Chrome 70 já está disponível e corrige problemas que surgiram na versão 69

A Google lançou nesta terça (16) a versão 70 de seu navegador Chrome para Windows, Mac e Linux. A atualização inclui uma série de mudanças, como a possibilidade de desconectar a entrada nas páginas da Google ao login do Chrome, a habilidade de criar uma lista de sites aos quais as extensões não terão acesso e um decoder de AV1.

Login no Chrome e cookies

As principais mudanças da versão 70 do Chrome são, ironicamente, a Google desfazendo algumas coisas que foram implementadas no Chrome 69.

Uma das maiores reclamações dos usuários referentes à atualização anterior foi o login automático dos serviços Google, o que fazia com que, ao acessar qualquer site da Google (como o Gmail ou o YouTube), o browser automaticamente fizesse o login do usuário no navegador, permitindo que a empresa tivesse acesso aos dados de navegação. Depois de muita reclamação nas redes sociais, a Google voltou atrás, e o Chrome 70 possui agora uma opção para que os usuários desativem a sincronização automática. O problema é que ela já vem ativada de fábrica, então qualquer usuário que não quiser compartilhar o seu histórico de navegação com a Google precisa entrar nas configurações e desativar a opção manualmente.

Opção para se desligar a sincronização automática do Chrome com as contas Google (Captura: Rafael Rodrigues/Canaltech)

Outra mudança do Chrome 69 que foi desfeita é em relação aos cookies. Agora, ao limpar o histórico de navegação, todos os cookies da máquina são apagados, não ocorrendo mais o problema criado pela versão 69, que mantinha os cookies referentes a logins em sites Google.

PWAs e AV1

 

Além de consertar aquilo que a própria Google havia quebrado, o Chrome 70 agora também irá suportar PWAs (Progressive Web Apps). Esses aplicativos podem ser acionado direto do menu Iniciar do Windows, sem a necessidade de um endereço web para acessá-los. Com o fim dos Chrome Apps, a Google pretende usar os PWAs para substituí-los.

Outra novidade é a compatibilidade do browser com o decoder AV1, um codec sem direitos autorais criado pela Alliance for Open Media. O AV1 é o sucessor do codec VP9, e possui uma eficiência 30% maior.

Melhorias de segurança

O Chrome 70 também também permite um maior controle das extensões instaladas no navegador. A atualização permite aos usuários escolher quais sites que as extensões poderão modificar. A medida foi tomada porque, devido à permissão total do usuário para que essas extensões façam seu trabalho, algumas eram usadas para fins maliciosos, e a empresa acredita que é seu dever dar aos usuários o poder de decidir sobre quais sites aquela extensão poderá ter acesso às informações de navegação.

Chrome 70 dará ainda mais destaque para a falta de segurança de páginas que não possuem certificado HTTPS (Imagem: Google)

O Chrome 70 também continua a guerra da Google contra o HTTP, e na nova versão qualquer endereço que não possua um certificado HTTPS receberá a alcunha de não seguro com destaque em vermelho assim que o usuário tentar inserir qualquer tipo de informação em formulários do site.

Opções para desenvolvedores

O Chrome 70 também possui várias novas opções para desenvolvedores, mas a principal certamente é a Shape Detection API, que permite identificar rostos, textos e código de barras em um arquivo de imagem.

Chrome 70 permite que desenvolvedores usem a identificação digital de smartphones direto em suas aplicações (Imagem: Venture Beat)

Além dessa, outra boa novidade é a Web Detection API, que permite habilitar o TouchID do iOS ou a leitura de impressão digital do Android de forma automática em aplicações para o Chrome.

A nova versão do Chrome também atualiza o V8 JavaScript para a versão 7.0, que inclui uma preview do WebAssembly Threads e novas funções para a linguagem JavaScript.

Versão móvel

O Chrome 70 também já pode ser atualizado no iOS, mas as mudanças da versão móvel são menores do que a para desktops, corrigindo apenas o problema de sincronização com as contas Google e as mensagens de praxe de qualquer atualização, relatando um aumento na segurança e na performance do programa. Ainda não há nenhuma data para quando a atualização chegará ao Android, mas espera-se que ela seja disponibilizada dentro dos próximos dias.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *