Airbnb pode começar a construir e vender casas em novo projeto

Um dos slides de PowerPoint mais famosos dos negócios modernos é aquele que diz que a “maior empresa de aluguel de quartos do mundo não tem nenhum quarto”, em alusão ao Airbnb. Pois bem, essa premissa pode cair por terra. O co-fundador da empresa disse nesta quinta-feira (29) que a empresa pode passar a investir em construção e comércio de imóveis.

Há dois anos, a companhia tem um laboratório chamado Samara, voltado a pesquisas em planejamento urbano e novas propostas de arquitetura. Tal laboratório, agora, anunciou o Backyard, o projeto que coloca em prática todas estas pesquisas feitas dentro da empresa.

“Com uma década de conhecimento acumulado em como as pessoas viajam, vivem e compartilham seus espaços, nós acreditamos que o Airbnb tem a responsabilidade e a oportunidade global de melhorar a forma como construímos e compartilhamos casas”, informa Gebbia em comunicado da companhia.

Ele usa todo um discurso de sustentabilidade e disrupção típicos dos CEOs de empresas modernas para falar que quer modificar a forma como as pessoas moram e compartilham casas. Contudo, o que se tira deste comunicado é que a empresa vai investir em novas construções físicas e agregar valor em casas para serem comercializadas e até mesmo compartilhadas.

“Após pesquisar a indústria da construção em busca de soluções práticas, concluímos que era necessário partir do zero. Se realmente vamos reimaginar o design das casas, temos que ser holísticos. Não podemos nos aproximar do Backyard unicamente do ponto de vista do design, arquitetura, urbanismo, ordenança cívica, materialidade sustentável ou manufatura. Temos que lidar com tudo isso, o que faz dele uma das condições mais complexas e interconectadas com as quais lidamos todos os dias”, comenta o co-fundador.

Em entrevista para o Fast Company, ele mantém o tom subjetivo das respostas: “O Backyard não é uma casa, é uma iniciativa para repensar o lar”.

Por conta disso, a empresa está contratando novos funcionários para começar o projeto, entre designers industriais, de interiores, engenheiros e arquitetos. Se você está interessado em participar deste processo, a empresa está com seleção aberta com formulário no site do projeto Samara.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *