Graças à sonda InSight, a humanidade agora pode ouvir os ventos de Marte

Pela primeira vez na história, podemos ouvir o som dos fortes ventos marcianos. Enquanto a sonda InSight, que chegou ao Planeta Vermelho no final de novembro, se prepara para ativar seus instrumentos científicos que medirão abalos sísmicos e estudarão o interior do planeta Marte, seu sensor de pressão de ar junto com o sismógrafo conseguiram gravar o áudio dos ventos do planeta.

“Uma das coisas às quais nossa missão é dedicada é medir o movimento de Marte e, naturalmente, isso inclui o movimento causado pelas ondas sonoras”, explica Bruce Banerdt, principal investigador da missão InSight. De acordo com as estimativas dos cientistas, o vento gravado soprava entre 10 e 16 mph.

O sensor de pressão de ar da sonda detectou as vibrações diretamente, enquanto o sismógrafo registrou as vibrações causadas pelo vento soprando em seus painéis solares. “Os painéis solares nas laterais da sonda responderam às flutuações de pressão do vento. É como se a InSight estivesse colocando suas orelhas para fora e ouvindo o vento de Marte batendo nelas. Quando olhamos a direção das vibrações da sonda vindas dos painéis solares, ela corresponde à direção do vento esperada no local de pouso”, disse Tom Pike, que faz parte da equipe da missão.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

No vídeo abaixo, você também pode ouvir os ventos de Marte. Para tal, a NASA recomenda usar fones de ouvido ou um subwoofer porque o tom é bem baixo, mas o pessoal da agência elevou o áudio em duas oitavas para facilitar a audição geral.

A gravação é especialmente preciosa porque esse tipo de captura por meio do sismógrafo só é possível durante esses estágios iniciais da missão porque, uma vez que seus instrumentos estiverem todos devidamente posicionados, uma cúpula será acionada para proteger a InSight contra o vento, com os cientistas filtrando ativamente o ruído vibratório para obter os dados mais precisos possível. Afinal, o principal objetivo do sismógrafo da sonda é detectar os “Marsquakes”, nome dado aos abalos sísmicos marcianos similares aos terremotos de nosso planeta e, portanto, é necessário haver uma estabilidade para lá de precisa para que os dados capturados sejam os mais reais possível.

Mas novos áudios do ambiente de Marte estão a caminho no futuro próximo. Não pelos “ouvidos” da InSight, mas sim pelos dois microfones que serão instalados no rover Mars 2020, que será lançado em 2020 e chegará ao Planeta Vermelho no ano seguinte.

Fonte: NASA

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *