1511, 1607, 1703 e 1709, no esquema de nomenclatura que indica o ano e o mês (aamm), a Microsoft só lançou a atualização no mês indicado uma única vez. (Isso aconteceu com a atualização 1511, que foi publicada em 10 de novembro de 2015.) Os outros três updates perderam os prazos dos seus meses indicados por dois dias (1607), cinco dias (1703) e 17 dias (1709). O próximo upgrade de recursos, também conhecido como 1803, irá então estabelecer o recorde negativo de atraso pelo número de dias que passou do mês identificado em seu nome.

Para os clients mais importantes da Microsoft – as empresas – o timing exato do lançamento d update 1803 não é tão importante assim, uma vez que eles só costumam implementar uma atualização de recursos meses após o lançamento. Na verdade, a Microsoft costuma aguardar entre três e quatro meses antes de anunciar que o upgrade atual foi testado suficientemente (pelos usuários finais, em grande parte) e provou que pode ser instalado de forma bem-sucedida em uma variedade de sistemas, e, por isso, está liberado para uso corporativo.

Por que isso importa

Mas quanto maior o adiamento, menor será o tempo que o update 1803 será mantido pela Microsoft. E isso pode atrapalhar as empresas. 

Apesar de a Microsoft agir de maneira mais tranquila quanto à conexão entre as datas de lançamento e os nomes dos upgrades (com as datas), a gigante não faz o mesmo com os prazos correspondentes de fim de suporte. Esses prazos foram rigorosamente definidos como a segunda terça-feira do mês após 18 meses para o Windows 10 Home e Windows 10 Pro, e 24 meses depois para o Windows 10 Enterprise e Windows Education.

A tabela de ciclos de vida do Windows deixa tudo isso claro. O Windows 10 1709, por exemplo, que foi lançado em 17 de outubro de 2017, deixará de receber suporte em 9 de abril de 2019 (para o Windows Home e Pro) e em 8 de outubro de 2019 (para o Windows Enterprise e Education).

Desta forma, se o Windows 1803 for lançado daqui a três semanas, em 9 de maio, os usuários do Windows 10 Home e Pro terão apenas 17 meses de suporte, enquanto que os usuários do Windows 10 Enterprise e Education ficarão com somente 23 meses de suporte. 

A não ser que a Microsoft mude as suas práticas e configure os prazos de suporte de forma correspondente com o lançamento real e não com a data do título do update, os usuários estarão sujeitos a perderem tempo de suporte por conta desses possíveis atrasos.

via IDG Now!

Motorola revela oficialmente a família Moto G6, G6 Play e G6 Plus no Brasil

Demorou, mas eles chegaram. A Motorola, marca pertencente ao conglomerado chinês Lenovo, anunciou nesta quinta-feira (19) os novos smartphones da família Moto G, agora na sexta geração. Os aparelhos são o Moto G6, Moto G6 Plus e Moto G6 Play, apresentados em um evento em São Paulo que contou com presença do TecMundo. Os detalhes dos aparelhos, entretanto, vazaram minutos antes no próprio site oficial.

Os dispositivos cobrem todas as faixas de consumo da linha intermediária: o Moto G6 Play é o modelo mais básico da família, com uma única câmera traseira e sensor biométrico nas costas do aparelho, abaixo da lente. Já o Moto G6 tem duas câmeras traseiras com um pequeno relevo que lembra o de modelos como o Moto X4 e a biometria abaixo do display, na parte frontal. Essa evolução no design é compartilhada pelo Moto G6 Plus, que traz uma tela um pouco maior e outras diferenças no hardware.

Tapa no visual

Assim como na mudança de geração do ano passado, a fabricante resolveu aplicar um tratamento mais “Premium” no visual dos aparelhos. Os três apresentam um design 3D que encaixa perfeitamente em suas mãos, além de entrada para dois chips SIM e carregamento Turbo Power, que traz horas de uso depois de alguns minutos na tomada.

Dois smartphones.

A nova tecnologia de tela se chama Max Vision e traz o aspecto 18:9 para seguir a tendência de mercado e garantir que você aproveite ao máximo o conteúdo em exibição, tendo o maior espaço possível da tela ao seu dispor. As bordas, entretanto, não são as chamadas “infinitas”.

Especificações técnicas

Moto G6

  • Sistema operacional: Android 8.0 (Oreo)
  • Tela:  5,7″ Full HD+ (2160×1080 pixels)
  • Processador:  Qualcomm Snapdragon 450 octa-core de 1,8 GHz
  • RAM: 3 GB
  • Armazenamento interno: 32 GB (suporta microSD de até 128 GB)
  • Câmera traseira: dupla de 12 MP + 5 MP (aberturas f/1.8+ f/2.2)
  • Câmera frontal: 8 MP (abertura f/2.2)
  • Bateria: 3.000 mAh
  • Dimensões: 153,7 x 72,3 x 8,3 mm

Moto G6 Plus

  • Sistema operacional: Android 8.0 (Oreo)
  • Tela: 5,9″ Full HD+ (2160×1080 pixels)
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 630 octa-core de 2,2 GHz
  • RAM: 4 GB
  • Armazenamento interno: 64 GB (suporta microSD de até 128 GB)
  • Câmera traseira: dupla de 12 MP + 5 MP (aberturas f/1.8+ f/2.2)
  • Câmera frontal: 8 MP (abertura f/2.2)
  • Bateria: 3.200 mAh
  • Dimensões: 163,7 x 94,5 x 48,1 mm

Moto G6 Play

  • Sistema operacional: Android 8.0 (Oreo)
  • Tela: 5,7″ HD+ (1440×720 pixels)
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 430 octa-core de 1,4 GHz
  • RAM: 3 GB
  • Armazenamento interno: 32 GB (suporta microSD de até 128 GB)
  • Câmera traseira: 13 MP (1080p com flash LED)
  • Câmera frontal: 8 MP (com flash)
  • Bateria: 4.000 mAh
  • Dimensões: 154,4 x 72,2 x 8,95 mm
  • Peso: 173 g

Novidades da geração

Praticamente todos os detalhes a respeito dos dispositivos já haviam vazado em fotos e informações, já que a linha já estava pronta desde antes da MWC 2018. Mesmo assim, a Motorola reservou algumas surpresas para os lançamentos.

O Moto G6 Plus vem com TV digital em HD e é o único da família com esse recurso.

Os três modelos trazem carregamento TurboPower e uma câmera de selfies que garante retratos de alta qualidade mesmo em baixa luminosidade. O Moto G6 Plus ainda tem um recurso que reconhece pontos turísticos e objetos quando você enquadra eles no aplicativo, trazendo informações sobre eles em questão de segundos.

Disponibilidade

O Moto G6 Play estará disponível nas versões Indigo e Ouro. O Moto G6 será vendido nas cores Indigo e Prata. Já o Moto G6 Plus sai em Indigo e Topázio.

Esta notícia está em atualização e vai receber mais informações em breve. Aguarde!

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

Motorola revela oficialmente a família Moto G6, G6 Play e G6 Plus no Brasil

Demorou, mas eles chegaram. A Motorola, marca pertencente ao conglomerado chinês Lenovo, anunciou nesta quinta-feira (19) os novos smartphones da família Moto G, agora na sexta geração. Os aparelhos são o Moto G6, Moto G6 Plus e Moto G6 Play, apresentados em um evento em São Paulo que contou com presença do TecMundo. Os detalhes dos aparelhos, entretanto, vazaram minutos antes no próprio site oficial.

Os dispositivos cobrem todas as faixas de consumo da linha intermediária: o Moto G6 Play é o modelo mais básico da família, com uma única câmera traseira e sensor biométrico nas costas do aparelho, abaixo da lente. Já o Moto G6 tem duas câmeras traseiras com um pequeno relevo que lembra o de modelos como o Moto X4 e a biometria abaixo do display, na parte frontal. Essa evolução no design é compartilhada pelo Moto G6 Plus, que traz uma tela um pouco maior e outras diferenças no hardware.

Tapa no visual

Assim como na mudança de geração do ano passado, a fabricante resolveu aplicar um tratamento mais “Premium” no visual dos aparelhos. Os três apresentam um design 3D que encaixa perfeitamente em suas mãos, além de entrada para dois chips SIM e carregamento Turbo Power, que traz horas de uso depois de alguns minutos na tomada.

Dois smartphones.

A nova tecnologia de tela se chama Max Vision e traz o aspecto 18:9 para seguir a tendência de mercado e garantir que você aproveite ao máximo o conteúdo em exibição, tendo o maior espaço possível da tela ao seu dispor. As bordas, entretanto, não são as chamadas “infinitas”.

Especificações técnicas

Moto G6

  • Sistema operacional: Android 8.0 (Oreo)
  • Tela:  5,7″ Full HD+ (2160×1080 pixels)
  • Processador:  Qualcomm Snapdragon 450 octa-core de 1,8 GHz
  • RAM: 3 GB
  • Armazenamento interno: 32 GB (suporta microSD de até 128 GB)
  • Câmera traseira: dupla de 12 MP + 5 MP (aberturas f/1.8+ f/2.2)
  • Câmera frontal: 8 MP (abertura f/2.2)
  • Bateria: 3.000 mAh
  • Dimensões: 153,7 x 72,3 x 8,3 mm

Moto G6 Plus

  • Sistema operacional: Android 8.0 (Oreo)
  • Tela: 5,9″ Full HD+ (2160×1080 pixels)
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 630 octa-core de 2,2 GHz
  • RAM: 4 GB
  • Armazenamento interno: 64 GB (suporta microSD de até 128 GB)
  • Câmera traseira: dupla de 12 MP + 5 MP (aberturas f/1.8+ f/2.2)
  • Câmera frontal: 8 MP (abertura f/2.2)
  • Bateria: 3.200 mAh
  • Dimensões: 163,7 x 94,5 x 48,1 mm

Moto G6 Play

  • Sistema operacional: Android 8.0 (Oreo)
  • Tela: 5,7″ HD+ (1440×720 pixels)
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 430 octa-core de 1,4 GHz
  • RAM: 3 GB
  • Armazenamento interno: 32 GB (suporta microSD de até 128 GB)
  • Câmera traseira: 13 MP (1080p com flash LED)
  • Câmera frontal: 8 MP (com flash)
  • Bateria: 4.000 mAh
  • Dimensões: 154,4 x 72,2 x 8,95 mm
  • Peso: 173 g

Novidades da geração

Praticamente todos os detalhes a respeito dos dispositivos já haviam vazado em fotos e informações, já que a linha já estava pronta desde antes da MWC 2018. Mesmo assim, a Motorola reservou algumas surpresas para os lançamentos.

O Moto G6 Plus vem com TV digital em HD e é o único da família com esse recurso.

Os três modelos trazem carregamento TurboPower e uma câmera de selfies que garante retratos de alta qualidade mesmo em baixa luminosidade. O Moto G6 Plus ainda tem um recurso que reconhece pontos turísticos e objetos quando você enquadra eles no aplicativo, trazendo informações sobre eles em questão de segundos.

Disponibilidade

O Moto G6 Play estará disponível nas versões Indigo e Ouro. O Moto G6 será vendido nas cores Indigo e Prata. Já o Moto G6 Plus sai em Indigo e Topázio.

Esta notícia está em atualização e vai receber mais informações em breve. Aguarde!

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

Sistema de login pelo Facebook tem falha que expõe dados dos usuários

Uma nova falha de segurança envolvendo o sistema de logins pelo Facebook está tirando o sono dos engenheiros da empresa nesta semana. De acordo com um relatório publicado pela Freedom to Tinker, centenas de sites estão usando rastreadores programados em JavaScript para interceptar dados como nomes completos, e-mails, gênero, localização e foto do perfil de usuários que optam por usar o sistema de credenciais da rede social.

O problema, segundo as informações, não está no sistema de login do Facebook em si, mas sim na exploração dessa tecnologia por terceiros. Segundo a Freedom to Tinker, um centro de pesquisas sobre tecnologia ligado à Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, esse tipo de abuso do sistema foi encontrado em, pelo menos, 434 sites.

A localização da falha se une a um segundo problema: o rastreamento de usuários mesmo fora do Facebook e sem que eles utilizem o sistema de logins da companhia em todas as páginas. Um dos principais serviços a utilizarem essa prática é o Bands In Town, site que notifica usuários sobre shows que estão sendo realizados nas cidades. Por meio de uma solução para publicidade chamada Amplified, a plataforma é capaz de acompanhar seus utilizadores mesmo fora de seus próprios domínios.

Mais uma vez, o principal ponto aqui seria a obtenção de dados. De forma a exibir o melhor tipo de propaganda possível, o script compartilharia as informações pessoais dos usuários com sites aos quais ele não autorizou esse tipo de coleta, o que poderia incluir, até mesmo, domínios maliciosos. Antes mesmo da publicação do relatório, porém, o Bands In Town disse ter resolvido a questão, chamada de “falha” pelo serviço.

Os motivos por trás da inserção de JavaScript no sistema de login no Facebook seria semelhante. Com a obtenção de informações, serviços de publicidade poderiam oferecer propagandas melhores aos usuários mesmo naqueles serviços em que as credenciais da rede social não foram usadas, inclusive em páginas onde a identificação nem mesmo é necessária.

Ainda em comunicado, o Bands In Town disse não autorizar que seus parceiros ou utilizadores de sistemas de identificação de usuários compartilhem os dados das pessoas com terceiros. Por isso, a ação apropriada foi tomada para acabar com o problema e evitar que ele aconteça novamente.

Outro apontado como “participante” desse tipo de exploração é o MongoDB, um sistema de banco de dados voltado ao desenvolvimento de projetos em código aberto. Em comunicado, a empresa disse não saber que terceiros estavam usando scripts para coletar dados do Facebook e informou que a fonte desse tipo de abuso já foi identificada, com seu funcionamento bloqueado.

Na visão da Freedom to Tinker, uma auditoria sobre a utilização de APIs teria sido suficiente para que o Facebook descobrisse esse tipo de utilização irregular dos dados de seus usuários. O processo de análise mais profunda está sendo realizado, sim, mas somente agora que o escândalo da Cambridge Analytica foi detonado e todos os olhos se voltaram à obtenção indevida de informações de perfis por terceiros.

Apesar disso, não foi possível identificar exatamente o uso que tais veículos fizeram dos dados obtidos, além, claro, do rastreamento para fins de publicidade em si. As informações não são necessariamente sensíveis e não contam com credenciais de acesso ou registros pessoais confidenciais, mas, ainda assim, o que temos é mais um relato de quebra na privacidade, com os cidadãos descobrindo que, muitas vezes, não estão seguros nem mesmo quando fora do ambiente do Facebook.

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

WhatsApp adiciona função de remoção de administradores em grupos

O WhatsApp foi atualizado nesta quinta-feira (19) e disponibilizou para todos os usuários que adiciona a função de retirar as permissões de administradores em grupos. A novidade já está disponível para Android, iOS e a versão web do app.

Com essa implementação, agora os administradores de grupos não precisam mais remover usuários e convidá-los novamente para os chats em conjunto. A função pode ser acessada tocando e pressionando sobre o nome do usuário na lista de membros do grupo. Depois, basta escolher a opção “dispensar como administrador” (dismiss as admin).

(Captura de tela: Gadgets360)

Ela disso, a versão Beta do WhatsApp recebeu um novo recurso de “notificações de alta prioridade”. Ela funciona de forma semelhante à função de fixar conversas no topo da lista de mensagens, com a diferença de que toda conversa sinalizada como importante irá gerar uma notificação por push no aparelho, garantindo que o usuário visualize qualquer atualização no chat. A funcionalidade pode ser ativada tanto para conversas particulares quanto para sessões em grupo.

Como as notificações de alta prioridade estão disponíveis apenas na versão de testes, ainda não se sabe quando elas serão lançadas na versão estável do aplicativo.

Fonte: Gadgets360

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

WhatsApp adiciona função de remoção de administradores em grupos

O WhatsApp foi atualizado nesta quinta-feira (19) e disponibilizou para todos os usuários que adiciona a função de retirar as permissões de administradores em grupos. A novidade já está disponível para Android, iOS e a versão web do app.

Com essa implementação, agora os administradores de grupos não precisam mais remover usuários e convidá-los novamente para os chats em conjunto. A função pode ser acessada tocando e pressionando sobre o nome do usuário na lista de membros do grupo. Depois, basta escolher a opção "dispensar como administrador" (dismiss as admin).

(Captura de tela: Gadgets360)

Ela disso, a versão Beta do WhatsApp recebeu um novo recurso de "notificações de alta prioridade". Ela funciona de forma semelhante à função de fixar conversas no topo da lista de mensagens, com a diferença de que toda conversa sinalizada como importante irá gerar uma notificação por push no aparelho, garantindo que o usuário visualize qualquer atualização no chat. A funcionalidade pode ser ativada tanto para conversas particulares quanto para sessões em grupo.

Como as notificações de alta prioridade estão disponíveis apenas na versão de testes, ainda não se sabe quando elas serão lançadas na versão estável do aplicativo.

via Canaltech

YouTube tenta resolver problema de vídeos impedidos de ganhar dinheiro

Alguns criadores de conteúdo acham que o YouTube está sendo injusto ao definir os vídeos que podem ou não ganhar dinheiro com anúncios. Recentemente, uma atiradora invadiu a sede da empresa após alguns de seus vídeos passarem por desmonetização.

Nesse sentido, o YouTube está realizando testes com alguns criadores para mudar o processo de publicação. A plataforma quer que os usuários informem por conta própria se seus vídeos podem estar descumprindo as regras.

A ideia é evitar que os criadores percam o dinheiro dos anúncios por conta de equívocos dos moderadores da plataforma.

Youtube - logotipos

O piloto envolve algumas perguntas para os donos de canais antes que eles publiquem um vídeo que terá monetização. As questões procuram esclarecer se o vídeo exibe conteúdo sexual, violência, armas de fogo ou drogas, por exemplo.

Os criadores também precisam informar se o conteúdo tem alguma relação com terrorismo ou com questões recentes envolvendo guerras, mortes ou tragédias (uma amostra do questionário pode ser vista na descrição desse vídeo).

Por meio do canal Creator Insider, que apresenta projetos do YouTube em andamento, a plataforma disse que, nos testes, a maioria das respostas estavam de acordo com suas diretrizes. Em breve, as perguntas deverão ser levadas para mais canais.

De acordo com a CEO do YouTube, Susan Wojcicki, o objetivo é fortalecer a comunidade. “Sabemos que o último ano não foi fácil para muitos de vocês. Mas estamos comprometidos em ouvir e usar seu feedback para ajudar o YouTube a prosperar”, disse Susan no blog da empresa.

A executiva também destacou que o algoritmo e os moderadores do YouTube continuarão tendo um papel importante na revisão dos conteúdos publicados no site. Afinal, muitos donos de canais poderiam usar a ferramenta para enviar informações erradas e continuar recebendo dinheiro com anúncios.

Com informações: YouTube, Engadget, The Verge.

YouTube tenta resolver problema de vídeos impedidos de ganhar dinheiro

via Tecnoblog

Veja ao vivo o lançamento dos novos Moto G6, Moto G6 Play e Moto G6 Plus

A Motorola lança nesta quinta-feira (19) os novos Moto G6, Moto G6 Play e Moto G6 Plus. O TecMundo está conferindo tudo ao vivo direto de São Paulo, mas você pode acompanhar a transmissão na íntegra direto do canal da Motorola no YouTube.

E aí, você está empolgado para a chegada dos novos intermediários?

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

Veja ao vivo o lançamento dos novos Moto G6, Moto G6 Play e Moto G6 Plus

A Motorola lança nesta quinta-feira (19) os novos Moto G6, Moto G6 Play e Moto G6 Plus. O TecMundo está conferindo tudo ao vivo direto de São Paulo, mas você pode acompanhar a transmissão na íntegra direto do canal da Motorola no YouTube.

E aí, você está empolgado para a chegada dos novos intermediários?

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

%d blogueiros gostam disto: