Aplicativo pode diagnosticar anemia a partir de fotos das unhas

Já imaginou um app para celular que pode diagnosticar se uma pessoa está ou não com anemia apenas com uma foto? Pois esse aplicativo já existe. O app ainda sem nome foi criado por Wilbur Lam, da Universidade de Emory (Atlanta), e tem o objetivo de servir como uma alternativa mais simples e menos dolorosa às pessoas que precisam fazer testes recorrentes para checar o nível de anemia.

O programa funciona de modo bem simples: o usuário deve tirar uma foto da ponta dos dedos da mão (sem estar usando esmaltes ou qualquer tipo de base), e o programa irá comparar a imagem com um banco de dados com fotos de pacientes com diferentes níveis de anemia, definindo o estado de saúde do paciente através da coloração de suas unhas.

Estudos recentes mostraram que a coloração da pele em algumas partes do corpo, como as unhas, servem como um indicador confiável do quão anêmica uma pessoa está. Isso acontece porque a pele debaixo das unhas não contém nenhum tipo de pigmentação, então a única coisa que dá cor a essas partes é a quantidade de hemoglobina existente no sangue, e o aplicativo de de Lam utiliza esses estudos como base de sua ideia de funcionamento.

Ainda que os resultados não sejam tão exatos quanto um exame de sangue, a consulta por aplicativo deverá ajudar os pacientes que precisam manter o nível de hemoglobinas no corpo controlado a não precisar ficar toda semana indo ao laboratório furar o dedo ou comprar kits de auto-verificação de anemia, que costumam ser relativamente caros. O app ainda precisa passar por uma série de testes antes de ser disponibilizado para o público, mas promete ser de grande ajuda para aqueles aqueles que fazem parte dos grupos de maior risco de anemia, como idosos, crianças e mulheres grávidas.

A anemia, uma condição médica na qual o paciente possui níveis baixos de hemoglobina (célula vermelha do sangue, responsável pelo transporte de oxigênio para as células do corpo), afeta mais de 2 bilhões de pessoas no mundo todo, e caso não seja tratada pode causar fadiga, doenças cardíacas e até interrupção de gravidez.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *