Cientista desenvolve “bife” vegetariano com textura de carne verdadeira

A cidade de Barcelona, na Espanha, pode contar em breve com a presença de "carnes" vermelha e de frango em seus cardápios, feitas com a ajuda de uma impressora 3D.

A ideia veio do cientista italiano Giuseppe Scionti, residente de Milão, que desenvolveu os alimentos livres de qualquer tipo de carne, usando apenas proteína em pó de arroz, ervilhas e algas.

Com ajuda do software CAD, Scionti criou um programa capaz de transformar a matéria prima, que é inserida na máquina com a ajuda de uma seringa, em um longo micro-filamento que, então, é moldado no formato de um bife. O alimento diz ter a mesma textura das carnes verdadeiras e, por isso, tem o objetivo de combater o impacto ambiental causado pela indústria da carne.

Falsa carne de boi crua produzida com a impressora 3D (Foto: Reprodução/Daily Mail)

A máquina, desenvolvida na Universidade Politécnica da Catalunha, é capaz de produzir mais de 100 gramas de bife vegetariano cru entre 30 e 50 minutos. A invenção já foi apresentada a chefs de grandes restaurantes e jornalistas da Espanha, que disseram que o produto tem a textura da carne, mas não o mesmo gosto.

Abaixo de um pedaço verdadeiro de frango, a carne falsa (Foto: Reprodução/Daily Mail)

"No entanto, isso não me preocupa, porque a tecnologia que imita o gosto de carne já foi desenvolvida há anos, mas o grande desafio era obter a consistência e textura parecida do animal, o que ainda não havia sido inventado", contou o cientista.

À esquerda, um filé real de frango. À direita, a carne falsa impressa em 3D (Foto: Reprodução/Daily Mail)

Scionti comentou também que o objetivo é produzir mais de 300 gramas do produto entre cinco a 10 minutos, custando menos de cinquenta centavos, destacando ainda as vantagens para o meio ambiente, reduzindo as emissões de gases causados pela indústria pecuária, que hoje representam 14,5% do total dos gases de efeito estufa emitidos por causa do ser humano.

 O cientista Giuseppe Scionti em sua impressora 3D (Foto: Reprodução/Daily Mail)

Um cozinheiro da universidade disse que o produto cozinha muito bem, então o que falta para que as carnes falsas ganhem o mercado é um pouco mais de investimento e tempo para testar novos protótipos até chegar à perfeição.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *