CEO da Apple reforça iniciativas contra supremacistas e discurso de ódio

Em evento nos EUA, Tim Cook também afirmou que as empresas de tecnologia não podem ter medo de se posicionarem contra mensagens de ódio e discriminação


O CEO da Apple, Tim Cook, recebeu nesta semana um prêmio da Anti-Defamation League, nos EUA, quando destacou iniciativas da empresa contra mensagens de ódio em suas plataformas. As informações são do Ars Technica.

“Desde o início do iTunes até hoje em dia com o Apple Music, sempre proibimos músicas com uma mensagem de supremacia branca. Por que? Porque é a coisa certa a fazer. E como mostramos neste ano, não daremos uma plataforma para teóricos da conspiração violentos na App Store”, afirmou o executivo ao subir no palco do evento em Nova York, conforme a reportagem.

Apesar de não citar nominalmente, a afirmação de Cook sobre “teóricos da conspiração” parece direcionada a Alex Jones e sua plataforma Infowars, cujo aplicativo foi banido permanentemente da App Store em setembro – na época, diversas outras empresas de tecnologia, como YouTube e Facebook, também barraram canais e páginas ligadas ao Infowars. 

Sem medo

Além disso, aponta o Ars Technica, o CEO da Apple disse que as empresas de tecnologia não devem ter medo de se levantarem contra mensagens de ódio e discriminações de todos os tipos.

“Meus amigos, se não podemos ser claros em questões morais como essas, então nós temos grandes problemas. Na Apple, não temos medo de dizer que os nossos valores direcionam as nossas decisões de curadoria. E por que faríamos isso? Fazer o que é certo – criar experiências livre de violência e ódio, experiência que empoderem a criatividade e as novas ideias – é o que os nossos clientes querem que façamos.”

via IDG Now!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *