Artigo: cadê o aplicativo do YouTube Kids para TVs?

Aplicativo específico retira conteúdos inapropriados e anúncios direcionados, mas ainda está disponível de forma limitada.


Se você possui filhos pequenos, deve saber como é fácil para eles ficarem vidrados com o YouTube. Enquanto outros serviços de streaming como o Netflix oferecem vídeos mais refinados, normalmente com histórias mais ricas, as crianças parecem se fixar na ampla biblioteca do site do Google que traz clipes com rimas simples, demonstrações de brinquedos e desenhos mais baratos. Os criadores mais populares desses vídeos já acumulam bilhões de visualizações na plataforma. 

Por isso, foi um pouco surpreendente quando o Google afirmou nesta semana que as crianças não deveriam assistir ao YouTube – pelo menos por meio do seu site e aplicativo principais. Em resposta a reclamações de mais de 20 grupos de defesa ao consumidor, que acusam o YouTube de coletar e lucrar com os dados de hábitos de vídeos das crianças, a gigante de buscas afirmou que os pequenos deveriam usar o seu aplicativo separado YouTube Kids, que retira material considerado inapropriado e evita anúncios direcionados.

“Proteger crianças e famílias sempre foi uma prioridade para nós”, afirmou o Google em um comunicado enviado à rede CNN e ao The New York Times. “…Como o YouTube não é para crianças, investimos de forma significativa na criação do app YouTube Kids para oferecer uma alternativa criada especialmente para as crianças.” 

Há apenas um problema com essa afirmação do Google: a não ser que o seu filho esteja usando um iPhone, iPad ou aparelho Android, ele não poderá acessar o YouTube Kids. A única maneira de assistir ao YouTube Kids em uma televisão é por meio de um aparelho com Android TV ou ao transmitir o vídeo do smartphone ou tablet por meio de um acessório como Chromecast ou Apple TV. 

Não há um aplicativo verdadeiro do YouTube Kids para Apple TV, Amazon Fire TV, consoles de videogame ou smart TVs – e você não pode acessar o YouTube Kids por meio de um navegador em um computador.

O aplicativo original do YouTube Kids foi lançado há mais de três anos, em fevereiro de 2015. É difícil acreditar que proteger crianças e famílias seja uma prioridade para o Google quando é muito mais difícil acessar a versão do YouTube amigável a crianças do que o app ou site padrão do serviço. 

Até o fechamento do artigo, o Google não tinha respondido ao nosso pedido de comentário sobre o assunto.

Reclamação

A reclamação recente feita junto à FTC (Comissão Federal de Comércio dos EUA) por 23 grupos de defesa ao consumidor alega que o Google conscientemente atende crianças no seu app principal do YouTube, coleta dados de visualização de vídeos para crianças, e permite que anunciantes alcancem essas crianças ao associar seus anúncios com palavras-chave como “criança” e “brinquedo”. Adotar essa abordagem sem ter o consentimento verificável dos pais seria uma violação do Child Online Privacy Protection Act, que protege a privacidade on-line das crianças. 

“O Google conseguiu lucros substanciais a partir da coleta e do uso de dados pessoais de crianças no YouTube”, aponta a acusação. “A coleta ilegal acontece há muitos anos e envolve dezenas de milhões de crianças nos EUA.”

Em entrevista ao The New York Times, o diretor executivo da campanha Commercial-Free Childhood, Josh Golin, aponta que o YouTube deveria simplesmente levar todos os vídeos para crianças para o YouTube Kids, que atende às leis federais de privacidade de crianças.

Mas aí é que está o problema para o Google. Como o YouTube Kids só está disponível em alguns dispositivos, o site perderia uma boa fatia da sua audiência ao limitar os vídeos infantis desta maneira. 

Por experiência própria, preferiria deixar meus filhos assistindo ao YouTube Kids em uma Apple TV ou Amazon Fire TV em vez deixá-los com um smartphone caríssimo como controle remoto. Se esses vídeos não estivessem disponíveis de forma apropriada no YouTube, provavelmente apenas buscaríamos alguma outra coisa para assistir.

Além da privacidade

Mesmo que você não esteja muito preocupado com a coleta de dados e os anúncios direcionados, o YouTube Kids ainda é uma opção muito melhor para as crianças do que o aplicativo/site principal do YouTube. O Kids permite que você configure perfis para que cada uma das crianças receba vídeos apropriados para a sua idade, fornece navegação infalível, e – mais importante de tudo – bloqueia todos os vídeos que as crianças não deveriam estar assistindo. E apesar de o aplicativo não ser perfeito – alguns clipes um tanto perturbadores já conseguiram burlar os filtros de algoritmos do Google – a gigante de buscas estaria trabalhando em uma versão com curadoria humana que teria proteções ainda mais fortes neste sentido. 

Contar com esses recursos em TVs seria ótimo para os pais, mas, apesar do que o Google afirma sobre as suas prioridades, o foco do YouTube claramente tem estado em outros lugares. 

Aliás, a única nova plataforma em que o YouTube Kids chegou desde outubro de 2015 é a Android TV – enquanto isso, a YouTube TV foi lançada no ano passado em uma variedade de dispositivos, incluindo Xbox One, Apple TV, Android TV, iOS, Android, Chromecast, Roku e o navegador Chrome (desktop).

Qual a diferença entre a YouTube TV e o YouTube Kids? O primeiro é um pacote de canais que custa 40 dólares ao mês que representa uma parte essencial da estratégia de publicidade do Google. O principal objetivo do Kids é restringir publicidade direcionada conforme leis federais de privacidade para crianças. Não é surpresa que um deles tenha tornado-se amplamente disponível de forma mais rápida do que o outro.

via IDG Now!

Deixe uma resposta