Apple se recusa a consertar iMac Pro por “não ter peças de reposição”

Um vídeo publicado pelo youtuber Linus Tech Tips na última terça-feira (17) em seu canal tem gerado uma grande polêmica na comunidade de usuários de computadores da Apple. Linus, que tem um canal no YouTube famoso por fazer análises detalhadas em computadores, smartphones e outros produtos, danificou um iMac Pro durante a gravação de seu vídeo sobre o aparelho. Depois do ocorrido, o youtuber levou o computador para uma loja oficial da Apple fazer o reparo. Dois meses depois, ele recebeu um email dizendo que a empresa não poderia consertar o dispositivo.

Ele estava ciente de que precisaria pagar pelo serviço

É importante ressaltar que a Linus não estava pedindo para a Apple consertar o computador gratuitamente, dentro da garantia legal. Ele estava ciente de que precisaria pagar pelo serviço e, segundo diz em seu vídeo denunciando o comportamento da Maçã, deixa claro que pagaria o que fosse necessário.

A justificativa da Apple para se recusar a consertar o computador seria a falta de peças para reposição. Em seus termos de uso, a Apple deixa bem claro que poderá se recusar a consertar aparelhos que não possuam mais peças de reposição sendo fabricadas. Contudo, o iMac Pro foi lançado no final do ano passado. Ele não tem sequer um ano de mercado, e a fabricante já está dizendo que não possui peças tão essenciais quanto o display, placa-mãe e fonte de energia para substituição.

Linus diz que questionou a posição da Apple, e a empresa o orientou a procurar uma assistência técnica autorizada, onde ele talvez encontraria uma possibilidade de reparar o dispositivo. Linus foi a uma dessas assistências, mas o técnico afirmou que a empresa ainda não havia promovido cursos de reparação do iMac Pro e, por isso, ele não faria o reparo.

De acordo com o TechRadar, entretanto, a Apple fornece sim esse curso, mas somente à distância. Os técnicos autorizados podem assistir às aulas e ganhar certificação para fazer os reparos. Contudo, se uma loja própria da Apple não conseguiu receber peças para conserto, qual seria a chance de uma autorizada conseguir? É o que questiona Linus.

Outra possibilidade para a recusa

A Apple não comentou o caso oficialmente, mas pode ser que a empresa tenha se recusado a consertar o aparelho pelo fato de ele ter sido aberto por uma pessoa não certificada pela empresa, com o intuito de modificar a máquina. A Apple alega que pode se recusar a consertar dispositivos que sofreram “intrusão” de pessoas não habilitadas, mas isso apenas para reparos dentro da garantia.

O iMac Pro de Linus foi danificado durante a gravação da análise do aparelho que o youtuber fez há cerca de dois meses. Ao remontar o dispositivo, o técnico que o ajudava derrubou e quebrou o display. A placa-mãe e a fonte do computador também foram danificadas no acidente.

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

Ataque hacker derruba site e faz graça com o Corinthians

‘Time com 2 mundiais e 1 libertadores merece ser invadido’, disse o hacker

O site oficial do Sport Club Corinthians Paulista sofreu um suposto ataque hacker na tarde desta quinta-feira (19). Em um deface realizado no domínio principal, um grupo hacker chamado Protowave assumiu a autoria do ataque.

"Sport Club Corinthians Paulista, você acaba de cair na hackeada da Protowave", escreveu o hacker Aj4x durante a invasão do site. "Time com 2 mundiais e 1 libertadores merece ser invadido. Salve a todos os santistas [Sic]". 

Leia mais…

via Novidades do TecMundo

LCD, IPS, OLED, AMOLED: Quais são os tipos de telas utilizadas nos smartphones?

Quais são os critérios que você usa na hora de escolher um smartphone? Provavelmente, na avaliação você leva em consideração a marca, as especificações, qualidade da câmera, duração da bateria, preço e opiniões sobre o modelo. Porém, você já pensou em colocar entre os critérios o tipo de display do celular?

Basicamente, há cinco tipos diferentes de telas para smartphones: LCD, IPS, OLED, AMOLED e Super AMOLED. Com características próprias, cada uma delas influencia na experiência e na usabilidade do dispositivo.

Para você entender a diferença entre elas, o Canaltech vai explicar suas peculiaridades e suas vantagens. Confira:

LCD

Para quem não sabe, LCD significa “Liquid Cristal Display”, ou “Tela de Cristal Líquido” em português. As telas de LCD são compostas por cristais líquidos transparentes, que, quando submetidos a correntes elétricas, sofrem uma alteração molecular. Nesse processo, os cristais, anteriormente transparentes, ficam opacos, fazendo com que a passagem de luz da placa “backlight” (que se mantém acesa) seja barrada.

Apesar de muito utilizadas em smartphones, as telas LCD são as menos econômicas. Como a camada backlight fica acesa constantemente, há grande consumo de energia, o que é pouco interessante para quem precisa de um smartphone com grande duração de bateria.

IPS

Os displays IPS, “In-Plane Switching”, ou “Comutação Plana” na tradução, são, basicamente, uma variação das telas LCD. A grande diferença entre ambas é a proximidade das moléculas de cristal líquido, que nas telas IPS ficam perto da superfície da display. Isso acontece porque, enquanto no LCD as moléculas ficam desorganizadas, na tecnologia IPS os cristais se agrupam, resultando em melhor qualidade de imagem.

OLED

Evoluídas do LED, as telas OLED (“Organic Light-Emitting Diode”, ou “Diodo Emissor de Luz Orgânica”) utilizam em sua composição diodos emissores, e não cristais líquidos. Por isso, os displays OLED dispensam a camada backlight, já que os diodos são responsáveis pela emissão de sua própria luz. A consequência é o menor consumo de energia e a estrutura mais fina do aparelho.

AMOLED

Ideal para quem gosta de assistir vídeos e jogar no smartphone, as telas AMOLED (“Active-Matrix Organic Light-Emitting Diode”, ou “Matriz Ativa de Diodo Orgânico Emissor de Luz”, em português) podem ser uma excelente escolha. Derivadas do OLED, essas telas são compostas em quatro camadas: ânodo, orgânica, cátodo e circuitos, capazes de melhorar a responsividade dos comandos e, consequentemente, tornando as imagens mais fluidas.

Super AMOLED

Criadas pela Samsung, as telas Super AMOLED são a atualização da tecnologia AMOLED. Com a inclusão de uma camada sensível ao toque, os smartphones com displays Super AMOLED dispensam a camada de vidro do aparelho. O resultado disso é melhor definição, maior fluidez, menor consumo de energia e estrutura mais leve para o dispositivo.

Novidade: MicroLED

Apesar de o foco das fabricantes estar nos painéis OLED e AMOLED, há uma tecnologia ainda mais recente. A promessa para o futuro é o MicroLED, que, apesar de ser composto por diodos emissores de luz, difere do OLED em um detalhe importante. Enquanto o OLED tem como base materiais orgânicos, o MicroLED é baseado em materiais inorgânicos. Isso significa que os dispositivos podem ficar ainda mais finos, já que o MicroLED dispensa camadas de polarizadores e encapsulamento. Outra vantagem é que o MicroLED demanda menos energia, reduzindo o consumo em 50% quando comparado ao OLED. 

Vale lembrar que cada tipo de tela impacta diretamente no uso dos smartphones, mas também no preço. Antes de fazer a sua escolha, verifique o custo-benefício do aparelho e se certifique de que o modelo atende às suas necessidades.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

LCD, IPS, OLED, AMOLED: Quais são os tipos de telas utilizadas nos smartphones?

Quais são os critérios que você usa na hora de escolher um smartphone? Provavelmente, na avaliação você leva em consideração a marca, as especificações, qualidade da câmera, duração da bateria, preço e opiniões sobre o modelo. Porém, você já pensou em colocar entre os critérios o tipo de display do celular?

Basicamente, há cinco tipos diferentes de telas para smartphones: LCD, IPS, OLED, AMOLED e Super AMOLED. Com características próprias, cada uma delas influencia na experiência e na usabilidade do dispositivo.

Para você entender a diferença entre elas, o Canaltech vai explicar suas peculiaridades e suas vantagens. Confira:

LCD

Para quem não sabe, LCD significa “Liquid Cristal Display”, ou “Tela de Cristal Líquido” em português. As telas de LCD são compostas por cristais líquidos transparentes, que, quando submetidos a correntes elétricas, sofrem uma alteração molecular. Nesse processo, os cristais, anteriormente transparentes, ficam opacos, fazendo com que a passagem de luz da placa “backlight” (que se mantém acesa) seja barrada.

Apesar de muito utilizadas em smartphones, as telas LCD são as menos econômicas. Como a camada backlight fica acesa constantemente, há grande consumo de energia, o que é pouco interessante para quem precisa de um smartphone com grande duração de bateria.

IPS

Os displays IPS, “In-Plane Switching”, ou “Comutação Plana” na tradução, são, basicamente, uma variação das telas LCD. A grande diferença entre ambas é a proximidade das moléculas de cristal líquido, que nas telas IPS ficam perto da superfície da display. Isso acontece porque, enquanto no LCD as moléculas ficam desorganizadas, na tecnologia IPS os cristais se agrupam, resultando em melhor qualidade de imagem.

OLED

Evoluídas do LED, as telas OLED (“Organic Light-Emitting Diode”, ou “Diodo Emissor de Luz Orgânica”) utilizam em sua composição diodos emissores, e não cristais líquidos. Por isso, os displays OLED dispensam a camada backlight, já que os diodos são responsáveis pela emissão de sua própria luz. A consequência é o menor consumo de energia e a estrutura mais fina do aparelho.

AMOLED

Ideal para quem gosta de assistir vídeos e jogar no smartphone, as telas AMOLED (“Active-Matrix Organic Light-Emitting Diode”, ou “Matriz Ativa de Diodo Orgânico Emissor de Luz”, em português) podem ser uma excelente escolha. Derivadas do OLED, essas telas são compostas em quatro camadas: ânodo, orgânica, cátodo e circuitos, capazes de melhorar a responsividade dos comandos e, consequentemente, tornando as imagens mais fluidas.

Super AMOLED

Criadas pela Samsung, as telas Super AMOLED são a atualização da tecnologia AMOLED. Com a inclusão de uma camada sensível ao toque, os smartphones com displays Super AMOLED dispensam a camada de vidro do aparelho. O resultado disso é melhor definição, maior fluidez, menor consumo de energia e estrutura mais leve para o dispositivo.

Novidade: MicroLED

Apesar de o foco das fabricantes estar nos painéis OLED e AMOLED, há uma tecnologia ainda mais recente. A promessa para o futuro é o MicroLED, que, apesar de ser composto por diodos emissores de luz, difere do OLED em um detalhe importante. Enquanto o OLED tem como base materiais orgânicos, o MicroLED é baseado em materiais inorgânicos. Isso significa que os dispositivos podem ficar ainda mais finos, já que o MicroLED dispensa camadas de polarizadores e encapsulamento. Outra vantagem é que o MicroLED demanda menos energia, reduzindo o consumo em 50% quando comparado ao OLED. 

Vale lembrar que cada tipo de tela impacta diretamente no uso dos smartphones, mas também no preço. Antes de fazer a sua escolha, verifique o custo-benefício do aparelho e se certifique de que o modelo atende às suas necessidades.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

LCD, IPS, OLED, AMOLED: Quais são os tipos de telas utilizadas nos smartphones?

Quais são os critérios que você usa na hora de escolher um smartphone? Provavelmente, na avaliação você leva em consideração a marca, as especificações, qualidade da câmera, duração da bateria, preço e opiniões sobre o modelo. Porém, você já pensou em colocar entre os critérios o tipo de display do celular?

Basicamente, há cinco tipos diferentes de telas para smartphones: LCD, IPS, OLED, AMOLED e Super AMOLED. Com características próprias, cada uma delas influencia na experiência e na usabilidade do dispositivo.

Para você entender a diferença entre elas, o Canaltech vai explicar suas peculiaridades e suas vantagens. Confira:

LCD

Para quem não sabe, LCD significa “Liquid Cristal Display”, ou “Tela de Cristal Líquido” em português. As telas de LCD são compostas por cristais líquidos transparentes, que, quando submetidos a correntes elétricas, sofrem uma alteração molecular. Nesse processo, os cristais, anteriormente transparentes, ficam opacos, fazendo com que a passagem de luz da placa “backlight” (que se mantém acesa) seja barrada.

Apesar de muito utilizadas em smartphones, as telas LCD são as menos econômicas. Como a camada backlight fica acesa constantemente, há grande consumo de energia, o que é pouco interessante para quem precisa de um smartphone com grande duração de bateria.

IPS

Os displays IPS, “In-Plane Switching”, ou “Comutação Plana” na tradução, são, basicamente, uma variação das telas LCD. A grande diferença entre ambas é a proximidade das moléculas de cristal líquido, que nas telas IPS ficam perto da superfície da display. Isso acontece porque, enquanto no LCD as moléculas ficam desorganizadas, na tecnologia IPS os cristais se agrupam, resultando em melhor qualidade de imagem.

OLED

Evoluídas do LED, as telas OLED (“Organic Light-Emitting Diode”, ou “Diodo Emissor de Luz Orgânica”) utilizam em sua composição diodos emissores, e não cristais líquidos. Por isso, os displays OLED dispensam a camada backlight, já que os diodos são responsáveis pela emissão de sua própria luz. A consequência é o menor consumo de energia e a estrutura mais fina do aparelho.

AMOLED

Ideal para quem gosta de assistir vídeos e jogar no smartphone, as telas AMOLED (“Active-Matrix Organic Light-Emitting Diode”, ou “Matriz Ativa de Diodo Orgânico Emissor de Luz”, em português) podem ser uma excelente escolha. Derivadas do OLED, essas telas são compostas em quatro camadas: ânodo, orgânica, cátodo e circuitos, capazes de melhorar a responsividade dos comandos e, consequentemente, tornando as imagens mais fluidas.

Super AMOLED

Criadas pela Samsung, as telas Super AMOLED são a atualização da tecnologia AMOLED. Com a inclusão de uma camada sensível ao toque, os smartphones com displays Super AMOLED dispensam a camada de vidro do aparelho. O resultado disso é melhor definição, maior fluidez, menor consumo de energia e estrutura mais leve para o dispositivo.

Novidade: MicroLED

Apesar de o foco das fabricantes estar nos painéis OLED e AMOLED, há uma tecnologia ainda mais recente. A promessa para o futuro é o MicroLED, que, apesar de ser composto por diodos emissores de luz, difere do OLED em um detalhe importante. Enquanto o OLED tem como base materiais orgânicos, o MicroLED é baseado em materiais inorgânicos. Isso significa que os dispositivos podem ficar ainda mais finos, já que o MicroLED dispensa camadas de polarizadores e encapsulamento. Outra vantagem é que o MicroLED demanda menos energia, reduzindo o consumo em 50% quando comparado ao OLED. 

Vale lembrar que cada tipo de tela impacta diretamente no uso dos smartphones, mas também no preço. Antes de fazer a sua escolha, verifique o custo-benefício do aparelho e se certifique de que o modelo atende às suas necessidades.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

LCD, IPS, OLED, AMOLED: Quais são os tipos de telas utilizadas nos smartphones?

Quais são os critérios que você usa na hora de escolher um smartphone? Provavelmente, na avaliação você leva em consideração a marca, as especificações, qualidade da câmera, duração da bateria, preço e opiniões sobre o modelo. Porém, você já pensou em colocar entre os critérios o tipo de display do celular?

Basicamente, há cinco tipos diferentes de telas para smartphones: LCD, IPS, OLED, AMOLED e Super AMOLED. Com características próprias, cada uma delas influencia na experiência e na usabilidade do dispositivo.

Para você entender a diferença entre elas, o Canaltech vai explicar suas peculiaridades e suas vantagens. Confira:

LCD

Para quem não sabe, LCD significa “Liquid Cristal Display”, ou “Tela de Cristal Líquido” em português. As telas de LCD são compostas por cristais líquidos transparentes, que, quando submetidos a correntes elétricas, sofrem uma alteração molecular. Nesse processo, os cristais, anteriormente transparentes, ficam opacos, fazendo com que a passagem de luz da placa “backlight” (que se mantém acesa) seja barrada.

Apesar de muito utilizadas em smartphones, as telas LCD são as menos econômicas. Como a camada backlight fica acesa constantemente, há grande consumo de energia, o que é pouco interessante para quem precisa de um smartphone com grande duração de bateria.

IPS

Os displays IPS, “In-Plane Switching”, ou “Comutação Plana” na tradução, são, basicamente, uma variação das telas LCD. A grande diferença entre ambas é a proximidade das moléculas de cristal líquido, que nas telas IPS ficam perto da superfície da display. Isso acontece porque, enquanto no LCD as moléculas ficam desorganizadas, na tecnologia IPS os cristais se agrupam, resultando em melhor qualidade de imagem.

OLED

Evoluídas do LED, as telas OLED (“Organic Light-Emitting Diode”, ou “Diodo Emissor de Luz Orgânica”) utilizam em sua composição diodos emissores, e não cristais líquidos. Por isso, os displays OLED dispensam a camada backlight, já que os diodos são responsáveis pela emissão de sua própria luz. A consequência é o menor consumo de energia e a estrutura mais fina do aparelho.

AMOLED

Ideal para quem gosta de assistir vídeos e jogar no smartphone, as telas AMOLED (“Active-Matrix Organic Light-Emitting Diode”, ou “Matriz Ativa de Diodo Orgânico Emissor de Luz”, em português) podem ser uma excelente escolha. Derivadas do OLED, essas telas são compostas em quatro camadas: ânodo, orgânica, cátodo e circuitos, capazes de melhorar a responsividade dos comandos e, consequentemente, tornando as imagens mais fluidas.

Super AMOLED

Criadas pela Samsung, as telas Super AMOLED são a atualização da tecnologia AMOLED. Com a inclusão de uma camada sensível ao toque, os smartphones com displays Super AMOLED dispensam a camada de vidro do aparelho. O resultado disso é melhor definição, maior fluidez, menor consumo de energia e estrutura mais leve para o dispositivo.

Novidade: MicroLED

Apesar de o foco das fabricantes estar nos painéis OLED e AMOLED, há uma tecnologia ainda mais recente. A promessa para o futuro é o MicroLED, que, apesar de ser composto por diodos emissores de luz, difere do OLED em um detalhe importante. Enquanto o OLED tem como base materiais orgânicos, o MicroLED é baseado em materiais inorgânicos. Isso significa que os dispositivos podem ficar ainda mais finos, já que o MicroLED dispensa camadas de polarizadores e encapsulamento. Outra vantagem é que o MicroLED demanda menos energia, reduzindo o consumo em 50% quando comparado ao OLED. 

Vale lembrar que cada tipo de tela impacta diretamente no uso dos smartphones, mas também no preço. Antes de fazer a sua escolha, verifique o custo-benefício do aparelho e se certifique de que o modelo atende às suas necessidades.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

Usuária alerta sobre app que envia ameaças e mensagens ofensivas a crianças

Uma usuária do Facebook alerta para um aplicativo que pode ser nocivo para crianças. Chamado de SimSimi, este aplicativo simula conversas e é descrito como algo que, em tese,  pode ser configurado para ajudar a aprender a escrever corretamente em outros idiomas, já que mostra os erros gramaticais do texto.

Entretanto, a usuária relata que o app manda mensagens inapropriadas para crianças mesmo que se coloquem os filtros necessários nas configurações. Entre as ofensas, estão coisas como “esta noite o diabo vai te possuir e fazer você matar a sua mãe”. Pela quantidade de caracteres errados na plataforma, é muito possível que sejam bugs (o que não exclui a necessidade do alerta).

O app já foi baixado por mais de 2,8 milhões de pessoas na Play Store e é avaliado com nota 4,3 pelos usuários. Na descrição, há relatos da própria desenvolvedora de que isso podia acontecer. “Ensine boas palavras, reporte as ruins, todo mundo fica feliz com SimSimi!. Quando o Sim Simi disser uma palavra ruim, apenas aperte no personagem SimSimi para reportar. Uma palavra ruim será deletada com dois avisos (de aparelhos diferentes). Também, você pode ligar/desligar o filtro de palavras ruins nas configurações”.

App permite configurar idade e nível das palavras a serem usadas pelo bot (Captura de tela: Wagner Alves/Canaltech)

O app ainda é classificado para maiores de 16 anos. Ao se utilizar pela primeira vez, é preciso que se coloque o quanto se quer que o app utilize palavras ruins; ou seja, palavrões. Além disso, é pedido que se indique idade e sexo. Sobre isso, o aplicativo descreve que as mensagens são direcionadas de acordo com estas duas variáveis.

O CanalTech testou o app simulando uma criança do sexo masculino de dez anos. Até o momento das conversas, não houve linguajar ofensivo, mesmo que se tenha ajustado o app para que não exclua totalmente as palavras ruins da conversa.

Contudo, há de destacar que a conversa não toma um rumo lógico em nenhum momento e traz vários erros gramaticais, como conjugação verbal e concordância. Como o app nativo não é em português, e a impressão que se tem é de que há uma tradução literal via algum tradutor automático, do inglês para o português, nas conversas.

Embora o app seja gratuito, também não é recomendável para crianças pelas compras internas, bem como exposição de propagandas.

Fonte: Pleno.News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

Bill Gates financia ‘Google Earth’ com imagens ao vivo da Terra

A EarthNow é uma iniciativa que busca levar o conceito do Google Earth adiante. Com apoio de ninguém menos que Bill Gates e de empresas como SoftBank e Airbus, o projeto quer oferecer uma transmissão de vídeo em tempo real de qualquer lugar do planeta.

Ou seja: aquele “meme” de dar tchau para aparecer no Google Earth pode virar realidade, mas no EarthNow

O EarthNow é uma câmera apontada “para a sua cara” durante 24 horas por sete dias por semana

Segundo o CEO da EarthNow, Russel Hannigan, o projeto é ambicioso e sem precedentes. Para isso, serão lançados vários satélites de vídeo para oferecer a cobertura ao vivo — e a empresa espera que o delay entre o que é gravado e o que aparece no PC seja de apenas 2 segundos.

A empresa comenta que essa tecnologia “ajudará as cidades inteligentes a se tornarem mais eficientes, a avaliarem a saúde das plantações sob demanda e até capturar navios de pesca ilegais no ato”.

Ainda não está claro como a EarthNow ganhará dinheiro: publicidade ou assinatura. Além disso, algo pior não está claro.

Vigilância

Veja só: o EarthNow é uma câmera apontada para a sua cara durante 24 horas por sete dias por semana. Isso, você concordando ou não, é invasão de privacidade. A empresa não comentou sobre implicações que envolvem policiamento e até os “stalkers”.

Já imaginou no que é possível planejar com uma ferramenta como essas disponível para qualquer pessoa? Bem, agora o futuro não parece tão glorioso assim.

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

SpaceX lança satélite da NASA que buscará por planetas que possam abrigar vida

White Papers

Em um mercado em constante evolução, uma coisa é certa: quem vai vencer a corrida? Neste caso, a corrida para zero. Consulte o sumário executivo gratuito para saber como a Veeam ajuda os clientes a atingir o mínimo de tempo de inatividade.

O mundo do Ensino Superior é habitado por alguns dos clientes mais aficionados por tecnologia, desde cientistas e pesquisadores acadêmicos a estudantes que cresceram grudados aos aparelhos digitais. Se as faculdades e universidades não acompanham a vida digital desses integrantes, correm o risco de perder credibilidade, renda e relevância.Confira neste white paper informações imprescindíveis para ajudar você a fornecer a opção mais sábia para disponibilidade e acessibilidade de dados

As organizações de serviços financeiros enfrentam agora muitos desafios ao tentar atender às expectativas do mundo moderno em operação constante (Always-On™). Leia esse novo white paper da IDGE para aprender como as organizações de serviços financeiros atuais estão enfrentando as provas e tribulações da transformação digital.

A Veeam® ajuda você a entrar facilmente no mercado de nuvem, através das soluções que seus clientes precisam, e fornece os recursos necessários para avaliar qual caminho de mercado faz mais sentido para seus negócios.Confira neste guia como transformar a nuvem em uma realidade rentável.

A adoção crescente de infraestrutura em nuvem pública, bem como a mudança de cargas de trabalho de ambientes locais para instalações externas, são algumas das razões pelas quais a maioria das corporações hoje estão aderindo a estratégias de múltiplas nuvens. Confira neste e-book a estratégia preferida de nuvem das corporações para ajudá-lo a montar o seu plano de adesão ao cloud.

Não importa onde seus dados residam, você precisa ser capaz de protegê-los. Veja neste infográfico um cenário na perspectiva das corporações sobre a importância de garantir a disponibilidade e proteção de seus dados, e como a Veeam pode ajudá-lo.

via IDG Now!

Profissional Qualificado

Vida de Suporte - Profissional Qualificado

Transcrição:

Usuária [gritando]: Ei, menino do computador!
Suporte: Não gosto que me chamem assim! Sou um profissional altamente qualificado!
Suporte: Pra sua informação, até já trabalhei na equipe que projetou a multifuncional que você usa. Pense nisso na próxima vez que vier me chamar.
Usuária: Tá bom!
[No dia seguinte…]
Usuária [gritando]: Ei, rapaz da impressora!

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!


Profissional Qualificado é um post do blog Vida de Suporte.

via Vida de Suporte

%d blogueiros gostam disto: