A inovação foi sacrificada em nome do lucro

“Se é sempre necessário dizer a verdade aos clientes, não há negócio possível”, disse o dramaturgo francês Marcel Pagnol. Há muito a ser dito sobre essa frase atemporal, mas é claro que faz muito sentido quando aplicada ao campo da tecnologia. Se disséssemos aos usuários que a grande maioria das inovações que apresentamos como extraordinárias, na verdade, são inúteis, até mesmo risíveis, eles ainda estariam dispostos a gastar seu dinheiro de qualquer jeito?

Evolução

Esse é um assunto amplo, que pode ser abordado de várias maneiras e, ainda assim, não saberemos a resposta correta. O que é certo, no entanto, é a falta de grandes inovações nesse mercado que tanto amamos. Houve um tempo em que o objetivo era surpreender os usuários com novos recursos – coisas úteis e práticas. Hoje, encontramos uma série de características inovadoras, na maioria das vezes “emprestadas” de modelos concorrentes.

Vamos usar smartphones Android ou iOS como exemplo: o que podemos fazer hoje em nossos smartphones que já não podíamos fazer em um passado recente? É claro que tudo é mais rápido graças a componentes melhores – vimos uma evolução em termos de facilidade de uso e até de segurança.

Porém, em termos de inovação real, não há nada de novo. 5G? Ele é voltado para o futuro dos dispositivos conectados e não para o futuro dos smartphones. Inteligência artificial? A mesma coisa, com exceção dos desenvolvimentos da fotografia AI que têm seus benefícios.

AndroidPIT Smartphone Overheating 2592
Uma bateria com vários dias (até semanas) de autonomia, isso sim seria uma grande inovação / AndroidPIT

O desbloqueio do seu dispositivo evoluiu de usar um código simples para leitores de impressões digitais e reconhecimento facial. Economizamos dois segundos quando destravamos nosso dispositivo, o que é um grande negócio, mas é fato que em muitos casos a segurança é aumentada, embora isso seja discutível.

Se não podemos falar sobre inovação real, é fato também que as câmeras de smartphone evoluíram em alguns aspectos e agora produzem ótimos resultados (geralmente apenas em flagships, é claro). Uma inovação real que estamos vendo acontecer há alguns anos é o sistema de pagamento online: uma inovação que está diretamente ligada ao comércio e negócios, mas que ainda engatinha no Brasil.

…Inovação…

Em geral, é disso que se trata: comércio. O objetivo é comercial, de uma forma ou de outra. Seja uma “novidade” tecnológica para motivar uma compra ou um truque para torná-la mais rápida, voltamos ao mesmo ponto. Ter evoluções ao invés de inovações está começando a se tornar um problema: se tivermos que mexer no bolso, queremos ver revoluções e não smartphones que tenham mais RAM ou processadores tão poderosos que não saibamos o que fazer com eles.

Dq3MOgcVsAA2a94.jpg large
Depois de tantos anos de espera, finalmente vemos a chegada de smartphones dobráveis / Royole

Enquanto fazia algumas pesquisas no site do AndroidPIT, descobri um artigo publicado por um ex-editor em 2011. São 5 inovações, consideradas na época como futuristas. É importante notar que demorou até 2018 para vermos um projeto concreto de uma tela dobrável – uma inovação que nos foi prometida por muitos anos, e graças a Royole e à Samsung, se torna real.

Esta é uma inovação interessante (contanto que seja prática e funcional e não uma inovação meia boca que nem possa ser carregada no seu bolso de tão grossa): essa tela idealmente tornaria possível transportar facilmente um dispositivo com uma tela grande e usá-lo em movimento.

Outra inovação sedutora que desperta rumores todos os anos: uma bateria verdadeiramente duradoura. A autonomia ainda é um dos principais problemas dos smartphones (se não o principal). Usuários ingênuos como nós podem pensar que seu desenvolvimento deve ser uma prioridade, mas muitos outros estão dispostos a desembolsar 6 mil reais por um smartphone com pequenas melhorias, como uma câmera melhor, mais 1 GB de RAM, etc., então por que complicar a vida deles?

…Alienação!

É aqui que reside parte do problema. Enquanto houver demanda para esse tipo de oferta, haverá oferta. É óbvio que a verdadeira inovação exige muito esforço, mas ver tantos fabricantes nos mostrando evoluções simples ou mudanças geralmente inúteis sob o termo “inovação” está começando a prejudicar nossos olhos.

Mudando materiais, adicionando efeitos de luz nas traseiras dos dispositivos, colocando mais RAM ou processamento, propondo diferentes maneiras de fazer as coisas que já existem… Existem muitas maneiras de se esconder atrás do “progresso tecnológico”.

AndroidPIT wearables First aid
É o mercado de tecnologia que está irritando todos nós, não as tecnologias em si! / © AndroidPIT

Quem é o culpado? Fabricantes, porque eles se aproveitam da situação? Consumidores, porque eles são manipulados e pedem mais? É um círculo vicioso, mas quem se importa? A lavagem cerebral através de campanhas publicitárias de todos os tipos garante que a situação não mude, e a forma como as marcas alienam seus usuários (que muitas vezes permitem isso) garante que eles se identifiquem com uma marca e não mais com um aparelho ou com uma tecnologia.

Sem ir muito longe no assunto (a ajuda de um sociólogo seria necessária nesse momento), as pessoas já não parecem ter qualquer esperança e correm para as profundezas das armadilhas de marketing. As empresas, por outro lado, obviamente estão esfregando as mãos (entre os discursos sobre o bem-estar digital), já que podem maximizar seus lucros sem precisar serem muito criativos. As inovações são mínimas e os preços estão em alta, mas os smartphones a preços altos estão vendendo bem. Isso é mesmo um problema?

Certamente, parece que a tendência geral entre os consumidores é favorecer marcas que oferecem preços mais baixos (Xiaomi, OPPO…), em vez de marcas tradicionais que estão mergulhando de cabeça em uma estratégia de luxo/high-end, um fato confirmado por um estudo recente (que indica um declínio geral nas vendas de smartphones ao longo do ano).

Fabricantes, se vocês quiserem mudar essa tendência, terão que colocar a tecnologia de volta no centro dos smartphones e usar palavras apenas quando vocês realmente puderem dizê-las: o que você chama atualmente de inovação está, na verdade, longe disso.

O que você acha? Ainda há esperança de inovação no mercado de smartphones?

via Notícias do Android + Análises de Apps – AndroidPIT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *