Modelos europeus dos iPhones XS, XS Max e XR serão homologados no Brasil

Com o encerramento do sinal analógico das TVs no Brasil, a frequência de 700MHz APT (banda 28) vem sendo cada vez mais usada pelas operadoras e seu uso está se ampliando no país. Isso será o fator primordial para que os novos iPhones sejam comercializados em terras tupiniquins, já que boa parte do território brasileiro é coberto pelo sinal 4G banda 7 (2.600MHz).

Porém, de acordo com a página de especificações dos modelos de iPhone XS (A2097) e iPhone XS Max (A2101), os aparelhos que chegarão ao Brasil devem ser os europeus e asiáticos, já que as versões americanas não suportam essa frequência de banda 28 — os aparelhos americanos são compatíveis com redes 2G e 3G de bandas 1 (2.100 MHz), 3 (1.800 MHz) e 7 (2.600 MHz), apenas.

Isso significa que, caso os modelos americanos fossem comercializados no país, muitas regiões teriam dificuldades em conseguir um bom sinal 4G para eles.

A mudança foi feita nas páginas de especificações há pouco tempo. Antes, a Apple apenas as havia traduzido para o português, listando os modelos americanos, porém, agosta constam os modelos europeus e asiáticos, sendo eles os mais corretos para o mercado nacional.

(Imagem: Apple)

Quanto ao iPhone XR, ele ainda está listado como modelo A2105 (ao código da versão americana do site é A1984). Isso significa que, mesmo se comprado dos Estados Unidos, o aparelho deverá funcionar no Brasil, mas poderá ter uma limitação com sua conexão 4G, caso a operadora brasileira trabalhe apenas com a frequência de 700MHz APT (banda 28).

Vale apontar que a banda 7 (de 2.600MHz) dificilmente deixará de ser usada em um curto período de tempo, mesmo que a banda 28 (de 700MHz APT) seja melhor, em termos técnicos, com maior alcance e cobertura; basicamente porque essa tecnologia ainda está sendo adaptada ao mercado nacional, e isso leva algum tempo.

Então, caso esteja pensando em adquirir um iPhone XS, XS Max ou XR nos Estados Unidos, isso não quer dizer que não conseguirá se conectar às redes 4G do Brasil. Isso, na realidade, deve acontecer, mas com algumas limitações por conta da frequência de sinal, dependendo de região.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *