Comcast aumenta oferta e oferece US$ 65 bilhões para comprar a Fox

A Comcast oficializou nesta semana sua proposta de compra da 21st Century Fox, adicionando emoção a uma negociação que já era dada como certa em favor da Disney. Para adicionar pimenta à questão, a gigante das telecomunicações americana não apenas confirmou sua proposta, como também ofereceu US$ 65 bilhões, um montante bem maior que o da rival.

A ideia também seria mais vantajosa. Enquanto a Disney trabalha com um valor de US$ 52,4 bilhões baseado em ações, a Comcast teria colocado à mesa uma proposta em dinheiro, pagando US$ 35 por ação, um incremento de 19% em relação à oferta feita pela empresa de Mickey Mouse. É dada, então, a largada para um processo de decisão que parece depender, agora, da visão dos executivos da Fox.

Uma reunião sobre o assunto está marcada para 10 de julho e deve reunir acionistas majoritários da companhia, bem como seus executivos-chave, para deliberações sobre o tema. E, desde já, em comunicado oficial, a Fox já confirmou que vai considerar a proposta da Comcast, apesar de muitos de seus principais nomes, pelo menos de acordo com os rumores, estarem mais favoráveis a seguir o caminho indicado pela Disney.

Isso se deve ao fato de que a decisão vai além de termos simplesmente financeiros, tendo a ver também com questões regulatórias e de controle. Se as autoridades econômicas dos Estados Unidos já estavam preocupadas com possíveis monopólios de mídia pela fusão entre Fox e Disney, esse trabalho deve ser ainda mais complicado com a entrada da Comcast na negociação.

Isso porque a gigante já é dona da Universal e também de canais e propriedades intelectuais da NBC. Além disso, a companhia tem uma parcela de 30% no Hulu, sistema de streaming de séries que não está disponível no Brasil mas é um dos grandes concorrentes da Netflix nos EUA. Com a compra da Fox, a Comcast passaria a ter 60% da empresa, assumindo, então, controle majoritário sobre ela.

Seria uma entrada com tudo em um dos serviços de streaming mais proeminentes do hemisfério norte. Hoje, a Comcast recebe apenas dividendos do Hulu, como parte dos acordos da compra da Universal, finalizada em 2011. Em setembro, porém, o acordo vence e a Comcast passa a fazer parte da mesa diretora da plataforma. Se comprar a Fox, então, a gigante passaria a ter domínio total sobre a empresa.

De tais questões, então, surge a ideia de que o governo americano poderia não aprovar uma compra pela Comcast. Os executivos da telecom parecem dispostos a seguirem adiante com a proposta apesar de tais desafios, mas resta a questão quanto ao outro lado, em relação ao aceite da oferta.

Sobre tudo isso, a Fox disse apenas que vai buscar aconselhamento legal externo e consultorias financeiras. A empresa também negou os rumores de que adiaria a votação marcada para o dia 10 de julho. Enquanto isso, a Disney se mantém calada sobre a proposta da rival, mantendo em pé sua oferta original de mais de US$ 52 milhões.

Se confirmada, a compra da Fox pela Comast será a 16ª maior da história e também a terceira colocada no ranking das empresas de mídia. O negócio marcaria também a segunda entrada da Comcast no ranking das dez mais, com a compra da britânica Sky, no valor de US$ 41,4 bilhões, a sexta nessa lista.

Fonte: The New York Times

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *