Apple Music chega a 40 milhões de assinantes e ganha novo diretor

O Apple Music anunciou a obtenção de mais uma marca história – a de 40 milhões de assinantes. A notícia veio em comunicado liberado pela Maçã nesta quinta-feira (12), anunciando também uma mudança gerencial que coloca Oliver Schusser no cargo de diretor do serviço musical, preenchendo o vazio deixado por Jimmy Iovine, produtor musical e atual nome responsável pela marca, que deixa a posição em agosto.

O anúncio da marca também demonstra um crescimento acelerado da plataforma musical. Em setembro do ano passado, por exemplo, eram 30 milhões de assinantes; agora, a expectativa é bater 50 milhões até o final do semestre. Não vai ser muito difícil, aparentemente, já que, de acordo com a Apple, além dos 40 milhões de pagantes, outros oito milhões estão no período de testes gratuitos da plataforma, podendo constituir novos membros em um futuro próximo.

Para liderar todo esse movimento, um novo diretor será responsável não apenas pela estratégia na área musical, mas também pelos esforços da companhia além de sua terra natal. Oliver Schusser já trabalhou no lançamento de serviços como a App Store, a loja iTunes e o iBooks fora dos Estados Unidos; agora, ele assumirá o cargo de “vice-presidente do Apple Music e de Conteúdo Internacional” na companhia. O executivo também foi um dos responsáveis pela recente compra do Shazam, aplicativo que identifica músicas que estão tocando no ambiente.

Oliver Schusser (esquerda), novo diretor do Apple Music, ao lado de Eddy Cue (direita) (Imagem: Kunal Rawal)

Ele responderá diretamente a Eddy Cue, um dos vice-presidentes da Apple, e será o responsável por não apenas dar continuidade a estratégias correntes, mas aplicar novas. O foco de seu trabalho, pelo menos neste momento inicial, deve ser os esforços de parceria e licenciamento internacionais, com mais artistas, filmes e séries chegando às plataformas da Maçã como forma de melhor posicioná-la diante das rivais que já têm atuação fora dos EUA.

Oliver Schusser trabalha há 14 anos para a Maçã e é amigo pessoal de Cue, que o contratou pessoalmente. O executivo está, atualmente, em Londres, mas deve se mudar para a Califórnia e ganhar uma sala no Apple Park, em Cupertino, de onde comandará times de conteúdo, licenciamento e software em 38 países ao lado de Tracey Hannelly, que está sendo promovida do departamento de marketing para assumir a diretoria de parcerias internacionais.

Atualmente, o maior concorrente e também principal alvo da Apple é o Spotify, que tem 70 milhões de assinantes em todo o mundo, mais dezenas de milhões de usuários gratuitos que podem se tornar pagantes. O crescimento do Music, porém, acontece de maneira mais acelerada, a uma taxa de 5% ao mês, enquanto a rival cresce a uma proporção de 3%. Para analistas, um empate técnico não deve demorar para acontecer.

A entrada de Schusser também marca a primeira grande mudança no Apple Music desde sua abertura. Oriunda da compra da Beats pela Apple, a plataforma contava com Iovine no cargo gerencial justamente por conta de sua experiência como produtor musical, o que garantia boas relações com a indústria fonográfica e acesso pessoal a artistas e bandas que poderiam, por exemplo, criar conteúdo direcionado para o serviço.

Iovine, porém, deixa a companhia em agosto, assumindo um cargo de consultoria. Desde já, porém, parece que ele começa a reduzir suas funções na empresa, algo demonstrado pela entrada de Schusser, mas permanece ligado diretamente a ela até que suas compensações relacionadas à aquisição da Beats sejam finalizadas, o que deve acontecer, não coincidentemente, no início do segundo semestre.

Fonte: Variety

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

Deixe uma resposta