Sonda da NASA chega ao asteroide Bennu e vai coletar amostras de sua superfície

Depois de uma jornada de dois anos pelo Sistema Solar, a sonda OSIRIS-REx, da NASA, enfim chegou ao asteroide Bennu, posicionando-se a apenas 20 quilômetros de sua superfície. Isso significa que, agora, a sonda inicia uma nova fase de sua missão: o mapeamento da superfície do asteroide para encontrar o local ideal onde coletará amostras, trazendo-as à Terra para estudos.

Com as amostras em mãos, os cientistas da NASA poderão estudar com mais afinco não somente as propriedades do asteroide, mas também a formação do Sistema Solar. Acredita-se que os asteroides sejam pedaços de rocha remanescentes dos estágios de formação de nosso quintal espacial, contendo, portanto, os chamados blocos de construção do Sistema Solar quando ele ainda estava “nascendo”. Então, os asteroides servem como um elo entre o tempo presente e o passado longínquo do sistema onde vivemos.

Concepção artística mostra a OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu (Imagem: NASA)

Ainda, os cientistas acreditam que os asteroides possam ser responsáveis pelo florescer da vida na Terra, pois é possível que essas rochas tenham trazido para cá os elementos precursores da vida como a conhecemos, iniciando-se um longo processo de evolução até que os primeiros tipos de vida surgiram, resultando na biodiversidade que temos hoje em dia.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Bennu foi escolhido por conta de sua composição e órbita, sendo este um asteroide rico em carbono (elemento essencial para a vida orgânica). Então, é possível que Bennu contenha compostos orgânicos semelhantes aos que fizeram a vida surgir na Terra e, além disso, o asteroide é considerado como potencialmente perigoso, pois há uma pequena chance de ele entrar em contato com a Terra nos anos 2100. Por isso a OSIRIS-REx foi enviada especialmente para lá, também com o objetivo de estudar sua órbita e confirmar essa possibilidade.

No total, a missão da sonda da NASA durará sete anos. No dia 31 de dezembro, a sonda se inserirá na órbita de Bennu, e este será um novo momento histórico para a agência espacial: é que Bennu é o menor objeto do Sistema Solar a ser orbitado por uma espaçonave. O asteroide tem menos de 520 metros de largura e, portanto, é um objeto difícil de se orbitar, uma vez que sua gravidade não é forte o suficiente para “puxar” a espaçonave. Para se manter em órbita, a sonda realizará regularmente manobras de correção de percurso.

Ali, serão coletados cerca de 2 quilos de material por meio de um instrumento que sairá da espaçonave e encostará na superfície do asteroide. Depois disso, a OSIRIS-REx iniciará seu retorno à Terra, com previsão de chegada para setembro de 2023.

Fonte: The Verge

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *