Apple diz ser falsa a informação de que reduziu precisão do FaceID no iPhone X

Contrariando uma notícia dada pela Bloomberg na manhã desta quarta-feira (25), que dizia que a Apple estaria autorizando seus fornecedores a reduzir a precisão do FaceID a fim de acelerar a produção do iPhone X, a Maçã veio a público no período da tarde declarando que a informação é falsa.

A Apple garante que o reconhecimento facial do iPhone X tem precisão de 1.000.000: 1, o que significa que há uma chance em 1 milhão de a autenticação falhar. Ainda assim, a companhia de Cupertino foi bastante cuidadosa ao dizer que a precisão do sistema não foi afetada, não se defendendo das acusações de estar pressionando as fabricantes de componentes para acelerarem o processo, o que pode significar queda na qualidade de peças em geral.

Confira a declaração da companhia chefiada por Tim Cook, na íntegra e traduzida para o português:

"A empolgação dos consumidores pelo iPhone X e o FaceID tem sido incrível, e nós mal podemos esperar para que eles tenham o aparelho em suas mãos na sexta-feira, dia 3 de novembro. O FaceID é um sistema poderoso de autenticação segura que é incrivelmente fácil e intuitivo de usar. Sua qualidade e precisão não mudou. Ela continua a ser de 1 em 1 milhão de probabilidade de uma pessoa qualquer desbloquear o seu iPhone.

O relato da Bloomberg de que a Apple reduziu a precisão do FaceID é completamente falso, e nós esperamos que o FaceID seja o novo padrão para a autenticação facial."

via Canaltech

Apple nega que estaria reduzindo as especificações do Face ID do iPhone X

Após os rumores de que a Apple estaria reduzindo as especificações do iPhone X para poder lançá-lo a tempo, a empresa resolveu vir a público para desmentir os boatos. O novo dispositivo top de linha da companhia de Cupertino tem data de lançamento marcada para 3 de novembro e o que tem sido dito na imprensa é que diversos problemas de produção podem atrasar a saída do aparelho.

A afirmação da Bloomberg de que a Apple teria reduzido as especificações de precisão do Face ID é completamente falsa

Segundo o que foi noticiado primeiramente pela Bloomberg, um dos principais recursos do iPhone X, o sistema de reconhecimento facial Face ID, seria o que mais poderia atrasar a produção e, portanto, a Apple iria reduzir sua capacidade para produzir uma quantidade mínima de dispositivos até a data marcada.

Com esse rumor sendo veiculado durante o dia de hoje pelos principais veículos de comunicação e de tecnologia, a Apple decidiu – através de um porta-voz – dar uma declaração oficial sobre os boatos. Segue a nota a seguir em tradução livre:

“A animação dos clientes com o iPhone X e o Face ID foi incrível e estamos ansiosos para que os clientes coloquem as mãos neles a partir de sexta-feira, 3 de novembro. O Face ID é um sistema de autenticação poderoso e seguro, incrivelmente fácil e intuitivo de usar. A qualidade e a precisão do Face ID não foram alteradas. A probabilidade de uma pessoa aleatória desbloquear seu iPhone com o Face ID continua sendo de uma em um milhão.

A afirmação da Bloomberg de que a Apple teria reduzido as especificações de precisão do Face ID é completamente falsa e esperamos que o Face ID seja o novo padrão para autenticação facial.”

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

App concorrente da Uber concede iPhone ou viagem como prêmio para seus usuários

O 4Move, aplicativo de caronas que rivaliza diretamente com a Uber, iniciou as suas atividades em São Paulo nesta terça-feira (24). A estratégia da startup para captar novos usuários é a de oferecer um sistema de fidelidade com pontuações para usuários que utilizam ou recomendam o aplicativo para outas pessoas.

Programa de fidelidade

O sistema de recompensas que a empresa oferece funciona como um programa de fidelidade, em que cada usuário do aplicativo recebe de volta até 5% do valor das corridas, sendo que esta porcentagem varia de acordo com o nível da conta, que, por sua vez, pode ser aumentado ao convidar amigos para utilizar o app. Os valores virtuais podem ser acumulados e utilizados em viagens no próprio serviço ou convertidos em dinheiro vivo.

Outro atrativo do 4Move é que ele propõe uma espécie de sistema de milhagem, recompensando os quilômetros percorridos no serviço com prêmios que incluem ingressos de cinema, iPhones e viagens internacionais.

No momento, os passageiros só podem criar os seus registros no serviço por meio de convites de pessoas que já utilizam o app. O processo de cadastro solicita o CPF e a verificação de alguns dados do usuário. Feito isso, o aplicativo já está pronto para ser utilizado.

Da mesma forma que a Uber, o app também disponibiliza duas principais categorias de serviço: a Blue, que é a mais simples, e a Black, a versão de luxo com veículos com ar condicionado, quatro portas e assentos em couro.

Motoristas e taxistas

Para os motoristas que estiverem interessados em se tornarem afiliados ao 4Move, é necessário fornecer uma ficha de antecedentes criminais, passar pelo processo de verificação online e ser submetido a um treinamento ministrado pela própria startup. A 4Move retém entre 20% a 25% do valor da viagem, taxa que varia de acordo com as avaliações de cada passageiro.

Os profissionais do trânsito também podem desfrutar de alguns benefícios ao indicarem novos motoristas e passageiros.

Atualmente, o 4Move possui parceria com 4 mil motoristas e conta com 60 mil profissionais na fila para serem aprovados. A companhia responsável pelo serviço afirma que possui planos para ampliar a sua atuação em outras cidades brasileiras em 2018.

O app 4Move pode ser baixando no Android e iOS.

via Canaltech

Apple reduz precisão do Face ID para acelerar a produção do iPhone X

Os vários atrasos na produção do iPhone X teriam feito a empresa de Cupertino tomar uma decisão drástica. A Apple estaria permitindo que seus fornecedores reduzissem a precisão do sistema de reconhecimento facial, Face ID, no iPhone X como medida para acelerar a produção, segundo a Bloomberg.

O Face ID é um dos grandes trunfos do novo top de linha da fabricante americana, e permite, através de leitura biométrica que mapeia milhares de pontos no rosto do usuário, o desbloqueio do aparelho ou o pagamento de contas.

A notícia pode causar ainda mais preocupação em quem pretende adquirir o smartphone, uma vez que o sistema de reconhecimento facial é a principal porta de segurança para o acesso ao novo iPhone X.

O Face ID já havia falhado durante a apresentação do modelo em setembro, no que a Apple classificou como um erro ocasionado pelo fato de muitas pessoas terem manuseado o aparelho na demonstração.

A empresa ainda não comentou o assunto. O lançamento do iPhone X está programado para 3 de novembro.

via Canaltech

Consumer Reports recomenda Galaxy S7 em comparação com iPhone 8

A Consumer Reports — uma organização sem fim lucrativos dedicada a avaliar produtos e recomendá-los aos consumidores norte-americanos de forma isenta — colocou o Galaxy S7 em uma posição superior ao novíssimo iPhone 8 da Apple em um ranking de melhores smartphones do mercado atual.

Nessa listagem, os Galaxy S8S8+ ficaram com o primeiro lugar, marcando 81 pontos em uma contagem que pode chegar no máximo até 100. Logo em seguida, tivemos o Galaxy S7, o iPhone 8, o Galaxy Note 8 e oLG G6 com 80 pontos. Apesar do empate, a Consumer Reports recomenda o Galaxy S7 frente a esses três concorrentes por ele ter uma autonomia de bateria melhor, bem como uma qualidade de som superior para chamadas telefônicas.

Teoricamente, um smartphone com mais de 20 meses de lançamento dificilmente seria mais avançado do que um que acabou de chegar ao mercado

Essa classificação é curiosa pelo fato de o Galaxy S7 ter sido lançado no início de 2016 e o iPhone agora no fim de 2017. Teoricamente, um smartphone com mais de 20 meses de lançamento dificilmente seria mais avançado do que um que acabou de chegar ao mercado. É interessante notar que o Note 8, da própria Samsung, e o também recente LG G6 ficaram para trás do Galaxy S7.

A opinião da Consumer Reports tem um peso considerável sobre o padrão de compra do consumidor norte-americano, o que pode acabar fazendo o Galaxy S7 continuar à venda nos EUA por mais algum tempo. Fora isso, rumores afirmam que os iPhones 8 e 8 Plus estariam registrando vendas decepcionantes, inferiores às expectativas mais pessimistas da Apple. Apesar disso, a empresa não se manifestou oficialmente sobre o assunto nem revelou dados oficiais a esse respeito.

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

iPhone X está tendo problemas de fabricação por causa do Face ID

Um dos destaques do iPhone X — além do preço salgado — é o desbloqueio por reconhecimento facial 3D, chamado de Face ID. Pelo visto, essa tecnologia é tão complicada de produzir em massa que a Apple precisou fazer alguns ajustes.

Segundo a Bloomberg, a Apple reduziu as especificações para os componentes do Face ID, para que o iPhone X seja produzido mais rápido.

O Face ID consiste em um projetor, que coloca 30 mil pontos invisíveis no seu rosto; e uma câmera infravermelho que captura a imagem, comparando-a com os dados salvos no aparelho.

O problema está no projetor: a Finisar não atendeu aos requisitos da Apple, enquanto Sharp e LG Innotek tiveram dificuldade em combinar o laser e a lente para fazer o componente — em determinado estágio, apenas 20% deles eram utilizáveis.

Por isso, a Apple permitiu que as fabricantes reduzissem a precisão do projetor, para que ele seja fabricado mais rapidamente. Isso parece ter ocorrido próximo ao anúncio oficial do iPhone X, em setembro. Ainda não sabemos, no entanto, como isso vai afetar a precisão do Face ID.

Há algumas semanas, o Wall Street Journal explicou que o sensor de reconhecimento facial no iPhone X é dividido em duas metades. O módulo “Romeo” projeta os pontos infravermelhos para mapear o rosto; e o módulo “Juliet” lê essa imagem. O Romeo aparentemente leva mais tempo para ser montado, criando um gargalo na fabricação.

Segundo o analista Ming-Chi Kuo, da KGI Securities, a Apple terá entre 2 e 3 milhões de unidades do iPhone X para seu lançamento, o que não deve ser suficiente para atender a demanda.

A Apple emitiu um comunicado à imprensa nesta terça-feira (25), dizendo que o iPhone X estará disponível em suas lojas físicas, mas recomenda que os clientes “cheguem cedo”. Ele chegará a 55 países e territórios em 3 de novembro, custando a partir de US$ 999.

Com informações: Bloomberg, The Verge.

iPhone X está tendo problemas de fabricação por causa do Face ID

via Tecnoblog

App rival do Uber oferece iPhone ou viagem como recompensa

Está estreando em São Paulo um novo aplicativo chamado 4Move, um rival do Uber que oferece um programa de recompensas por uso e indicação de amigos. Os prêmios variam de acordo com a quantidade de pontos acumulados e podem ser ingresso de cinema, crédito em conta, viagens (Disney, Cancún ou cruzeiro nacional), iPhone ou MacBook. O app tem versões para Android e iPhone

A proposta da empresa é funcionar em duas frentes com a estratégia de bonificação por pontos, sendo elas passageiros e motoristas. Como usuário, você pode ganhar 1 ponto por quilômetro viajado e, ao indicar amigos, você também ganha pontos a cada quilômetro rodado em viagens feita por eles. Sobre esses pontos, você, usuário, recebe até 5% do valor sobre cada ponto (tanto os seus próprios quanto os dos indicados) para acumulá-los para a troca de prêmios. Para ficar mais claro, funciona assim: 1 km = 1 ponto = 1 real no sistema, sobre o 1 real, o usuário ganha até 5%

Assim como no Uber e similares, o usuário poderá escolher entre uma categoria mais barata, com carros comuns, e outra mais cara, com veículos de luxo. Elas são chamadas Blue e Black, respectivamente no novo app.

No caso dos motoristas, a bonificação também acontece na forma de dinheiro e prêmios. O percentual de bônus por quilômetro, porém, é maior: até 10% sobre cada um deles. Fatores como notas das viagens realizadas têm impacto positivo ou negativo no bônus do motorista.

Para manter a segurança dos motoristas e passageiros, a 4Move informa a EXAME que adota o esquema de comunidade. Assim como nos primórdios do Orkut, a ideia é que novas pessoas entrem para o aplicativo por meio de convites dos usuários iniciais.  

“Chamamos o recurso de marketing de recompensa. Seus amigos indicados dão créditos para você. Esses pontos retornam como cashback para uso dentro do aplicativo. Em um mapa, vemos o carrinho caminhando para prêmios: crédito em conta, iPhone, cinema, MacBook, viagens com acompanhante com tudo pago e etc. A ideia é compartilhar o seu código de usuário com o máximo de pessoas possível”, diz Júlio Cesar, cofundador e CEO da 4Move, em entrevista a EXAME.

A startup recebeu investimentos que somam 10 milhões de reais de um fundo brasileiro. Nos primeiros quatro anos de operação, o plano consiste em expandir o serviço pelo território nacional. Após São Paulo, estão na mira cidades como Rio, Belo Horizonte e Recife. Cesar afirma que a empresa vai chegar a duas novas cidades por mês a partir de 2018 e contratará equipes locais para gerenciar as operações nos novos mercados. As ambições de expansão internacional ficam para 2018, com a América Latina em vista.

Para o início oficial de operações em São Paulo, o aplicativo contará com 4 mil motoristas, que tiveram documentos checados de maneira a oferecer segurança aos clientes, de acordo com Cesar. O procedimento de seleção de condutores e indicação de passageiros visa criar uma comunidade com foco na segurança, de acordo com o CEO.

Para ter competitividade no mercado onde o preço define a escolha do app de transporte, a 4Move promete oferecer viagens com até metade do valor de viagens cobradas nos apps concorrentes em horários de pico. Não há precificação diferente para os períodos do dia com mais viagens.

Motoristas

A 4Move informa ter mais de 60 mil cadastros de motoristas interessados em participar sua plataforma em diversas cidades brasileiras. Os candidatos se cadastraram no site da empresa durante o período piloto do serviço, encerrado na noite da última segunda-feira (23) com o lançamento oficial do aplicativo em São Paulo.

Cesar conta que o processo de seleção dos motoristas é restritivo, visando a segurança dos clientes e da plataforma como um todo. “Estamos prezando pela qualidade do serviço do que pelo volume e também teremos bônus para os motoristas bem avaliados”, diz o CEO da startup.

Quanto ao uso de mais de um aplicativo por motorista em cidades como São Paulo, ele reconhece: “vai acontecer”. No entanto, a estratégia é conquistar a preferência dos profissionais de mobilidade urbana com o programa de pontuação para condutores.

Na categoria Blue, os descontos por viagens são de 25% (com o cashback de 5%, ele pode ser de 20%). Na Black, são de 23% (sendo de até 18%, com o cashback). Para taxistas, o desconto é de 20% (também com até 5% de cashback).

Cofundadores

O 4Move surgiu a partir de uma ideia de Cesar em 2011, quando ele conta que tinha que usar transporte público para cursar seu MBA. O ex-analista de projetos do banco Bradesco engavetou a ideia até que o custo estimado de 4 milhões de reais para o desenvolvimento do aplicativo fosse viável.

Ao apresentar a ideia a amigos, ele conseguiu três sócios: Hector Felippe (CFO), Adriano Soncini (Novos Negócios) e George Gomes (CIO). Alguns deles chegaram a abandonar seus empregos e dedicarem-se integralmente ao desenvolvimento do novo serviço brasileiro de mobilidade ainda na fase inicial do projeto.  

A sede da empresa fica no Alto de Pinheiros, em São Paulo, onde os motoristas selecionados receberão o treinamento necessário para atuar como parceiros do 4Move, sejam eles condutores de veículos particulares ou taxistas.

Conteúdo originalmente publicado em Exame.com

via Superinteressante

iPhone 8 Plus supera dispositivos Android e é novo líder do ranking AnTuTu

Depois de o OnePlus 5 superar seus principais rivais no mercado Android para chegar ao topo do ranking do AnTuTu — um dos mais confiáveis serviços de benchmark mobile de atualidade —, agora foi a vez de este dispositivo chinês ficar para trás. Isso porque os dois novos aparelhos da Apple acabam de superar os Androids no ranking já mencionado.

De acordo com o blog do próprio AnTuTu, iPhone 8 PlusiPhone 8 conseguiram mais pontos do que seus principais rivais no mercado e assim chegaram à primeira e à segunda colocação, respectivamente. Eles superam não apenas o OnePlus 5, mas também HTC U11, Nuba Z17, Galaxy Note 8 e Galaxy S8.

Ranking do AnTuTu

É importante mencionar que este ranking é válido para o mês de setembro e não leva em consideração outros modelos de alto nível que chegaram recentemente — o que significa que não vemos nem os novos Pixel e nem o iPhone X na disputa. Será que no mês que vem teremos mudanças nessa lista?

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

Confira os possíveis preços dos iPhone 8 e iPhone X no Brasil

Preparem os bolsos e guardem o décimo-terceiro. Já temos novas previsões de valores para a chegada dos iPhone 8 e iPhone X no Brasil. Ao contrário da informação apocalíptica do colunista do jornal O Globo, Lauro Jardim, de que o iPhone 8 mais barato custaria proibitivos R$ 6,5 mil, as novas estimativas, divulgadas pelo site MacMagazine, causarão menos ataques cardíacos nos applemaníacos.

Segundo fonte ligada a Apple no Brasil, os primeiros a chegarem por aqui, assim como também aconteceu lá fora, serão os iPhones 8 e 8 Plus. Os modelos teriam a pré-venda iniciada já na próxima sexta-feira, 27 de outubro, e estariam disponíveis a partir de 3 de novembro nas prateleiras. O modelo mais barato, o iPhone 8 de 64 GB, custaria a partir R$ 3.999 – também conhecido como quatro mil reais -, chegando a até R$ 5.399 no modelo mais caro, o 8 Plus de 256 GB.

Já o aguardado iPhone X ainda não tem previsão de lançamento para o Brasil, mas também já teve suas estimativas de preço divulgadas: R$ 5.999, para a versão de 64 GB, e assombrosos R$ 6.999 para versão de 256 GB.

A lista completa dos preços estimados ficou assim:

  • iPhone 8 64 GB: R$ 3.999,00
  • iPhone 8 256 GB: R$ 4.799,00
  • iPhone 8 Plus 64 GB: R$ 4.599,00
  • iPhone 8 Plus 256 GB: R$ 5.399,00
  • iPhone X 64 GB: R$ 5.999,00
  • iPhone X 256 GB: R$ 6.999,00

A Apple ainda não se pronunciou oficialmente sobre os preços dos novos iPhones no Brasil. Em todo caso, é bom ir preparando o bolso.

via Canaltech

Organização diz que Galaxy S7 é superior ao iPhone 8

A Consumer Reports é uma organização sem fins lucrativos que realiza análises e recomendações de produtos para consumidores norte-americanos e que, por diversas vezes, já causou polêmicas por ir na contra-mão da preferência popular e contestar a qualidade de produtos de grandes marcas. Desta vez, a organização recomendou aos usuários que comprem os smartphones topo de linha da Samsung ao invés do iPhone 8.

A análise leva em conta vários fatores de utilização diária, em especial os aspectos indispensáveis para um bom smartphone, como qualidade nas ligações e na conectividade. Com os critérios sendo analisados minuciosamente, a organização criou uma lista de dispositivos recomendados em que o Samsung Galaxy S8 e S8+ aparecem no topo da lista com 81 pontos em 100 possíveis. Na segunda posição aparece o Galaxy S7, que conta com 80 pontos, mesma pontuação do iPhone 8. Galaxy Note 8 e LG G6 também aparecem com 80 pontos na listagem.

Apesar da pontuação dos quatro últimos aparelhos serem iguais, a Consumer Reports recomenda o Galaxy S7, visto que ele se sai melhor em dois aspectos importantes para o uso diário. A organização aponta que o smartphone da Samsung possui uma qualidade sonora nas chamadas telefônicas maior do que o iPhone 8 e uma autonomia de bateria superior.

A avaliação chama a atenção, visto que o Galaxy S7 é um dispositivo lançado em 2017, enquanto que o iPhone 8 e o Galaxy Note 8, por exemplo, foram lançados recentemente e contam, teoricamente, com especificações que os deixariam em superioridade.

As vendas do iPhone 8 parecem não estar indo tão bem como a Apple esperava. Analistas também acreditavam que o novo lançamento da Maçã continuaria o sucesso de vendas de alguns dos seus antecessores. A explicação, no entanto, é que muitos estão preferindo esperar para conferir as novidades do iPhone X. No que depender da recomendação da Consumer Reports, as vendas do iPhone 8 ficarão ainda mais comprometidas.

via Canaltech

%d blogueiros gostam disto: