Sonha em viajar para a Lua? Fique de olho no que essas empresas estão planejando

Nesta semana, a SpaceX revelou que já escolheu quem será a primeira pessoa comum (ou seja, não astronauta) a dar uma volta ao redor da Lua, marcando o início de seu programa de turismo espacial. A identidade da pessoa será revelada na próxima segunda-feira (17), mas a companhia espacial de Elon Musk não é a única com planos de oferecer pacotes turísticos para o espaço: Virgin Galactic e Blue Origin também estão na jogada, além de haver projetos similares na China e na Rússia.

Vamos, então, conhecer um pouco sobre o programa de cada uma dessas investidas, vislumbrando o futuro próximo em que qualquer pessoa pode se tornar “astronauta por um dia” — isto é, desde que tenha “cacife” para pagar pela experiência.

SpaceX

Arte imagina como será a viagem da SpaceX ao redor da Lua (Imagem: SpaceX)

Começando pela companhia de Musk, que já conseguiu enviar um carro da Tesla para o espaço, o que aconteceu em fevereiro deste ano no lançamento inaugural do foguete Falcon Heavy. Mas não, não será este o foguete responsável por levar turistas à Lua: a companhia usará o novíssimo BFR para tal, que ainda precisa ser devidamente testado antes de qualquer lançamento tripulado.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Ou seja: a coisa ainda não vai acontecer assim tão logo, mas, com a revelação de quem será o primeiro turista espacial, a gente espera que a SpaceX anuncie também uma previsão de quando essa viagem fantástica acontecerá. Também ainda não se sabe qual será o custo da experiência, tampouco a duração do voo.

Caso a SpaceX saia à frente da concorrência no que diz respeito ao envio de pessoas para o nosso satélite natural, esta será a primeira viagem da humanidade à Lua desde o encerramento das missões Apollo, da NASA, cujo último lançamento para lá aconteceu em 1972. Até então, somente 24 pessoas já tiveram o privilégio de conhecer a Lua de pertinho.

Virgin Galactic

Arte mostra a nave VSS Unity ao redor da Terra (Imagem: Virgin Galactic)

Fundada pelo bilionário Richard Branson, a Virgin Galactic vem falando no turismo espacial há vários anos, alimentando os sonhos e expectativas de todo mundo que sonha em navegar pelo espaço. A nave responsável pela viagem será a VSS Unity (que se parece com um avião supersônico), que, apesar de um acidente fatal ocorrido em 2014 (quando o piloto acabou morrendo em decorrência de uma explosão), em 2018 teve seus motores testados com sucesso e sem incidentes.

A ideia é acomodar até seis passageiros por voo, com os turistas passando vários minutos flutuando em gravidade zero. Não, nesses planos iniciais, ao menos, não há menção de chegar pertinho da Lua, mas, sim, fazer um voo orbital ao redor da Terra. A nave atingirá o limite de 100 quilômetros de altura acima da superfície do planeta — e para se ter uma noção do que isso significa, a Estação Espacial Internacional fica a 400 km acima do nosso chão.

O tempo total dessa viagem será de algo entre 90 minutos e duas horas, custando US$ 250 mil por cabeça — e, mesmo sem uma data marcada para o primeiro voo, a empresa disse que mais de 700 ingressos já foram vendidos.

Blue Origin

Jeff Bezos no interior de um protótipo da cápsula New Shepard (Foto: Blue Origin)

Tal qual a Virgin Galactic, a Blue Origin (empresa espacial de Jeff Bezos, fundador da Amazon) também tem seus planos para levar humanos comuns ao espaço, mas não necessariamente para Lua nesse primeiro momento. Só que se considerarmos que a companhia tem planos de construir uma base fixa em nosso satélite natural, e quer chegar à Lua até o ano de 2023, faz sentido especular que a empresa também deva oferecer viagens turísticas para lá.

Mas, focando na viagem turística que já vem sendo anunciada, a Blue Origin pode cobrar até US$ 300 mil por cada um dos seis passageiros que pretende transportar por voo. A cápsula New Shepard acomodando o pessoal se destacará do foguete em certo momento após o lançamento, subindo por 100 quilômetros em direção ao espaço.

Após cerca de 10 minutos de experiência em gravidade zero, a nave voltará à Terra — e Bezos pretende começar a vender os ingressos em 2019.

Orion Span

Como será a Aurora Space Station, o hotel espacial de luxo (Imagem: Orion Span)

Muito legal poder viajar ao redor da Lua ou da Terra por alguns minutos, mas já pensou como essa viagem seria levada a um outro patamar caso existisse um hotel espacial onde ficar hospedado por alguns dias? Pois bem: esse é o plano da empresa norte-americana Orion Span, que pretende construir um luxuoso hotel na órbita da Terra.

A chamada Aurora Space Station será capaz de acomodar seis pessoas (quatro turistas e dois membros da tripulação), e o projeto pode começar a acontecer já em 2022. De acordo com informações preliminares, a estadia de 12 dias no espaço pode custar US$ 9,5 milhões para cada pessoa.

A empresa já está fazendo a reserva dos ingressos, cobrando US$ 80 mil como “sinal”. E a viagem de tantos dias exige um treinamento de três meses para que não somente se garanta que as condições de saúde dos turistas estejam adequadas para uma viagem espacial, como também haja a certeza de que eles saberão como agir caso haja algum tipo de emergência.

China

Design da nave chinesa que levará turistas ao espaço (Imagem: China Academy of Launch Vehicle Technology)

Além de planejar enviar robôs para explorar o lado escuro da Lua, o que já deve acontecer em dezembro de 2018, a Academia de Tecnologia de Veículos de Lançamento da China também quer enviar missões tripuladas para lá na próxima década.

Mas, antes disso, a China também tem seus planos de enviar turistas para a órbita da Terra. A viagem suborbital acontecerá a cerca de 100 km acima da superfície, podendo acontecer até 2028, com uma espaçonave reutilizável capaz de acomodar até 20 pessoas por vez.

O voo durará em torno de 30 minutos, com 10 minutos na escuridão do espaço (e com ausência de gravidade). Estima-se que cada passagem custará US$ 200 mil.

Rússia

A nave NEM-1, cujo projeto foi idealizado em 2015 (Imagem: Anatoly Zak)

A Energia, empresa que fabrica espaçonaves na Rússia, anunciou em 2017 que planejava começar a oferecer voos comerciais à Lua em 2022. A ideia é vender de quatro a seis assentos da nave NEM-2 (ainda em desenvolvimento), com os passageiros orbitando o satélite natural. A viagem, inclusive, pode fazer uma paradinha na ISS, com os turistas não somente vendo a Lua de perto, como também visitando as instalações que recebem astronautas em suas missões científicas.

Esse voo pode custar US$ 100 milhões por viagem (com o valor sendo dividido entre os passageiros), com duração de até 10 dias. Tudo dando certo, é possível que os ingressos já comecem a ser vendidos em 2019.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *