Site que mostra CPF, telefone e endereço de brasileiros volta ao ar

O site ‘Tudo sobre Todos’, que ficou um tempo fora do ar após centenas de denúncias, voltou ao ar. Com domínio da Suécia, o site exibe informações privadas de cidadãos brasileiros por preços entre R$ 10 e R$ 80.

Entre as informações sensíveis oferecidas pelo ‘Tudo sobre Todos’ são: CPF, RG, endereços (CEP, logradouro, cidade, estado), telefones, nomes de parentes e de vizinhos, além de empresas associadas ou que trabalha.

“O website Tudo Sobre Todos é administrado por uma equipe multidisciplinar com o objetivo de reunir os dados da maior quantidade possível de fontes públicas e tornar mais fácil a localização de pessoas e empresas”, explica o site na área ‘Quem Somos”.

O que o site pode ajudar? A prática de crimes físicos, até dados para fraudes e engenharia social

É interessante notar que, enquanto sites como estes podem até ser interessantes para pessoas que buscam contato de parentes ou amigos que não encontram há muito tempo, estes sites também são uma fonte rica para criminosos e cibercriminosos — desde a prática de crimes físicos, até dados para fraudes e engenharia social.

O ‘Tudo sobre Todos’ foi alvo de ataques em 2015. Uma petição buscava tirar o site do ar. Na época, Bruno Miragem, presidente do Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor, disse que as informações disponíveis podem ser perigosas. “Pode provocar o uso indevido para fraude ou, dependendo da natureza dos dados, colocar a segurança pessoal em risco”, ao HuffPost.

tudoTudo sobre todos

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

Nostalgia: Google Fotos agora mostra montagens ao estilo “antes e depois”

De acordo com informações do Phandroid, o Google Fotos está inaugurando um novo recurso para manter seus usuários engajados. A função se chama “Then & Now” e pode ser traduzida livremente para “Antes e Depois”. O app basicamente faz uma montagem de uma foto antiga da sua galeria com uma nova, as colocando lado a lado para dar aquela boa dose diária de nostalgia.

Mais interessante ainda é quando o serviço pega fotos de grupos de pessoas. Ele procura uma foto antiga e uma nova com os mesmos indivíduos na captura e as coloca lado a lado de forma estilizada. Como o Fotos agora reconhece animais de estimação individualizada, eles também aparecem nessas montagens.

google fotos

Além disso, o app também faz pequenas colagens com várias fotos tiradas no mesmo dia para relembrar o momento quando ele completa um ano ou mais. É basicamente isso que apps como Timehop fazem, bem como o Facebook, que tem uma seção de memórias dedicadas exclusivamente a resolver esse tipo de coisa.

Parta ver se o seu Google Fotos já está mostrando algum “Antes e Depois”, abra o app no seu smartphone e confira a guia “Assistente”, no fundo da tela. 

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

YouTuber mostra iPhoneX funcionando… e vídeo é removido pela Apple

Quem não via a hora de ver o cobiçado iPhone X em ação pôde ter um breve gostinho disso: a YouTuber norte-americana Brooke Amelia Peterson chegou a revelar o produto funcionando em parte de um vídeo veiculado nesta terça-feira (24). Ela teve acesso porque seu pai trabalha na Apple, mas… o conteúdo, claro, foi removido pela própria Maçã.

A “demonstração” exibia o que a companhia já havia adiantado, como a ausência do botão físico Home, o display OLED de 5,8 polegadas com cantos arredondados e corte para abrigar a câmera frontal e sensores.

iPhone X Apple

A “demonstração” incluía também um bem-sucedido pagamento via Apple Pay, o reconhecimento de usuário via Face ID e o visual do serviço de notificações, com direito a um tópico com dicas para quem está começando a utilizar o aparelho.

iPhone X Apple

Quem não conseguiu ver enquanto o material estava no ar, vai ter mesmo que esperar até o lançamento nos Estados Unidos, previsto para a próxima semana, no dia 3 de novembro. Ainda não há previsão da chegada do gadget por aqui, contudo a expectativa é de que ele esteja disponível para os brasileiros até o Natal.

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

Novo render do OnePlus 5T mostra mudança no visual do aparelho

Um novo vazamento trazido pelo SlashLeaks veio para saciar a curiosidade daqueles que estão ansiosos para ver mais do visual do OnePlus 5T. Na imagem, que você pode conferir mais abaixo, é possível ver uma renderização bastante detalhada do aparelho, mostrando uma tela que ocupa boa parte da frente do smartphone.

Obviamente, não é só nisso que vemos diferenças. O aparelho como um todo, de fato, parece cheio de mudanças em seu design, agora seguindo para uma aparência mais limpa e parecida com o que vemos em dispositivos como o iPhone 8. Outro detalhe interessante a ser notado é que, pelo visto, o sensor de digitais saiu da parte frontal e foi jogado para a traseira do smartphone.

Renderização OnePlus 5T

Achou algo de estranho no novo vazamento? Não é para menos; afinal, muitos devem se lembrar de que poucos dias atrás outras imagens trazidas pelo mesmo site traziam um design consideravelmente diferente, principalmente no que diz respeito aos botões laterais.

Visto que estamos falando apenas de rumores – e que há uma diferença considerável entre essa imagem e as informações trazidas anteriormente – é melhor não tomar nada como uma verdade absoluta.

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

Vídeo mostra carcaça do suposto iPhone 8 e reforça rumores sobre seu design

iPhone 8 rumor

Benjamin Geskin, conhecido no Twitter por vazar informações de lançamentos antes que eles aconteçam, liberou um vídeo curtinho onde vemos o que supostamente é a carcaça do iPhone 8, que será lançado no próximo semestre.

As imagens reforçam rumores anteriores que diziam que a próxima geração de smartphones da Apple terá display “infinito” com bordas curvadas, ausência do botão “Home” físico e câmera dupla. No entanto, Geskin fez questão de dizer, ainda, que o aparelho que aparece em seu vídeo é apenas um “boneco” chinês, não sendo um protótipo real do próximo iPhone.

O “leaker” também divulgou um desenho que mostra como será a construção do iPhone 8:

Via: CultOfMac

via Canaltech

Microsoft mostra o poder da Surface Pen com app Whiteboard e upgrades

Empresa de Redmond aposta em colaboração para ampliar o uso da sua caneta entre usuários Office e Windows.


A Microsoft quer que você use seus talentos manuais no trabalho do dia-a-dia, e é por isso que está oferecendo dois novos recursos: uma coleção customizada de canetas que irá passar de aparelho para aparelho, e depois, o app colaborativo Whiteboard.

Ambos são oferecidos a partir das novas habilidades de aplicação de coloração que a Microsoft adicionou incrementalmente ao seu hardware e ao Windows, assim como no Office. Um dos recursos do novo Surface Pro (2017), por exemplo, é uma Surface Pen mais sensível com habilidades de inclinação e uma latência quase imperceptível, para fazer com que a tinta digital seja mais suave e direta. 

A partir de junho, a Microsoft permitirá que os assinantes do Office 365 “salvem” uma galeria de tintas de caneta que serão carregadas por diferentes aparelhos assim como nos apps Word, Excel e PowerPoint. Apesar de as canetas estarem sendo salvas no Office, e não dentro do Windows, a galeria de tintas salvas é consistente com o futuro Creators Update, que chega em alguns meses. 

Essas tintas virtuais incluem “galaxy” e “rainbow”, que mudam as cores de forma dinâmica à medida que a caneta se move pela tela. Se um usuário quiser manter uma caneta rainbow a mão, pode salvá-la dentro do Office, junto com lápis, destacadores e mais. Em algum momento do futuro – a Microsoft não diz exatamente quando – um desses apps Office será o Whiteboard.

Por que isso importa

Segundo a Microsoft, são registrados 2 milhões de minutos de uso de canetas por dia. Isso não parece muito, ainda mais se pensarmos nas dezenas de milhões de PCs Windows. Para o seu crédito, no entanto, a empresa não está desistindo, apostando na colaboração como um ponto chave.

Whiteboard

Se o Whiteboard soa familiar, é porque ele é mesmo. Vimos o app pela primeira vez no ano passado como parte do Surface Hub, a tela sensível ao toque colaborativa de 84 polegadas da Microsoft. Na época, o Whiteboard era uma simples ferramenta de colaboração, onde os usuários podiam se escrever. Caso você não estivesse na tela, então não poderia participar, uma limitação e tanto que a Microsoft resolveu com essa nova versão do software.

Agora, cada participante de um espaço de trabalho do Whiteboard pode escrever algo na tela do seu próprio tablet ou PC, e o conteúdo aparecerá no display das outras pessoas. Em um toque legal, um pequeno ícone com o nome da pessoa aparecerá próximo da “tinta” à medida que ela é aplicada. 

whiteboardapp_625.jpg

Como o Whiteboard tem lançamento programado para algum ponto do futuro, alguns aspectos do aplicativos, como o número de usuários suportados, ainda permanecem indefinidos.

A verdadeira mágica por trás do Whiteboard, no entanto, é como o aplicativo trata a tinta: como a fundação para objetos digitais que podem ser manipulados. Desenhe um triângulo, e ele se transformará em um triângulo de verdade que pode ser rotacionado e manipulado, com números pequenos mostrando os tamanhos dos ângulos. 

Segundo executivos da Microsoft, esse tipo de interação via tinta também será levada para outras partes do Office. Você poderá “laçar” frases no Word para selecioná-las, e apagá-las ao simplesmente riscar sobre elas.

via IDG Now!

Coletando dados para IA, Google mostra como cada pessoa desenha diferente

Se você tivesse apenas 20 segundos para desenhar algo, qual seria o resultado? Como um desenho seu de sapo seria? E um de dragão, algo mais complexo? Ou como você desenharia um rosto em tão pouco tempo? Por mais incrível que pareça, a diferença entre uma pessoa e outra pode ser absurdamente grande, ainda mais quando 15 milhões de usuários fazem o teste.

Mas para que tudo isso? Todo esse teste grandioso e, em um primeiro olhar, sem utilidade, tem um motivo dos bons: aprimorar uma nova inteligência artificial do Google. Chamada de “Quick, Draw!”, ela tem o propósito de identificar desenhos e traços e tentar dar um significado para o que analisa. Porém, como que a IA poderia analisar algo e ser precisa? Fácil: coletando dados de 15 milhões de pessoas para abastecer um banco de imagens para comparar.

Como você desenharia uma ambulância em 20 segundos?

O “QuickDraw!” ainda não está pronto, mas a Google finalmente soltou os dados que coletou durante esse tempo. Não há nada muito relevante, mas certamente é interessante analisar como as pessoas diferem uma das outras. Um simples desenho de sapo, por exemplo, pode mudar drasticamente entre um usuário e outro.

E um passarinho?

Neste site, você pode ver os resultados completos além dos GIFs acima. Basta selecionar o objeto que quer observar e o Google mostrará milhões de formas diferentes do mesmo desenho. A parte boa é que esse refinamento e coleta de dados pode ajudar em aplicações futuras, como a ferramenta que desenha por você de acordo com rabiscos rápidos. Quer ajudar ou participar da brincadeira? É só entrar neste link.

via Novidades do TecMundo

App para Chrome mostra políticos investigados por corrupção

Um aplicativo gratuito para o navegador Google Chrome ajuda você a ver quais políticos são investigados por corrupção no Brasil.

Chamado Vigie Aqui, ele foi criado a partir da parceria entre o Instituto Reclame Aqui e a PUCPR. A ideia é ajudar a promover o voto consciente nas próximas eleições.

(Vigie Aqui/Divulgação)

Essa extensão funciona ao acessarmos páginas de sites de notícias ou redes sociais.

Os dados mostrados pelo app são das diversas instâncias da Justiça, sejam elas Federais ou Estaduais–STF, STJ TRFs, TSE ou TJs.

O Vigie Aqui pode ser baixado gratuitamente neste link.

Este conteúdo foi publicado originalmente em Exame.com

via Superinteressante

Investimento da Apple nos EUA mostra otimismo no governo Trump, diz Casa Branca

Apple Inc. Screenshot

O investimento de US$ 1 bilhão feito pela Apple em seus esforços de fabricação de produtos nos Estados Unidos está sendo visto pelo governo americano como um sinal de otimismo e confiança na administração de Donald Trump. Para o secretário de imprensa da Casa Branca, Sean Spicer, o aporte é uma demonstração de que a companhia acredita nas políticas econômicas que estão sendo implementadas pelo presidente.

O chamado “Fundo de Produção Avançada” foi anunciado no começo deste mês pelo CEO da Apple, Tim Cook. Ele espera que a iniciativa ajude a fomentar a inovação no país e crie vagas de emprego de alto nível, de forma a amplificar o desenvolvimento tecnológico não apenas do país e das empresas envolvidas, mas também das pessoas que serão parte integrante do que o executivo acredita ser o futuro da indústria nos EUA.

Cook, entretanto, não fez nenhum comentário sobre a relação entre a criação do fundo e o governo de Trump, mas, para a Casa Branca, essa ligação é óbvia. A geração de empregos internos e qualificação da mão-de-obra foi uma das bandeiras do presidente desde antes de sua eleição, algo que, agora, ele vê concretizado pelo aporte feito não apenas pela Apple, mas também por outros nomes como Intel, Walmart e General Motors.

Apesar de não ter afirmado que o investimento tem a ver com as políticas de Trump, Cook não deixou de se posicionar politicamente. O CEO da Apple mostrou desagrado com a postura da Casa Branca diante da migração, mas, por outro lado, disse que, em qualquer governo, sempre existem os pontos de concordância. Para ele, o importante é achar um consenso, já que a alternativa da omissão representa o pior para todos os lados e não leva ninguém adiante.

Cook, entretanto, evitou falar sobre o principal ponto de desacordo entre governos e empresas de tecnologia, que se relaciona ao protocolo de criptografia usado em smartphones. Desde o governo Obama, a Apple tem estado em lados opostos com o FBI e agências de segurança sobre a questão e a expectativa é que, com a postura mais ferrenha de Donald Trump diante da segurança nacional, os atritos nesse sentido só aumentem com o tempo.

A Corning foi uma das primeiras companhias contempladas com fundos do investimento que está sendo feito pela Apple. A fabricante do conhecido Gorilla Glass receberá US$ 200 milhões para investir em suas plantas de fabricação e inovação, uma prova, inclusive, de que os dias do relacionamento entre as duas marcas – e também do uso da proteção em aparelhos da Maçã – não estão contados, como afirmavam alguns rumores. Pelo contrário, ambas assinaram um contrato de parceria por mais 10 anos.

Fonte: The Verge

via Canaltech

Vídeo mostra a diferença em 17 anos de evolução na segurança dos veículos

Existem poucas coisas tão legais quando ver carros se espatifando em testes de colisão pro bem da ciência e da segurança das pessoas. A bola da vez rolou do outro lado do mundo, quando a ANCAP, ou Programa Australásiatico de Avaliação de Carros Novos, resolveu comparar como a segurança dos veículos evoluiu em 17 anos.

Para isso, a agência colocou dois Toyota Corolla, um 1998 e outro 2015, para se arrebentarem de frente a aproximadamente 65 km/h. Como é de se esperar, os resultados são impressionantes e mostram que não é simplesmente uma questão de melhorar a parte de assistências e itens, como é o caso do airbag (que, diga-se, o modelo 98 não tem) ou coisas do tipo: a parte estrutural e a construção dos veículos melhorou de uma forma absurda desde então.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=zxDHuthGIS4?start=0]

O modelo mais antigo conseguiu 0 estrelas, graças a marca de 0,40 de um total de 16, já que todos os sensores dos bonecos usados no teste indicaram lesões graves na cabeça, peito e pernas, depois que o veículo sofreu “uma falha estrutural catastrófica”.

Já o Corolla 2015 levou cinco estrelas com uma pontuação de 12,93 de 16, já que todos os ocupantes do veículo saíram praticamente ilesos, muito em função da presença dos airbags e também da estrutura feita para absorver a energia da colisão.

O vídeo serviu também para que a ANCAP conseguisse ilustrar uma estatística não muito bacana: se você está em um modelo antigo, você tem o dobro de chances de morrer em um carro que foi produzido antes dos anos 2000 – e isso que os dados se referem a um padrão de produção lá fora, então não dá para imaginar como seriam esses dados se considerassem os veículos nacionais.

Não é a primeira vez que esse tipo de comparativo é feito: a NCAP fez recentemente um teste com um Nissan Tsuru que mostrou uma diferença igualmente gritante entre um veículo com 0 estrela e um de 4 estrelas, enquanto a IHSS, dos Estados Unidos, colocou um Bel-Air de 1959 para bater de frente com um Chevrolet Malibu de 2009.

O órgão aproveitou para levantar o ponto de que talvez a opção de um carro mais antigo para jovens e idosos não seja a melhor opção. Então, caso seu filho apareça pedindo um carro 0 km em vez daquele usadão surrado que você tava pensando em dar pra ele, talvez ele tenha lido essa matéria também.

via Novidades do TecMundo