Epic Games anuncia política de reembolso de jogos na loja virtual

A loja virtual Epic Games Store agora conta com uma política compreensiva de reembolso de valores despendidos em jogos, segundo tuíte publicado pelo diretor de estratégia de publishing da empresa, Sergey Galyonkin. Segundo o executivo, jogos que tenham até 14 dias passados da data de seu lançamento e menos de duas horas jogadas poderão ter seu valor de compra integralmente devolvido ao usuário.

Se isso lhe soa familiar de alguma forma, é porque estes são parâmetros iguais aos praticados pela concorrente da Epic e líder de mercado Steam Store, da Valve Corporation.

Galyonkin disse que a Epic está trabalhando em um formulário específico de reembolso e que, enquanto este não fica pronto, os usuários deverão abrir tíquetes de requisição de suporte para reembolsos. O diretor também disse que a empresa está trabalhando em uma ferramenta de reviews de usuário, mas uma que vai adotar medidas contra a prática conhecida como review bombing, ou seja, o ato de postar avaliações negativas em um jogo por motivos que não relacionados ao próprio jogo. Ele também disse que publishers e estúdios de desenvolvimento terão a opção de exibir os reviews em suas lojas ou não.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A Epic Games Store foi originalmente lançada em dezembro de 2018, estando em vista de completar dois meses de vida. Contudo, muito rapidamente, o marketplace da empresa que criou Fortnite vem se tornando o maior concorrente da Steam, que dominou o mercado de distribuição digital de jogos no PC por décadas. A razão para isso reside na oferta mais atraente a publishers e estúdios: enquanto a loja da Valve pede 30% do faturamento de cada venda para todos os jogos, a Epic Games Store exige apenas 12%.

A oferta mostrou-se tão atraente que algumas produtoras já anunciaram que futuros títulos serão vendidos no PC exclusivamente pela Epic Games Store, como é o caso de Tom Clancy’s The Division 2, da Ubisoft.

A loja está presente em 130 países, de acordo com outro tuíte de Sergey Galyonkin, mas a maioria deles ainda é cobrado em dólares por padrão — incluindo o Brasil. Segundo o executivo, a Epic está, aos poucos, inserindo as moedas locais como opção de compra, mas isso leva tempo. Ele não ofereceu um prazo para isso ser alterado.

Fonte: Twitter

via Canaltech

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *