Sistema Solar pode abrigar centenas de objetos interestelares, diz estudo

O Oumuamua pode não ser o único objeto misterioso proveniente de outro sistema estelar a nos visitar: um novo estudo, conduzido por pesquisadores de Harvard indica que podem existir 350 objetos interestelares no Sistema Solar — e quatro deles já foram identificados como fortes candidatos com a ajuda do Large Synoptic Survey Telescope (LSST).

Para tal, a equipe usou modelos computacionais para analisar objetos do Sistema Solar que apresentam fatores considerados excêntricos, como inclinação, período orbital, distância do periélio, entre outros. Dessa maneira, entre os potenciais 350 objetos que vieram de outro sistema estelar e, de alguma maneira, "caíram" no Sistema Solar, os quatro a seguir foram identificados: 2018 TL6, 2017 SV13, 2011 SP25 e 2017 RR2 — sendo que 66, do total de 350, podem se juntar aos quatro por meio de detecções feitas pelo LSST.

A equipe sugere o uso da espectroscopia de alta resolução para medir as proporções de substâncias químicas nas caudas desses objetos, o que poderia bater o martelo quanto à sua origem. Esse tipo de pesquisa é importante porque tais objetos podem fornecer dados valiosos para aprendermos mais sobre como os sistemas planetários se formam e como seus objetos podem interagir com outros sistemas estelares.

Esses objetos ficam presos no Sistema Solar porque Júpiter, nosso maior gigante gasoso, forma seu próprio sistema com o Sol, com sua intensa gravidade coletando objetos à medida que eles passam por ali. "O sistema Sol-Júpiter atua como uma rede de pesca que coleta objetos interestelares. Existem alguns milhares de objetos presos no Sistema Solar", declarou um dos autores da pesquisa.

O Oumuamua foi detectado passando pelo Sistema Solar no ano passado e rendeu muita polêmica desde então. Inicialmente, foi categorizado como um asteroide, depois como um cometa, depois como asteroide de novo, e houve até quem especulasse que ele seria, na verdade, alguma espécie de sonda alienígena enviada para nos estudar.

Recentemente, a NASA tentou observá-lo usando um telescópio poderoso, mas não encontrou nada na região em que o Oumuamua deveria estar, de acordo com as simulações de sua órbita. Isso não significa que o objeto não existe, tampouco que ele era mesmo uma nave alienígena que estaria navegando em rotas imprevisíveis para nós: para a agência espacial, na verdade isso mostra que o objeto deve ser muito menor do que o imaginado e, por isso, o telescópio não conseguiu visualizá-lo.

Seja como for, ele é um objeto para lá de especial, já que foi confirmado que sua origem não se deu no Sistema Solar. Agora, abrem-se as portas para a descoberta de muitos outros objetos que ficaram "presos" em nosso sistema, cuja origem também é desconhecida.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *