O inferno gelado dos refugiados na Sérvia em 10 fotos

Eles vêm do Afeganistão, da Síria, do Iraque e do Paquistão. Alguns estão sozinhos, outros não têm mais que 15 anos. São refugiados que deixaram suas casas ou o que sobrou delas e hoje vivem em um depósito abandonado atrás de uma importante estação de trem em Belgrado, capital da Sérvia.

Apesar do governo do país afirmar que é capaz de abrigá-los, 2 mil pessoas estão nas ruas – e, no momento, enfrentam temperaturas negativas desesperadoras de -15ºC e cerca de 30 cm de neve.  Vale lembrar que mais da metade deles são crianças e adolescentes.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCR, sigla em inglês) estima que 7,2 mil refugiados estão na Sérvia. Desde que a União Europeia e a Turquia assinaram um acordo no último ano para restringir o número de imigrantes que chegam de barco, muitos deles foram caminham pelos Bálcãs para chegar à Sérvia, país que não faz parte da União Europeia. De acordo com o governo sérvio, em média 150 pessoas entram no país de forma irregular todos os dias – e metade deles são menores de idade.

Como é de se esperar, o frio não é o único entrave de quem está nas ruas. A comida é escassa e a presença de organizações humanitárias também. O resultado não poderia ser diferente: as fotos de Belgrado se parecem com imagens feitas durante a 2ª Guerra Mundial.

 

via Superinteressante

Boeing divulga traje das futuras missões espaciais

Novo uniforme deverá ser usado já a partir de 2018

Em 2018, os quatro astronautas da nave espacial Starliner usarão um traje mais moderno, desenvolvido pela Boeing. A maior vantagem é dar mais conforto e mobilidade aos aventureiros, que irão usar a roupa apenas dentro da nave. Ou seja, a roupa não serve para caminhadas espaciais.

O uniforme completo, com sapatos integrados, pesa 9 quilos – 4,5 kg a menos que o icônico traje alaranjado usado pelos tripulantes da Estação Espacial, por exemplo. As luvas possuem touchscreens capacitivos e são mais facilmente removíveis. Até mesmo o capacete é mais moderno, com uma espécie de zíper que simplifica a colocação e o deixa mais leve.

Leia mais…

via Novidades do TecMundo

Câmera do Google Tradutor agora traduz palavras do japonês para o inglês

O recurso conhecido como Word Lens agora é capaz de compreender os ideogramas japoneses e traduzi-los diretamente para o inglês, tudo ao vivo

O recurso Word Lens, implantado no aplicativo Google Tradutor e que serve para traduzir palavras por meio de imagens captadas pela câmera do celular, agora está disponível no idioma japonês. Com ele, ler coisas escritas mesmo nos complicados ideogramas da Terra do Sol Nascente agora pode ser uma atividade simples.

Para utilizar o Word Lens em seu app do Google Tradutor, basta atualizá-lo através da Play Store, caso utilize um aparelho com sistema Android, ou na App Store, se possuir um iPhone ou iPad. Com o recurso funcionando em seu smartphone, basta ativar a câmera no botão do aplicativo e apontá-la para aquilo que quer traduzir. Também é possível traduzir os escritos de arquivos de imagem que você tenha no seu celular.

Leia mais…

via Novidades do TecMundo

Inteligência Artificial para todos

Intelig

Por Maurício Prado*

Pense em um aplicativo que você utiliza diariamente. Seria o Waze, que calcula o melhor caminho para o seu trabalho? Ou o Spotify, que sugere playlists personalizadas? A Siri, que responde suas perguntas no iPhone? O Netflix, que indica filmes e séries com a sua cara? Ou o Google, que traduz textos para qualquer língua em segundos? Independente das suas preferências, sabe o que esses aplicativos têm em comum? Todos funcionam com recursos de Inteligência Artificial (IA). Se para você IA significa o Exterminador do Futuro ou robôs e sabres de luz, saiba que ela já está transformando nossas vidas.

Albert Einstein nos ensinou que a genialidade consiste em tirar a complexidade e tornar as coisas simples. É isso o que está acontecendo com IA. Você não precisa ser um especialista em Machine Learning, a ciência que dá a máquinas a possibilidade de aprender algo sem ter sido programadas. Pode-se pular este requisito para apreciar a eficácia e a melhoria dos aplicativos de reconhecimento de imagens, busca na Internet e compras online entre outros para perceber que a inteligência artificial pouco a pouco se tornou algo normal e imprescindível em nossa rotina. E isso é apenas o começo. Segundo o Gartner, os algoritmos mudarão o comportamento no ambiente de trabalho de mais de 1 bilhão de pessoas no mundo até 2020.

De olho nesse mercado, as maiores empresas do mundo já estão investindo também em produtos conectados ("Internet das Coisas") para melhorar seus serviços, produtos e o relacionamento com clientes. No futuro próximo, cada produto ("coisa") será um canal de atendimento e relacionamento entre empresa e cliente. De acordo com o relatório MarketsandMarkets, a indústria de IA deve ultrapassar os US$ 5 bilhões até 2020, com um crescimento anual (CAGR) de 53,65%.

Mas há ainda outra explicação para essa corrida das empresas pela adoção da tecnologia: algoritmos e inteligência nas máquinas farão com que a Internet das Coisas reduza erros e US$ 1 trilhão por ano em custos com manutenção, serviços e consumíveis em 2022, diz o Gartner. Além das companhias já citadas, outras de diferentes segmentos também estão utilizando IA, como Sony, Hyundai, Kawasaki, Amazon e Air France-KLM.

As pequenas e médias empresas, no entanto, ainda estão em desvantagem, devido aos altos custos referentes a infraestrutura, expertise técnica e recursos computacionais necessários para a implementação da novidade. Isso porque, para funcionar, IA precisa ter acesso a grandes bancos de dados com informações sobre os usuários, indicadores de mercado, características e estudos, para que especialistas criem algoritmos avançados para “ensinar” os computadores a reconhecer padrões nesses dados e apresentar as melhores soluções para cada tipo de problema.

Para facilitar o acesso à Inteligência Artificial, gigantes da tecnologia estão investindo em formas de democratizar seu uso, como a Salesforce – que lançou sua plataforma de IA baseada na nuvem (Salesforce Einstein) em um evento com mais de 170 mil participantes no último mês de outubro.

Com a “Inteligência Artificial para todos”, as empresas poderão entregar aos clientes experiências muito mais inteligentes, personalizadas e preditivas. Ou seja: ao que tudo indica, o que vimos até agora em IA foi só o começo de uma verdadeira revolução.

Nos próximos anos, segundo um estudo da Universidade de Stanford, veremos a popularização de carros e caminhões autônomos; drones fazendo entregas; robôs para serviços domésticos; massificação dos dispositivos para monitorar a saúde pessoal e cirurgias feitas por robôs; realidade aumentada utilizada para educação; convergência de ferramentas para entretenimento; modelos preditivos para evitar a poluição ou melhorar a distribuição de alimentos para a população carente; câmeras, drones e programas para analisar padrões criminais e aumentar a segurança. Bem-vindos ao futuro onde IA é para todos.

*Maurício Prado é gerente geral da Salesforce Brasil.

via Canaltech

Samsung Galaxy S8 chega no dia 29 de março, diz site; confira as especificações

Galaxy S8

O frisson em torno do próximo flagship da Samsung ganhou mais força nesta terça-feira, depois que Evan Blass, dono do famoso perfil @evleaks no Twitter, soltou informações quentíssimas para o Venture Beat.

A sul-coreana, pelo visto, está se preparando para lançar dois modelos bem diferentes dos que já conhecemos da linha Galaxy, de acordo com uma fonte ligada à empresa. Dessa vez ele virão sem os tradicionais botões de navegação que fizeram parte da linha durante sete anos, e trarão telas ainda maiores que as grandalhonas que a marca já vende com seus Galaxy Note. 

Ambos os modelos — um com tela de 5,8 e outro com tela de 6,2 polegadas — vão trazer um display QHD Super AMOLED que cobre 83% de toda a parte frontal do aparelho, como indicou o britânico The Guardian. E devido a esse tamanho, digamos, "diferentão", a proporção da tela também vai sofrer uma alteração, resultando em 18,5:9 (ao contrário do que prega a indústria, com o padrão 16:9). E dessa vez, ambos vão atacar de Edge, trazendo bordas curvas dos dois lados. 

Quanto ao poder de fogo, todo o desempenho vai ficar a cargo do poderoso processador Snapdragon 835 ou do Samsung Exynos, dependendo da região de venda. Ambos os chipsets contam com arquiteturas semelhantes, de 10 nanômetros, e prometem desempenho praticamente igual, garantindo um ganho de performance de 11% em cima do Galaxy S7, e gráficos 23% mais rápidos. Os aparelhos vão chegar com 4GB de RAM, com espaço de armazenamento interno partindo de 64GB, expansíveis via cartão microSD.

Tudo isso ainda ganha um bônus energético de 20% na bateria em relação à versão atual. A Samsung teve que pensar muito bem nessa questão, já que um gadget com tela maior e componentes atualizados certamente exigirá mais da bateria. No entanto, ao que dizem as fontes, a capacidade de bateria vai se manter nos 3000 mAh para a versão menor e nos 3500 mAh para o irmão maior. O carregamento da bateria também se mantém conservador, com fio, usando a porta USB-C do aparelho. 

Em andamento…

via Canaltech

Vendas de smartphones devem voltar a crescer no Brasil neste ano, aponta IDC

Smartphones

Após um 2016 complicado para o setor, as vendas de smartphones devem voltar a crescer no Brasil a partir deste ano, revelam as previsões de mercado divulgadas nesta quinta-feira (26) pela consultoria IDC. A expectativa é que o setor cresça 3,5% em 2017.

A retomada do mercado de smartphones, no entanto, não deve ficar por conta da melhora da economia do país – que ainda seguirá com baixo crescimento e alto desemprego nos próximos meses –, mas sim da necessidade de atualização da base instalada brasileira de aparelhos.

De acordo com a consultoria, cerca de 37% dos consumidores do país realizaram a última compra de um smartphone em 2015, e podem agora decidir pela troca do dispositivo por um modelo novo neste ano – levando em consideração o tempo médio de troca de smartphones no Brasil, de 2 anos.

Depois de cinco anos de altas consecutivas, o comércio nacional de smartphones começou a cair a partir de 2015, quando registrou uma baixa de 13,4% nas vendas em relação ao ano anterior, com cerca de 47 milhões de unidades vendidas.

Os dados consolidados de 2016 ainda não foram divulgados pela consultoria, mas a expectativa é que uma queda ainda mais significativa seja registrada, com entre 40 e 42 milhões de unidades vendidas. A estimativa é que o mercado brasileiro de smartphones é hoje avaliado em cerca de US$ 11 bilhões.

Realidade aumentada e virtual ainda em experimentação

Ainda na área de produtos, a IDC vê 2017 como um ano de expansão das tecnologias de realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR), mas ainda em período de "experimentação".

A consultoria estima que uma a cada dez grandes companhias com atuação voltada para consumidores finais devem fazer algum tipo de experimentação de marketing com as tecnologias neste ano. Segundo a IDC, áreas como arquitetura, serviços, varejo e industria estão entre aquelas com mais valor a tirar do VR e AR.

No mercado consumidor, as duas tecnologias também devem avançar. A expectativa é que a base instalada de dispositivos dobre neste ano no país, ultrapassando a marca de 100 mil produtos comercializados em 2017.

via Canaltech

Porta-voz de Donald Trump divulga suas senhas no Twitter por engano

Sean Piecer

Nesta quinta-feira (26), o secretário de imprensa da Casa Branca, Sean Spicer, pode ter tuitado sua senha por engano. Apesar do porta-voz de Donald Trump ter apagado rapidamente as mensagens do seu perfil, o grupo hacktivista Anonymous conseguiu salvar e divulgar as imagens.

A suspeita de que os tweets continham senhas confidenciais surgiram devido ao conteúdo dos posts: sequências de oito caracteres aparentemente aleatórios. Não é possível ter a certeza de que realmente trata-se de códigos de acesso legítimos de algum membro da Casa Branca, mas com certeza podemos dizer que foi uma bola fora de Spicer.

Dada a alternância de letras e números, e até mesmo a repetição uma sequência contendo apenas letras, podemos dizer que isso se parece muito com uma senha bem fraca gerada aleatoriamente.

Para o azar do secretário de imprensa, caso o tweet seja realmente de suas senhas, os hackers devem estar a todo vapor tentando utilizar as combinações em todas as outras contas imagináveis em nome de Spicer.

No entanto, para quem não acredita na possibilidade de um tweet por engano, usuários da plataforma têm outras explicações plausíveis para os tweets: um gato passeando pelo teclado ou celular desbloqueado no bolso.

Vale lembrar que algo bem parecido aconteceu aqui no Brasil recentemente. Na ocasião, o Portal Brasil, perfil verificado do Twitter responsável por postar em tempo real notícias sobre o Governo Federal, publicou um link do Google Drive contendo todas as senhas das redes sociais do Planalto.

via Canaltech