OnePlus 6: custo-benefício e boas câmeras [Análise / Review]

Seja você um fotógrafo profissional ou amador, é muito legal ter um bom smartphone para fotografias. Nomes como Huawei P20 Pro, iPhone X, Pixel 2 XL e Galaxy S9 são alguns desses aparelhos que “fazem milagre”, mas nem todo mundo se importa em ter um celular tão forte assim no bolso. É… ok, seria legal para todos. Mas o preço ainda afasta.

Bem, vamos dizer logo de cara que o OnePlus 6 não é superior a nenhum desses celulares que nós citamos até aqui. Mas, para quem se arrisca a gastar um pouco menos, o OnePlus 6 certamente pode ser uma ótima opção.

O principal sensor dele tem 16 MP* e é responsável pelo arquivo bruto. O foco, às vezes, pode não ser tão rápido, mas ele é preciso. Ele ainda tem OIS e EIS, mas não utiliza ambas as tecnologias de estabilização combinadas.

Já o sensor secundário tem 20 MP*, foco PDAF e é responsável por capturar informações de profundidade de campo. Ele também ajuda a capturar mais detalhes das cenas, o que pode ser visto especialmente no modo de zoom de 2X. Ele não é óptico, mas resulta em imagens com nitidez.

O OnePlus 6 ainda pode gravar em 1080p e 4K a 30 ou 60 fps, além de contar com modo de slow motion a até 480 fps. Ele também pode capturar em RAW, além de fazer fotos boas com HDR ligado, mesmo contra luz solar ou em locais de baixa luminosidade. Aqui, o único problema ficou nas mãos do ruído.

O software compensa pouco na suavizada, o que preserva detalhes de fundo. Mas, na mesma medida, o nível pode ser um pouquinho alto, o que também vai depender da cena.

Só que na prática, o OP6 é muito versátil como um celular para fotografias. Ele tem resposta rápida e faz fotos bem mais legais, se comparado ao OnePlus 5T, com baixa luminosidade ou em locais internos.

Num local ideal e bem iluminado, você certamente pode ficar satisfeito com as imagens produzidas com ele.

Mas, vamos ser justos: o OnePlus 6 não tem câmeras para brigar de frente com o Huawei P20 Pro, iPhone X ou Galaxy S9+. Só que ele tem equilíbrio na redução de ruído, um modo retrato decente e software intuitivo. É um trabalho acima da média para sua faixa de preço.

O conjunto do OnePlus 6 ainda traz uma câmera de 16 MP (f/2.0) na frente. Ele tem foco fixo e, no caso, faz imagens dentro da expectativa. O software, tenta sempre corrigir imperfeições do rosto, o que por vezes resulta em imagens com cores opacas.

Mas, ainda assim, as fotos com a câmera frontal do OnePlus 6 vão lhe quebrar um bom galho. É claro que em locais com iluminação adequada as fotos ficaram melhores, mas mesmo durante a noite nós conseguimos fazer imagens com bom nível de nitidez e detalhamento.

Design, display e multimídia

Quando você olha para o OnePlus 6 entende logo de cara duas coisas: ele é um smartphone bem bonito e grande. Existem dois tipos de acabamento, ambos Gorilla Glass 5, mas um parece mais espelhado que o outro. Nós escolhemos o mais “discreto” pela aparência mais sólida.

E, acredite: usar um smartphone grande, além de um tanto quanto escorregadio, pode ser perigoso, embora ele não seja aquele ‘celular sabonete’. A propósito, a OnePlus até colocou uma capinha grátis na caixa do aparelho. Essa traseira arredondada, combinada com os ~177 gramas de peso, fazem dele um celular sólido nas mãos.

A fabricante também afirma ter melhorado a resistência contra água do smartphone, mas não existe nenhuma certificação IP que garanta sua sobrevivência. Outra coisa, ele também não tem slot para MicroSD, apesar de aceitar dois chips de operadora (4G em ambos, ótimo para viagens).

Existem outras duas coisas bem legais no OnePlus 6: ele ainda tem entrada P2 para fones de ouvido, e a “chavinha” para alternar o modo de som do smartphone na lateral. São três atalhos bem convenientes para os modos “silencioso”, “vibrar” e “tocar”.

É claro que esse visual robusto vem junto com um display enorme e de proporção 19:9. Ele é mais um que entra para o Time do Notch®, com um painel OLED de 6,28 polegadas (2280 x 1080 pixels).

Tudo bem que o OnePlus 6 pode não ser tão agressivo na resolução e brilho do display quanto o Galaxy S9, por exemplo, mas as imagens são reproduzidas com fidelidade e a rolagem de página é suave. O bônus, aqui, é que o celular também economiza um pouco de bateria no processo.

Mesmo com a visualização angulada ou sob luz solar, o painel é bastante legível. Os tons escuros são bem escuros, o que também permite “disfarçar” o notch do aparelho nos ajustes. A propósito, você pode “forçar” o ajuste de tela para os apps e também calibrar a exibição das cores de acordo com a sua preferência.

Ainda nos ajustes do aparelho, você pode ativar uma espécie de “always-on display”, que mostra informações rápidas quando você levanta o smartphone. Mas o melhor ajuste de tela, mesmo, está no modo escuro. Ele ajusta a interface com tons pretos, o que ajuda a economizar mais energia graças ao painel OLED.

Já o alto-falante do OnePlus 6 é apenas bom. O volume não é muito alto e o som é, sim, limpo. Mas ele é mono e não se compara a outros smartphones top de linha, e pode facilmente ser coberto enquanto você assiste algum vídeo ou filme.

Especificações

O hardware do OnePlus 6 é equiparável aos demais tops de linha atuais, e esta versão inclui:

* Chipset Snapdragon 845;
* Adreno 630;
* 128 GB de espaço interno;
* 8 GB de RAM;
* Bluetooth 5.0
* NFC;

O aparelho vem de fábrica com Android Oreo e fortes promessas de updates mais rápidos. Aliás, aqui vão os resultados de benchmark do OnePlus 6.

Desempenho e software

A interface do OnePlus 6 é a Oxygen OS 5.1.8, que traz algumas mudanças legais da companhia, como os atalhos de navegação e gestos no display. Existem ainda outras alterações, como o Modo de Jogo, que não te atrapalha com notificações e impulsiona o hardware dele.

Outra modificação interessante é o “Espaço oculto”. Você pode acessar ele arrastando a página da esquerda para a direita na gaveta de apps, e pode esconder alguns ícones para os curiosos não encontrarem seus apps.

Os gestos de navegação do sistema são simples e funcionam bem. Eu, particularmente, prefiro usar o smartphone dessa maneira, mas ele ainda me incomodou um pouco. Digo isto porque, vez ou outra, se você não deslizar REALMENTE no canto para voltar uma página, o sistema identifica um gesto no centro, o que volta para a tela de início.

O software é muito limpo e polido, trazendo apenas apps realmente funcionais. Tanto que, inclusive, chegaram a me perguntar “por que ele está rodando ‘Android puro’”, já que até alguns apps da própria OnePlus podem ser escondidos.

Se desse para resumir, diria que o OnePlus 6 é um celular confortável. Toda essa quantidade de RAM faz com que aplicativos abertos no dia anterior ainda estejam rodando em segundo plano, e sem prejudicar o desempenho de jogos pesados ou de outras atividades.

Ainda não estamos sabendo lidar com essa onda dos 8 GB de RAM, visto que a grande maioria das pessoas não precisa disso tudo. Mas todo o conjunto faz do OnePlus 6 ser um dos smartphones mais rápidos que nós testamos, tanto em termos de fluidez quanto na abertura e execução dos apps. Novamente, em resumo: ele roda tudo, e vai “rodar tudo” por um bom tempo.

Ah, e a OnePlus ainda garante atualizações de sistema, novos recursos e patches por pelo menos dois anos. Depois, vem mais um ano extra de atualizações de segurança. E isso contando a partir da data de lançamento dele.

Por falar em segurança, ele traz um sensor biométrico na traseira e, de quebra, leitor facial. Ele é realmente rápido e, se bobear, você nem percebe que o celular foi desbloqueado.

Mas esse leitor facial dele não funciona no escuro, a menos que a tela esteja iluminando o suficiente o seu rosto. Ele também desbloqueia o seu smartphone mesmo quando você está com os olhos fechados, o que pode ser bem bizarro por motivos de: nunca se sabe.

Entenda que o desbloqueio facial pode ser rápido, mas neste caso, é melhor continuar apostando no leitor biométrico que funciona 9/10. Ele só não é 10/10 por não ter gestos como o de deslizar a Central de Notificações. Como é um smartphone grande, esse recurso acaba fazendo falta.

Bateria

Outro momento em que você sente conforto usando o OnePlus 6 é considerando a sua autonomia. Se você sai de casa com 30% ou 40% de bateria, não precisa se preocupar com ter que carregar o aparelho daqui duas ou três horas. Ele segura bem a carga, mesmo sem os modos de economia de energia funcionando o tempo todo.

São 3.300 mAh, como no OnePlus 5 e 5T. Nos nossos testes, o smartphone teve uma variação de tempo de tela entre 4 e 6 horas por dia, sendo retirado da tomada com 90% de energia toda noite. A descarga média, assistindo vídeos no YouTube com brilho máximo, é de 10% por hora.

O Dash Charge, tecnologia de carregamento rápido da OnePlus, faz um trabalho muito bom. Ele leva, em média, 30 minutos para carregar algo na faixa (ou acima) dos 50%.

Mesmo que não exista suporte ao carregamento por indução, a opção de também deixar de lado uma resolução maior foi sábia. O OnePlus 6 aguenta com muita facilidade um dia inteiro de uso, sem decepcionar em nada.

Vale a pena?

Atualmente, o OnePlus 6 é um dos smartphones mais equilibrados, e especialmente para quem busca um aparelho abaixo dos US$ 600. Tudo bem, ele REALMENTE deixou de lado coisas importantes, mas eu até fiz uma listinha para explicar o motivo dele ser tão equilibrado, assim:

Começando por coisas que ficaram de fora:

* Sem carregamento sem fio;
* Sem armazenamento expansível;
* Não tem resistência “de verdade” contra água;
* A saída de som não é estéreo;
* As câmeras são um pouquinho saltadas (seria este, ainda, um ponto negativo?)
* Não tem distribuição oficial no Brasil.

Agora, as coisas legais que temos nele:

* Hardware muito forte e desempenho rápido;
* Interface intuitiva e software limpo;
* Design e acabamento refinados;
* Display grande e de boa qualidade;
* Bateria confiável;
* Câmeras realmente boas na faixa de preço.

Enfim, colocando desse jeito, o OnePlus 6 é uma das melhores opções para quem quer um bom smartphone, mas sem gastar muito. Uma outra opção seria o Zenfone 5Z, mas nós ainda não testamos esse modelo.

De qualquer forma, o que vocês acharam do OnePlus 6? É um smartphone realmente equilibrado em termos de custo-benefício? Esse modelo aqui que nós testamos foi enviado pelo pessoal da loja Banggood, e vocês podem encontrar ele por um preço massa clicando nos links abaixo:

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *