Polícia usa impressão digital em foto do WhatsApp para encontrar traficante

Uma fotografia de parte de um dedo pode ser suficiente para identificar um criminoso. Foi o que mostrou a polícia de Gales do Sul, região do País de Gales, ao conseguir rastrear um traficante de drogas utilizando apenas uma imagem compartilhada pelo WhatsApp. Além de prender 11 pessoas envolvidas na operação, a polícia recuperou cerca de £ 20 mil (R$ 97 mil) em bitcoin na conta de um dos infratores.

Como o mensageiro tem criptografia de ponta a ponta, a única forma de ter acesso à foto foi através de um celular apreendido que tinha recebido o arquivo. Um oficial a encontrou após analisar meses de trocas de mensagens entre o dono do aparelho e o vendedor. “Havia uma fotografia de uma mão segurando pílulas que parecia estar sendo enviada para potenciais compradores dizendo ‘essa é minha mercadoria, eu estou vendendo’”, disse Dave Thomas, membro da unidade policial responsável.

Mão segurando pílulas.Foto enviada pelo WhatsApp mostra partes da digital do suspeito no canto inferior direito.

A imagem deixou exposta parte de um dos dedos do vendedor, o que foi suficiente para a polícia conseguir extrair parte da impressão digital dele. Embora não fosse possível comparar o resultado com o banco de dados da polícia — que costuma cadastrar apenas a parte de cima dos dedos — ela foi suficiente para confirmar que um dos suspeitos era realmente a pessoa procurada pela investigação.

De acordo com Thomas, o sucesso da busca fez com muitas pessoas começassem a enviar fotografias com partes de mãos como evidências de algum crime. “Queremos estar em uma posição na qual um assalto acontece às 20h30, nós analisamos as evidências e às 20h45 estamos esperando na porta da casa do assaltante e o prendemos quando ele estiver chegando com os bens”, afirmou.

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *