Telltale demite mais de 200 funcionários e avisa que fechará as portas

Surpreendendo a todos a Telltale Games, sem nenhum tipo de aviso prévio, anunciou hoje (21) que mandou embora praticamente todos os funcionários da empresa, mantendo um time de apenas 25 pessoas — e fechará as portas, encerrando suas atividades aparentemente de maneira permanente.

De acordo com o jornalista Joe Parlock (que escreve para a Forbes e o Polygon, dentre outras publicações), o motivo das demissões é mesmo o fechamento da empresa, que entrará com processo de falência. Minutos depois, a informação foi confirmada por Kevin Bruner, ex-CEO e fundador da Telltale, que em seu blog pessoal confirmou que a empresa está mesmo fechando as portas.

Segundo Parlock, as 25 pessoas que que não foram demitidas ainda serão responsáveis por terminar a temporada final do jogo The Walking Dead (que irá receber o segundo capítulo na semana que vem), e então fechar as portas de vez. Segundo o jornalista, todos os outros títulos que a empresa trabalhava (a continuação de The Wolf Among Us e um jogo da série da Netflix, Stranger Things) estão cancelados.

De acordo com relatos de familiares dos funcionários que foram demitidos, ao chegarem ao trabalho no dia de hoje, representantes da empresa avisaram a todos que não eram mais necessários e que eles tinham meia hora para pegar suas coisas e abandonar o prédio. Ainda segundo esses depoimentos, a empresa não pagou indenização pela quebra do contrato de trabalho a nenhum dos funcionários.

Essa não é a primeira vez que a Telltale indica sinais de problemas. Em novembro do ano passado, a empresa já havia demitido 90 funcionários, o que equivalia a um quarto de todos os seus trabalhadores. Ainda que não tenha divulgado o número exato de funcionários demitidos agora, a partir da informação de que 90 funcionários correspondia a 25% da equipe, é possível calcular então que mais de 200 pessoas foram dispensadas.

Além disso, nos últimos meses o nome da Telltale vinha aparecendo constantemente de maneira negativa na imprensa, com diversas reportagens sobre uma filosofia de gerenciamento tóxica que submetia os trabalhadores a abuso moral e os obrigavam a trabalhar durante dias a fio sem poder voltar para casa. Já em junho, Bruner havia processado a empresa, exigindo a recuperação de investimentos feitos de seu próprio bolso. No momento que a história do processo chegou à imprensa, a Telltale se posicionou alegando que tudo não passava de uma vingança mesquinha de um ex-funcionário, mas as demissões de hoje mostram que talvez houvesse algo muito mais grave por detrás desse pedido.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *