Ataque hacker contra Marriott vira alvo de investigação do Ministério Público

Órgão instaurou inquérito civil público para receber informações detalhadas do caso e apurar as responsabilidades por danos causados


O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) anunciou nesta semana a abertura de um inquérito civil público para investigar o ataque hacker sofrido pela rede de hotéis Starwood Hotels and Resorts, uma subsidiária da Marriott.

O caso foi confirmado na última sexta-feira, 30/11, pela Marriott, que diz lamentar muito o incidente de segurança em um comunicado sobre o assunto. Cerca de 500 500 milhões de clientes da rede tiveram informações pessoais afetadas, incluindo nome, endereços, número de passaporte e informações da conta na rede hoteleira – alguns dos registros também incluíam dados criptografados de cartão de crédito. 

Autor do inquérito em questão, o promotor de justiça e coordenador da Unidade Especial de Proteção de Dados e Inteligência Artificial (Espec), Frederico Meinberg, aponta que o incidente é grave e trata-se de um dos maiores já relatados em âmbito mundial.

“Os dados expostos, como número do passaporte e informações sobre a data de chegada e partida, permitem conhecer a movimentação de pessoas como diplomatas, adidos militares e de inteligência, negociadores, empresários, políticos, chefes de estado”, afirma.

No documento, o Ministério Público solicita “informações detalhadas” sobre o caso para poder investigar as circunstâncias do incidente e apurar as responsabilidades pelos danos causados.

via IDG Now!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *