Drone será usado para auxiliar no resgate de sobreviventes do furacão Florence

Enquanto os Estados Unidos se preparam para mais um furacão de grandes proporções que promete fazer grandes estragos nas cidades costeira, a CyPhy Works possui a ferramenta correta para ajudar nos resgates: um drone.

A empresa apresentou o PARC (Persistent Aerial Reconnaissance and Comunications platform, ou "Plataforma Aérea de Reconhecimento e Comunicação Contínua", em tradução livre), um drone acorrentado que consegue ficar durante dias no ar, fornecendo uma rede de comunicação para ajudar em locais onde um desastre natural (como o Furacão Florence) destrói as linhas de telefone e internet do local.

A corrente serve para que o operador possa se concentrar na coleta de dados da missão ao invés de se preocupar em navegar o aparelho, que é feito de material militar capaz de suportar os fortes ventos que assolam uma região após a passagem de um furacão.

 

O PARC já foi utilizado como uma ferramenta para garantir a segurança em diversos eventos, como a Maratona de Boston e as celebrações da Independência dos Estados Unidos, e agora a CyPhy fechou uma parceria com a Cruz Vermelha para que o aparelho seja também utilizado para auxiliar as equipes de busca em desastres naturais.

Segundo Laura Major, diretora técnica da CyPhy Works, uma das vantagens da utilização do PARC é diminuir o risco de acidentes com os socorristas. Equipado com um sistema de câmeras de última geração, em questão de minutos o PARC consegue fornecer imagens em tempo real do local do desastre, permitindo que as socorristas possam identificar remotamente as áreas de maior perigo ou com concentração de sobreviventes, exigindo que menos pessoas se arrisquem fazendo o reconhecimento da área e permitindo que uma maior agilidade nos resgates.

Major ainda afirma que a ferramenta continua em constante evolução, e o uso em áreas afetadas pelo Furacão Florence fornecerão dados que ajudarão a empresa a melhorar ainda mais o aparelho, aumentando sua eficiência em situações de desastres naturais.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *