A relação entre Blockchain e a cultura de dados

Por Leonardo Dias*

A combinação de dados e inteligência artificial (IA) está provocando a disrupção dos mais variados setores da indústria. Empresas inovam ao adotar tecnologias capazes de auxiliar na tomada de decisões assertivas em relação aos seus consumidores. Por já estar inserida nas decisões rotineiras de companhias de alta performance, a análise de dados transformou-se em cultura. Com isso, os gestores tendem a deixar de se basear apenas em suas opiniões e suposições para tomar decisões baseadas em números, diminuindo a margem de erro e atuando de maneira mais estratégica.

Enquanto as informações coletadas serviam exclusivamente para serem processadas e armazenadas como referência, a necessidade de sua constante presença e análise era muito menor. A partir do momento que algoritmos passaram a ser capazes de se reprocessarem de acordo com a variação dos dados, as empresas começaram a valorizar essas informações e todas as oportunidades que carregam.

O mesmo ocorre em relação as Blockchains – sistema de registros que garante a segurança das operações realizadas por criptomoedas, como as Bitcoins. Elas são formadas por blocos que, apesar de não serem muito grandes, transacionam cada vez mais, o que aumenta o volume trafegado. Com a utilização das Blockchains por bancos e outras instituições financeiras, existe uma demanda maior de ferramentas de análise dessas redes. Como o volume pode ser enorme, utilizar as mesmas tecnologias de Big Data permitem o processamento de algoritmos capazes de detectar padrões e anomalias, além de apontar como ocorrem essas transações eletrônicas.

Como as redes das Blockchains são abertas, é possível analisar as informações trafegadas. Tal verificação é fundamental na auditoria e rastreio das transações financeiras realizadas dessa forma, possibilitando a investigação de crimes realizados com cibermoedas, usadas com a finalidade de ocultar os pagamentos e recebimentos. Além disso, toda a navegação dos dados pode ser feita por meio de ferramentas de Big Data, o que possibilita identificar como são realizadas e quais os principais pontos de origem e destino. E assim prever potenciais transações fraudulentas ou atividades criminosas.

A tendência é que nos próximos anos a economia mude. Não por causa das blockchains, mas por conta do crescente uso de criptomoedas, que estão criando um novo modelo econômico para as pessoas que não confiam nas instituições tradicionais para a administração de suas finanças. Os bancos do futuro deverão ser capazes de prestar serviços com essas moedas emergentes e serem competitivos o bastante para não perderem seus clientes para startups que realizem gestões de carteiras eletrônicas. Para sobreviver, as organizações bancárias precisarão se reinventar e se adaptar. As mudanças atuais são apenas o começo de toda uma revolução financeira.

*Leonardo Dias é CDO e co-fundador da Semantix, empresa especializada em Big Data, Inteligência Artificial, Internet das Coisas e Análise de dados.

via Canaltech

CT News – 17/11/2017 (Caminhão elétrico da Tesla)

Amazon começa a vender eletrodomésticos no Brasil // Samsung Gear Sport e IconX no Brasil // Caminhão elétrico da Tesla // Encontre seu sósia perdido

Ouça ao podcast.

via Canaltech

Médico revela ter feito transplante de cabeça bem sucedido, só que em cadáveres

O neurocirurgião italiano Sergio Canavero chamou atenção de toda a comunidade científica e da mídia em 2015, ao prometer que até 2017 realizaria um transplante completo de cabeça entre humanos.

Em 2016, Sergio afirmou ter feito um transplante de cabeça entre macacos, mas disse não ter publicado nenhum estudo sobre a cirurgia que, segundo relatos do próprio cientista, não contou com o religamento da medula espinhal.

Logo após essa revelação, uma série de publicações científicas foi feita pela equipe de Sergio sobre cortes e reatamento de medula espinhal em diversos animais vivos, mas os estudos não encontraram validação científica ao não precisar com exatidão a metodologia usada e não contar com controles de variáveis.

Hoje pela manhã, Canavero noticiou o sucesso do que ele chamou de primeiro transplante de cabeça humana. A comunidade científica, entretanto, não esperava que o neurocientista fosse realizar o feito prometido em 2015 com cabeças de cadáveres humanos.

Outra promessa anterior de Canavero é realizar o transplante de cabeça de um homem russo chamado Valery Spiridonov, que sofre de uma atrofia na musculatura da espinha conhecida como Síndrome de Werdnig-Hoffmann e se dispôs a ser cobaia do primeiro transplante de cabeça em seres humanos vivos, a acontecer em dezembro de 2017.

Até lá, a comunidade científica segue cética com o trabalho de Canavero, que até agora não recebeu validação do seu trabalho como cientista por parte dos colegas de profissão.

via Canaltech

Inventor da World Wide Web teme pelo futuro da internet

"O sistema está falhando". É assim que Tim Berners-Lee, o inventor da World Wide Web, enxerga a internet atual, e teme pelo seu futuro, se as coisas seguirem o caminho atual. Ainda assim, ele acredita ser um otimista com relação ao futuro da rede.

Questões como a reversão das proteções de neutralidade de rede, a proliferação de notícias falsas nas redes sociais, a maneira que a publicidade tem sido conduzida no ambiente virtual e a crescente polarização da web são as que mais incomodam Lee. Sua visão de "uma plataforma aberta que permite a qualquer pessoa compartilhar informações, oportunidades de acesso e colaborar através dos limites geográficos" vem sendo desafiada por grandes corporações, que dominam os serviços online com algoritmos um tanto quanto controversos.

"Nós temos que ranger os dentes e segurar a cerca, garantindo que a web nos levará a coisas maravilhosas", declarou. "As pessoas estão sendo distorcidas por bots muito bem treinados que descobrem como distraí-las", disse, ainda, sobre como os usuários de serviços virtuais são bombardeados por publicidade direcionada, sendo que há plataformas que oferecem a criadores de conteúdo uma parte dessa receita publicitária. Esse incentivo financeiro leva a muitos usuários, especialmente jovens, a publicar notícias falsas ou, no mínimo, sensacionalistas, para atrair uma grande quantidade de acesso.

Lee disse, ainda, que "a forma como a receita de anúncios funciona com clickbbaits não está cumprindo o objetivo de ajudar a humanidade a promover a verdade e a democracia, então estou preocupado". Mas ele acredita que ainda não seja tarde demais para reverter esse cenário, desde que as pessoas desafiem o status quo.

"Um dos problemas com as mudanças climáticas é fazer com que as pessoas percebam que isso é criado pelas pessoas. O mesmo acontece com as redes sociais – elas são feitas pelo homem. Se eles não estão servindo a humanidade, eles podem e devem ser mudados", declarou. Lee segue firme e forte na opinião de que a internet deva continuar sendo um espaço aberto, sem que seja preciso pedir permissões para se expressar livremente.

O inventor da web acredita que as grandes empresas que controlam o acesso à internet representam uma ameaça à inovação. "O gás é uma utilidade, assim como a água limpa, e a conectividade também deveria ser encarada dessa forma. Ela é parte da vida, e não devem ter um controle sobre o que você usa", encerrou Lee.

via Canaltech

Pesquisador ganha US$ 100 mil da Google por achar falha no Chrome OS

Um pesquisador especializado em segurança ganhou uma recompensa de nada menos do que US$ 100 mil da Google, por ter descoberto uma falha no Chrome OS, o sistema operacional da gigante. O programa de recompensas da Google existe desde 2015, premiando quem detectar brechas em seus produtos que passaram batidas pela sua equipe de desenvolvimento.

Chamado Gzob Qq, o pesquisador descobriu, na verdade, uma série de vulnerabilidades que poderiam permitir a execução de códigos indesejados no SO, e essa é a segunda vez que ele é agraciado com a recompensa da Google. O problema da vez foi reportado em setembro, permitindo que a companhia providenciasse as correções de segurança antes que a notícia da brecha fosse divulgada por aí.

As falhas detectadas pelo especialista foram devidamente corrigidas na última atualização do Chrome OS, liberada na semana passada a todos os usuários.

via Canaltech

Black Friday: como não perder tempo nas compras online

A Black Friday tá chegando! E se você pretende aproveitar a data para fazer umas comprinhas online, então fica de olho nessa dica para fugir dos formulários e ganhar mais tempo na hora de aproveitar aquela promoção tão esperada.

Assista ao vídeo.

via Canaltech

Conheça os 11 recursos mais legais do Model S, o sedã elétrico da Tesla

Lançado nos Estados Unidos em 2012, o Model S é um dos modelos de carro elétrico mais populares da Tesla. O sedã ainda não chegou ao Brasil, mas a companhia de Elon Musk, no ano passado, anunciou que esse veículo seria também lançado por aqui, apesar de, até hoje, não haver uma previsão de sua chegada no território brasileiro.

O carro chama a atenção não somente por ser elétrico, não consumindo combustíveis fósseis, como por atingir uma veloicidade de até 240 km/h, sendo que o veículo bateu um recorde ao sair do 0 para os 100 km/h em apenas 2,3 segundos. Ainda, seu design moderno e elegante agrada aos olhos de gregos e troianos, mas, talvez, os maiores atrativos do modelo sejam seus recursos para lá de tecnológicos.

Confira, então, os 11 recursos mais legais do Model S:

1) Piloto Automático

Voltado para pessoas com mobilidade restrita, o piloto automático do Model S é capaz de controlar seu acelerador, freios e direção em várias situações diferentes. O piloto consegue até mudar de pista se o motorista ativar o sinal de rotação do veículo. Ainda não se trata de um sistema de direção autônoma, mas, com o perdão do trocadilho, é uma "mão na roda".

2) Modo Ludicrous Plus

Para desfrutar de todo o potencial de aceleração do Model S, existe o Modo Ludicrous Plus, que pode ser ativado pressionando esta opção no menu de configurações por 5 segundos sem parar. Feito isso, o veículo perguntará se você tem certeza de que deseja acelerar tanto assim em tão pouco tempo, já que isso desgasta o motor e, caso você escolha o "sim", poderá ver seu carro atingindo os 100 km/h em uma fração de segundos.

3) Carregadores rápidos

Quando precisamos sacar dinheiro por aí, procuramos por caixas automáticos espalhados pela cidade, certo? O mesmo acontece com usuários de carros elétricos da Tesla nos Estados Unidos, que contam com pontos de carregamento rápido em diversas cidades e estradas do país. Basta encostar, plugar, aguardar uma horinha e sair rodando pelas ruas novamente.

4) Atualizações de software

Assim como nossos smartphones têm seus sistemas e aplicativos constantemente atualizados, contando com melhorias de segurança e aprimoramento de funcionalidades, os recursos do Model S também são atualizados com certa frequência. Dessa forma, melhorias no piloto automático ou no modo Ludicrous Plus, por exemplo, são facilmente recebidas pelo usuário.

5) Serviços de streaming

Ouvir rádios convencionais já deixou de ser hábito de muitas pessoas, e os serviços de streaming estão dominando este mercado. O Model S acompanha a tendência e, como o carro é conectado à internet, a Tesla permite que o motorista curta um som por meio de serviços como o Slacker ou TuneIn.

6) Pesquisas na internet

Apesar de ter sido considerado um pouco lento, o navegador de internet da Tesla funciona bem no Model S. O motorista pode acessar páginas quase que à vontade, não podendo apenas carregar vídeos na tela – por razões de segurança. Afinal, se estiver assistindo a um episódio tenso daquela série que você acompanha, pode acabar se envolvendo um acidente de carro, não é mesmo?

7) Suspensão com levantamento automático

Enquanto muitos veículos de luxo ou off-road contam com uma suspensão pneumática que pode ser ajustada para melhor atender às condições de condução, o Model S traz uma suspensão com levantamento automático, além da opção manual. Quando você levantar a suspensão em um determinado ponto de seu trajeto, o veículo se lembrará disso quando você passar por ali de novo, ajustando a suspensão automaticamente.

8) Sensores de estacionamento

Há décadas existem carros equipados com sensores de estacionamento, mas a Tesla aprimorou este recurso no Model S. Em vez de o sensor simplesmente emitir apitos agudos quando detectam a proximidade de algum obstáculo, a versão da Tesla mostra onde o tal objeto está, e a que distância.

9) Chave inteligente

Além de ser desenvolvida no formato de um carrinho simpático, a chave do Model S também é inteligente. Sem botões visíveis, ela permite, além de abrir as portas do carro, abrir somente o porta-malas, desbloquear o carro e trancá-lo. Com alguns comandos especiais também se pode usar a chave para ativar recursos específicos, sendo que é possível fazer com que o carro saia sozinho de um ponto do estacionamento, chegando até você, mesmo que você não esteja comandando sua direção fisicamente falando.

10) O aplicativo

O motorista do Model S pode usar o aplicativo móvel, instalado em seu smartphone, para convocar seu veículo. O app também permite bloquear ou desbloquear o carro, e acender suas luzes. Ainda, o app exibe em um mapa onde seu carro está, e também oferece controles climáticos para ajustar sua temperatura interior.

11) Recursos escondidos

Além de todos esses recursos bacanas, o Model S também traz alguns escondidos, para quem adora "fuçar" e descobrir coisas novas. Existe uma plataforma de desenho para que o motorista pratique suas técnicas artísticas dentro do carro, e, acionando um recurso pelo display, o GPS mostrará seu Model S como se ele fosse um rover exploratório em Marte. Parece bobeira, mas são detalhes divertidos como estes que fazem do sedã elétrico da Tesla um verdadeiro objeto de desejo!

via Canaltech

Apple libera o quarto beta da atualização do iOS 11.2 para desenvolvedores

Desenvolvedores registrados no programa de testes da Apple já podem baixar o quarto beta da atualização do iOS 11.2. Impressiona a rapidez com que as novas edições do sistema operacional da Maçã estão sendo lançadas.

O quarto beta do 11.2 chega quatro dias depois do terceiro e um dia depois da atualização iOS 11.1.2 estar disponível. Sem contar que há pouco mais de duas semanas a Apple liberou a primeira atualização do seu sistema operacional, o iOS 11.1.

Uma das novidades do beta 4 é o Apple Pay Cash, serviço de pagamento peer-to-peer que vai funcionar por meio do aplicativo Mensagens, via app dedicado iMessage, o serviço próprio da Apple. O usuário poderá fazer transferência de dinheiro para seus contatos a partir de um cartão de débito ou de crédito vinculado à conta Apple.

O dinheiro recebido será armazenado em um cartão Apple Pay Cash no app Wallet e poderá ser usado para compras ou enviado a uma conta bancária.

Mudanças no Centro de Controle

O iOS 11.2 vai adicionar uma barra embaixo dos ícones que ficam na parte superior da tela de bloqueio, com o objetivo de tornar o movimento de acesso ao Centro de Controle mais definido. Essa melhoria vai funcionar para o iPhone X.

Outra mudança no Centro de Controle, desta vez disponível para todos as gerações do iPhone aptas para iOS 11, é a introdução de duas janelas pop-up informativas. Elas vão surgir quando o usuário interagir com o Wi-Fi ou Bluetooth. Esses pop-ups vão informar que as duas funcionalidades são desativadas temporariamente quando acessadas a partir do Centro de Controle, e não permanentemente.

Já os proprietários do iPhone X, 8 e 8 Plus poderão experimentar um suporte mais rápido para carregamento sem fio de 7,5 W feito em dispositivos de terceiros.

Bug corrigido e novos recursos

Outro problema que será corrigido é um bug na Calculadora, que impedia a digitação rápida de números e símbolos. As animações que surgiam nesses casos serão eliminadas.

O iOS 11.2 também terá uma nova opção de Reprodução para controlar o conteúdo da Apple TV no Centro de Controle, emoji de câmera redesenhado, uma nova carga de animações para efeitos no Live Photo e novos papéis de parede Live para o iPhone X.

via Canaltech

Skyrim já está disponível para Playstation VR e Nintendo Switch

Conforme prometido pela Bethesda, chega nesta sexta-feira (17) The Elder Scrolls V: Skyrim, já disponível para Nintendo Switch e para o PlayStation VR, plataforma de realidade virtual do console PlayStation 4.

No Switch

Com isso, os donos do Switch agora podem curtir o premiado game, originalmente lançado em 2011, que agora oferece melhorias interessantes na parte de jogabilidade, incluindo a possibilidade utilizar os sensores de movimento dos Joy-Cons para realizar os movimentos de combate e algumas outras ações no game.

Além disso, a versão para o console portátil inclui todos os DLCs, bem como roupas e equipamentos de The Legend of Zelda e itens que podem ser desbloqueados com a utilização dos amiibos.

Para o Playstation VR

Para os donos do PlayStation VR, Skyrim traz uma experiência única e imersiva no universo de The Elder Scrolls, disponibilizando o imenso mapa e missões do game original. Há também adaptações na parte de combate e exploração, tudo isso com o melhor que o sistema de realidade virtual do PlayStation 4 tem a oferecer.

Para comemorar o lançamento do Skyrim Playstation VR, a Bethesda publicou um incrível trailer em live action, intitulado de "Claws". Confira a seguir:

via Canaltech

Samsung trará assistente Bixby para suas Smart TVs

Apesar de o assistente de voz da Samsung não estar na lista dos mais populares, quando comparado com Siri e Google Assistente, por exemplo, a sul-coreana anunciou que levará o Bixby também para suas Smart TVs, indo além dos smartphones e tablets. Seu assistente estreou nos Galaxy S8, S8+ e Note 8 no início do ano.

A companhia documentou uma nova marca registrada para a novidade, chamada "Samsung Connected LIfe with Bixby" (ou "A Vida Conectada da Samsung com o Bixby", em tradução livre), e há rumores de que a companhia estaria planejando levar seu assistente também para speakers inteligentes em breve, concorrendo de maneira ainda mais acirrada com as rivais que já atuam neste mercado, como é o caso da Google e da Amazon.

No registro, a Samsung menciona o Bixby como um "software para televisores para encontrar serviços desejados e/ou conteúdos televisivos com o reconhecimento da voz do usuário". A companhia parece, portanto, seguir os passos da concorrência para não deixar esta fatia de mercado sem uma boa competição. A Google já integrou seu Assistente ao Android TV, também fazendo parte dos Google Home, enquanto a Siri consta na Apple TV e também fará parte do HomePod, que será lançado no ano que vem.

via Canaltech