99 começa a instalar câmeras de segurança em carros do aplicativo

Dispositivos começam a operar em São Paulo em fase de testes; Segundo empresa, iniciativa visa oferecer mais segurança aos usuários do serviço


A 99 anunciou nesta terça-feira (18) que começou a instalar câmeras de monitoramento nos carros da plataforma na tentativa de oferecer mais segurança aos usuários do aplicativo. 

Os dispositivos começam a operar em São Paulo em fase de testes. Nos próximos meses, o número de aparelhos poderá ser ampliado para mais veículos em outras cidades do país, informou a 99 por meio de comunicado à imprensa.

Como vai funcionar

A companhia explica que as câmeras serão diretamente conectadas à Central de Segurança da 99 e que os dispositivos irão garantir acesso às imagens em tempo real. Nessa central, a 99 diz que “os dados serão processados e mantidos em confidencialidade”. Além disso, a 99 pretende no futuro incluir lentes com visão noturna e olho de peixe para dar um ângulo mais amplo do que acontece no carro. A empresa ainda diz que está analisando a possibilidade de subsidiar o aparelho aos motoristas

O objetivo é que o monitoramento iniba eventuais incidentes. A tecnologia vai operar aliada à inteligência artificial da 99, que monitora o perfil de todas as chamadas. A ideia é que o aplicativo possa identificar situações de risco e tomar as medidas cabíveis, acompanhando o que acontece no veículo. O material também poderá ser usado para ajudar na identificação pessoas que cometerem infrações.

“O dispositivo aumentará ainda mais o nível de monitoramento das viagens feitas pelo app, com foco em prevenção”, diz Leonardo Soares, Diretor de Segurança da 99. “O aumento de proteção será para os dois lados, passageiros e motoristas”.

Segurança

A empresa de mobilidade urbana, que hoje integra a gigante chinesa DiDi Chuxing, informa que montou uma equipe especialmente dedicada à segurança. Ela é composta por mais de 50 pessoas incluindo ex-militares, engenheiros de dados e psicólogos. “O time trabalha 24 horas por dia, sete dias por semana, cuidando exclusivamente da proteção dos usuários”, diz a 99.

Esse time será responsável pelo monitoramento das imagens e pode ajudar passageiros e motoristas, caso necessário. 

 

via IDG Now!

Tesla é investigada nos EUA por tuítes de Musk sobre saída da bolsa

Empresa confirmou nesta terça-feira, 18/9, ter sido contatada pelo Departamento de Justiça sobre afirmações feitas pelo seu CEO em agosto.


A Tesla está sendo investigada pelo Departamento de Justiça dos EUA por conta dos tuítes publicados em agosto pelo seu CEO Elon Musk sobre uma possível saída da empresa da bolsa de valores.

A informação sobre a investigação pelo governo americano foi publicada inicialmente pela Bloomberg, que citou duas pessoas próximas do assunto como fontes. Depois disso, a própria Tesla confirmou ter sido contatada pelo Departamento de Justiça.

“No mês passado, após o anúncio de Elon de que estava considerando fechar o capital da empresa, a Tesla recebeu um pedido voluntário por documentos do Departamento de Justiça e respondeu de forma cooperativa”, afirmou a fabricante em um comunicado sobre o assunto enviado à Bloomberg

Além disso, a Tesla destaca que não recebeu uma intimação, solicitação de testemunho ou outro processo formal. “Respeitamos o desejo do Departamento de Justiça de obter informações sobre isso e acreditamos que o assunto será resolvido rapidamente à medida que eles analisam as informações que receberam.” 

Entenda o caso

A história sobre a possível saída da Tesla da bolsa de valores teve início em 7 de agosto, quando Musk publicou em seu perfil no Twitter que “estava considerando fechar o capital da Tesla por 420 dólares (a ação)” – o que fez com que fosse aberta uma investigação sobre a companhia por parte do órgão regulador SEC (Securities and Exchange Comission) nos EUA.

Depois disso, o CEO fez alguns posts no blog da empresa para defender essa mudança operacional – veja aqui (texto de 7 de agosto) e aqui (texto de 13 de agosto) a íntegra dos dois posts. No entanto, a recepção não foi das melhores dentro da companhia.

Isso porque o conselho de diretores da Tesla chegou a formar um comitê especial para barrar qualquer proposta de Musk neste sentido – o comitê seria formado por Brad BussRobyn Denholm e Linda Johnson Rice, conforme reportagem da CNET.

Por conta da recepção negativa, Musk desistiu da ideia no final de agosto, quando anunciou que o capital da companhia continuará aberto. “Apesar de a maioria dos acionistas com quem falei terem dito que continuariam com a Tesla caso fechássemos o capital, o sentimento, em poucas palavras, era ‘por favor, não faça isso”, afirmou Musk em um post intitulado “Staying public”, publicado no blog da Tesla.

No texto, o executivo também destacou que tinha ficado claro que o processo para fechar o capital da Tesla seria ainda mais demorado e distrativo do que o previsto inicialmente, o que contribuiu para a decisão de manter o capital aberto. 

“Isso é um problema porque devemos absolutamente ficar focados em construir o Model 3 e nos tornar lucrativos. Não iremos alcançar a nossa missão de avançar com a energia sustentável a não ser que também sejamos financeiramente sustentáveis”, explica Musk no texto.

via IDG Now!

Ministério Público denuncia grupo que roubou R$30 milhões em fraudes bancárias

A Polícia Civil cumpriu nesta segunda-feira, 17/9, 30 mandados de prisão contra a organização criminosa, que teria cometido as fraudes entre 2016 e 2017.


O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) apresentou nesta semana denúncia à Justiça contra 45 integrantes de uma organização criminosa nacional responsável por fraudes bancárias superiores a 30 milhões de reais.

Realizadas por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), essas denúncias fazem parte da segunda fase da operação Open Doors, iniciada em 2017, e são focadas nos “cérebros” da organização. “Aqueles que têm o domínio sobre o cometimento dos crimes – os chamados ‘hackers’, além de pessoas relacionadas à lavagem de dinheiro e outras funções operacionais”, afirma o órgão sobre os acusados nesta nova etapa.

De acordo com a Agência Brasil, foram cumpridos 30 mandados de prisão contra a organização criminosa nesta segunda-feira, 17/9, que também teria realizado lavagem de dinheiro para ocultar a origem do dinheiro.

Conforme estimativa do Ministério Público, o grupo roubou mais de 30 milhões de reais de contas bancárias entre 2016 e 2016 por meio de transações fraudulentas nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Santa Catarina e Bahia.

via IDG Now!

Facebook tem queda na disseminação de fake news, aponta estudo

Engajamento com sites propagadores de notícias falsas diminuiu na rede social, segundo Universidade de Stanford; O mesmo não se reflete no Twitter


Interações com perfis disseminadores de notícias falsas caíram no Facebook nos últimos dois anos, mas cresceram no Twitter, segundo um artigo publicado por pesquisadores em um estudo sobre desinformação da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Os autores analisaram 570 sites dos Estados Unidos classificados por eles como produtores de conteúdo falso entre janeiro de 2015 e julho de 2018. As fontes de conteúdos falsos foram comparados com páginas e perfis de veículos tradicionais e pequenos de mídia bem como de cobertura segmentada em temas como negócios e cultura.

Segundo a análise, o engajamento (likes, compartilhamentos e comentários) com mensagens desses sites cresceu entre janeiro de 2015 e os meses finais de 2016, logo após as eleições presidenciais dos Estados Unidos. O grupo de sites estudado teve nível de engajamento semelhante às 38 principais páginas de mídia verificadas na pesquisa.

A partir de 2017, as interações caíram mais de 50% no Facebook. No fim de 2016, a plataforma chegou a ter picos de 200 milhões de interações por mês no conjunto dos sites analisados. A média caiu para 70 milhões de engajamentos por mês. “Embora as evidências sejam longe de definitivas, nós vemos como consistente a ideia de que a magnitude geral do problema da desinformação pode ter reduzido, pelo menos temporariamente, e que os esforços do Facebook após as eleições de 2016 para limitar a difusão de desinformação podem ter tido um impacto significativo”, dizem os autores no texto.

Desde dezembro de 2016, o Facebook anunciou um conjunto de medidas que teriam como objetivo barrar a difusão de desinformação dentro da plataforma. Foram celebrados acordos com agências de checagem, marcação de conteúdos como falsos, redução do alcance dessas mensagens e derrubada de contas falsas.

Apesar disso, os pesquisadores alertam que os níveis de engajamento com notícias falsas continuam altos e que o Facebook tem um papel importante nessa disseminação. O número de 70 milhões de interações por mês nesses sites de notícias falsas foi considerado pelos autores uma média considerável de reações, compartilhamentos e outras formas de circulação de conteúdos enganosos.

Twitter

Já no Twitter, entre 2017 e 2018 os autores do estudo identificaram uma ampliação de reações, compartilhamentos e outras formas de interação com mensagens enganosas. Enquanto a média mensal de compartilhamentos estava em 2 milhões em janeiro de 2015, em julho de 2018 ela havia chegado a quase 6 milhões por mês.

Na comparação de interações entre Facebook e Twitter, a proporção teve uma queda considerável, saindo de 45:1 (45 engajamentos no Facebook para 1 compartilhamento no Twitter) em 2016 para 15:1 no meio de 2018.

No início do mês, o diretor executivo do Twitter, Jack Dorsey, depôs a um comitê do Senado dos Estados Unidos quando admitiu que a empresa não lidou adequadamente com o problema da desinformação e que não estava preparada para o fenômeno. A plataforma vem focando sua atuação na derrubada de contas falsas, não tendo adotado medidas como a identificação de conteúdos questionados por agências de checagem, como Facebook e Google.

 

via IDG Now!

Como empresas devem se preparar para a mão de obra 4.0

Tema será apresentado no IT Forum X; Especialista orientará companhias e dará dicas para desenvolver projetos de social selling


A adoção do teletrabalho cresceu de 2% para 40%, segundo estudo recentemente divulgado pela OIT. A estimativa é de que no futuro o escritório físico será parte da história da humanidade, mudando radicalmente a forma de fazer negócios. O novo modelo de trabalho também abre uma porta para outras mudanças não só nos negócios, como também na cultura.

Esse cenário levanta múltiplas questões. Como fica, por exemplo, a empregabilidade no setor? Como será a adaptação das empresas e dos times frente à esse novo desafio? Para orientar as companhias nessas questões, apresentar dicas para desenvolver projetos de social selling nessa era digital e facilitar o desenvolvimento de projetos voltados ao assunto, apresenta-se no IT Forum X, Ricardo Lima, executivo da Vendas Sociais da Cast. O evento é promovido pela IT Mídia será realizado nos dias 17 e 18 de outubro, no Transamérica Expo Center, em São Paulo (SP).

Lima é executivo comercial do Grupo Cast, empresa de TIC End to End do Brasil, além de consultor em Social Selling especialista no mercado B2B de TIC. Ele adaptou metodologias de vendas como solution selling, challenger selling (criada em 2008 nos EUA) para uma processo de apoio e venda de projetos de TI utilizando social selling, monitorando ações de concorrentes, passos dos clientes e prevendo ações estratégicas em projetos com tickets médios de 7 milhões.

Com essa abordagem, o executivo virou referência nacional no ecossistema SAP Brasil e referenciado como modelo na condução do que eles chamaram de “projetos de vendas” para todas as consultorias do Brasil pelo diretor Commercial SAP Brasil.

IT Forum X 2018

O IT Forum X é um evento B2B que reúne toda a comunidade cuja vida profissional é influenciada pela Tecnologia. Transportes, Supply Chain, Logística, Recursos Humanos, Marketing e Vendas, TI, Finanças, Compras, entre outros, reunindo as principais empresas de tecnologia e telecom com os decisores do mercado. Realizado nos dias 17 e 18 de outubro no Transamérica Expo Center, na cidade de São Paulo, o evento oferece experiências com muita interatividade e conteúdo de alta qualidade.

Quer participar? Inscreva-se aqui.

 

via IDG Now!

Pesquisadores criam AI que gera ressonâncias sintéticas de tumores cerebrais

Pesquisa foi desenvolvida por time de pesquisadores da Nvidia; Esses ‘pseudo-exames’ podem ser usados para treinar algoritmos no futuro


Um dos grandes desafios do aprendizado de máquina (machine learning, em inglês) é o grande volume de dados que se necessita para treiná-lo. Para treinar um novo algoritmo é preciso uma grande pilha de informações meticulosamente categorizadas para que a tecnologia possa aprender por conta própria. Caso contrário, a solução em si pode não funcionar ou, se funcionar, entregar resultados enviesados. No caso da inteligência artificial com vocação para a área médica a questão se mostra ainda mais delicada. Se esses dados utilizados não forem representativos de todas as populações ou contextos, a solução pode se mostrar ineficiente.

Mas pesquisadores da Nvidia, em colaboração com a Mayo Clinic, o MGH & BWH Center for Clinical Data Science, acreditam que chegaram a uma solução para essa lacuna: ressonâncias sintéticas geradas por AI. O time de pesquisadores criou uma inteligência artificial especificamente desenhada para reproduzir varreduras cerebrais de pacientes que, na verdade, não são reais e são complementadas com uma ampla gama de tumores. Esses “pseudo-exames” podem ser usados para treinar algoritmos no futuro quando pesquisadores não tiverem dados reais para treinar os seus. 

O estudo foi publicado nesta semana e explica o uso do chamado Generative Adversarial Networks (GANs, na sigla em inglês) para gerar tais algoritmos que, em resumo, conseguiriam “gerar” tumores. Isso é importante uma vez que GANs poderiam ajudar a expandir os bancos de dados que médicos e pesquisadores precisam trabalhar, especialmente, quando se trata particularmente de tumores cerebrais particularmente raros. Além disso, o sistema poderia oferecer uma solução para os desafios de privacidade que rodeiam o uso de dados de pacientes, uma vez que as imagens sintéticas não estão amarradas a pacientes específicos, é uma forma mais segura de lidar com dados fora dos limites de um hospital. 

Para a pesquisa, o time usou um sistema Nvidia DGX com a estrutura de aprendizagem profunda PyTorch para treinar o GAN em dois conjuntos de dados do cérebro disponíveis publicamente – um com imagens de cérebros com doença de Alzheimer e o outro com imagens de cérebros com tumores.

Mas há outros desafios, explicam os pesquisadores. Uma vez que a biologia de um tumor não é inteiramente compreendida, pesquisadores não conseguem apenas criar uma imagem de um tumor do zero, o sistema ainda precisará de, pelo menos, uma imagem real de um tumor. Mas o objetivo final, explicam, é que o sistema ajude médicos a aprender mais sobre tumores cerebrais raros. 

 

via IDG Now!

Venda de celulares cai 5,5% no Brasil no 2º trimestre de 2018

Levantamento da IDC também mostra predomínio dos smartphones intermediários e a continuidade da demanda pelos feature phones.


O mercado brasileiro de celulares fechou o primeiro semestre deste ano em queda, com vendas de 24,122 milhões de aparelhos, número 3,7% menor em relação aos 25,048 milhões comercializados no mesmo período do ano passado, segundo dados da IDC Brasil. Conforme levantamento da consultoria, a retração foi menor nos três primeiros meses de 2018 (-1,8%), quando foram vendidos 12,071 milhões de celulares. No período entre abril e junho, essa queda se acentuou, chegando a 5,5%, com os 12,050 milhões de dispositivos comercializados. 

Deste total de aparelhos vendidos no segundo trimestre, 11,415 milhões foram smartphones – contra 635 mil features phones. Assim como no primeiro trimestre, os smartphones intermediários, com preços entre 700 reais e 1.100 reais, dominaram o segmento, com 6,1 milhões de unidades vendidas.

A consultoria destaca ainda que o mercado precisou lidar com momentos desfavoráveis no período, como a greve dos caminhoneiros, que impactou o abastecimento de produtos, e a própria Copa do Mundo, que “causou um gap nas vendas do varejo em dias de jogos” – sem contar a crise econômica enfrentada pelo país há anos. 

Por outro lado, a receita no setor subiu 5% entre abril e junho deste ano, quando foram registrados 13.950 milhões de reais em vendas. Isso pode ser explicado pela alta de 11% no ticket médio dos smartphones no país, que passou de 1.099 reais para 1.222 reais entre o segundo trimestre de 2017 e 2018. 

A expectativa da IDC para o mercado de smartphones é fechar o ano com 46 milhões de aparelhos vendidos, uma queda de 2,9% em relação a 2017, quando foram comercializados 47,7 milhões de aparelhos.  

Feature phones

A venda dos celulares mais simples, também conhecidos como feature phones, também teve queda no segundo trimestre, embora ela tenha sido menor do que o esperado pelo mercado. 

Entre abril e junho de 2018, foram vendidos 635 mil aparelhos desse tipo, 10,5% a menos do que no mesmo período de 2017. Já o ticket médio dessa categoria teve aumento de 19%, um reflexo do aumento do dólar, conforme a consultoria, passando 117 reais para 139 reais.

Para os próximos meses, a IDC Brasil prevê que as vendas de feature phones continuem em queda, mas em ritmo menor. O ano deve fechar com 2,7 milhões de feature phones vendidos, contra os 3,084 milhões de 2017. 

via IDG Now!

Cielo levará oficinas gratuitas de marketing digital a 24 cidades brasileiras

Oficinas de capacitação do ‘Cielo na Estrada’ têm apoio do Facebook e acontecem entre setembro e dezembro


Entre os meses de setembro e dezembro, a Cielo vai percorrer o Brasil com uma loja itinerante para apoiar o empreendedor em suas necessidades de negócio por meio de soluções que melhor se encaixam no seu perfil, independentemente do tipo ou tamanho da empresa. A iniciativa “Cielo na Estrada” também compartilhará dicas sobre gestão e marketing digital. Com um caminhão personalizado, mais de 12,5 mil quilômetros serão rodados através de 24 cidades, contemplando todas as regiões do país, informou a Cielo em comunicado à imprensa.

As oficinas de capacitação sobre ferramentas de marketing digital serão realizadas no palco do caminhão e contam com o apoio do Facebook em 14 cidades com o “Programa Impulsione o seu Negócio”. Em outros quatro municípios, os visitantes terão acesso a palestras gratuitas com dicas sobre empreendedorismo e a importância da presença no meio digital. Segundo a Cielo, os módulos de conteúdos vão variar de acordo com as necessidades e interesses do público de cada cidade, identificados por meio de pesquisas para entender o comportamento dos empreendedores e as demandas locais.

O conteúdo das palestras também estará disponível em formato de vídeos e matérias no blog da Cielo, assim como nas redes sociais da companhia.

“Acreditamos que os empreendedores formam a espinha dorsal da economia. Quando os empreendedores crescem, eles contratam mais e, para isso, precisamos empoderá-los e fortalecer as comunidades locais. Por isso, teremos oficinas de capacitação em várias cidades para auxiliar na digitalização do empreendedor”, afirmou Duda Bastos, diretora de Marketing da Cielo.

A Cielo também informa que quem visitar o caminhão vai poder sair de lá com soluções de pagamento, além de opções de serviços e produtos da companhia que contribuem com a administração e promoção do negócio. 

O “Cielo na Estrada” ficará por dois dias em cada uma das cidades do roteiro, estacionado em locais de alto fluxo de pessoas. “O roteiro foi estabelecido levando em consideração quatro pilares de oportunidades: credenciamento de novos clientes, migração e integração para Cielo LIO, visibilidade da marca e produtos, apoio para o varejista atender a legislação/emissão de nota-fiscal”, explica a Cielo.

A programação e a lista completa das cidades pode ser acessada no link

 

via IDG Now!

Com The Crown e GoT, Netflix e HBO empatam em prêmios no Emmy 2018

No total, cada empresa levou para 23 estatuetas da principal premiação da TV. Black Mirror e Barry também se destacaram no evento.


O Netflix e a HBO empataram em número de prêmios no Emmy 2018, realizado nesta segunda-feira, 17/9, nos Estados Unidos. Cada uma das empresas foi para casa com 23 estatuetas, conforme informações da Variety.

Vale lembrar que a edição deste ano da premiação da TV marcou a primeira vez que o Netflix superou a HBO em número de indicações, com 112 contra 108, colocando fim à liderança de quase duas décadas do canal fechado.

Pelo lado do Netflix, o grande destaque ficou com The Crown, que ganhou 5 prêmios em um total de 13 indicações. Outros programas da plataforma que se deram bem na noite foram Black Mirror e Godless, que levaram, respectivamente, quatro e três prêmios.

Como não poderia deixar de ser, o principal nome da HBO foi Game of Thrones, que levou um total de 9 prêmios, incluindo melhor série de drama. Além disso, também se destacou a estreante Barry, cujo protagonista Bill Hader ganhou a estatueta de melhor ator em série de comédia.

Clique aqui para ver a lista completa dos indicados e vencedores da edição de número 70 do Emmy.

via IDG Now!

Nubank lidera ranking de startups mais desejadas no Brasil; veja lista completa

Nova edição do LinkedIn Top Startups Brasil traz ainda companhias como Creditas, Guia Bolso, Docket, QuintoAndar, Loggi e Mandaê.


A fintech Nubank lidera o ranking das startups mais desejadas pelos profissionais no Brasil, conforme a edição 2018 do levantamento LinkedIn Top Startups, que busca descobrir “quais startups estão merecendo a atenção e as horas de trabalho dos melhores talentos”.

Para isso, a rede social profissional analisa um total de quatro critérios, com base em dados entre julho de 2017 e julho de 2018: crescimento do quadro de funcionários, interesse de candidatos a vagas de emprego na companhia, engajamento do usuários com a empresa e seus funcionários, e nível de atração exercida pela startup sobre talentos oriundos das empresas que compõem a lista LinkedIn Top Companies.

Segundo o LinkedIn, o Nubank contratou mais de 800 profissionais nos 12 meses até julho de 2018 e deverá ter mais 200 vagas (em finanças e engenharia) até meados do ano que vem.

Fintechs em alta

A lista também traz outras fintechs nas primeiras colocações, como a companhia de crédito Creditas, que aparece em segundo lugar, e a Stone Pagamentos, em 5º lugar. Também marcam presença no Top 5 o Guia Bolso e a Docket, que ocupam, respectivamente, a terceira e a quarta colocação.  

Conhecido como “Uber das imobiliárias”, o QuintoAndar aparece na sexta posição, seguido por nomes como Loggi, em 8º, Mandaê, em 13º, e Mercado Bitcoin, em 16º. Clique aqui para ver a lista completa com as 25 startups mais desejadas do Brasil.

Metodologia

Para serem elegíveis ao Top Startups, as empresas precisam ter no máximo 7 anos de existência, empregar pelo menos 50 funcionários, pertencer à iniciativa privada e ter sede no Brasil. 

Em um comunicado sobre a lista, o LinkedIn destaca ainda que foram excluídas todas as companhias de recrutamento, think tanks, organizações sem fins lucrativos, aceleradoras e entidades governamentais.

via IDG Now!