Mark Zuckerberg depõe para o Senado americano pela primeira vez

Presidente-executivo do Facebook responde a perguntas a respeito da política de privacidade de dados de usuários na esteira do escândalo envolvendo a Cambridge Analytica


Mark Zuckerberg acaba de participar nesta terça-feira de audiência no Senado dos Estados Unidos. É a primeira vez que o presidente-executivo do Facebook testemunhou para o Congresso norte-americano para esclarecer sobre o escândalo envolvendo o uso indevido de dados de 87 milhões de usuários pela consultoria política Cambridge Analytica. Uma transmissão ao vivo da audiência foi feita pelo canal no YouTube da ABC News.

O CEO do Facebook foi questionado, essencialmente, sobre a política de privacidade e uso de dados de seus usuários. Um dos senadores perguntou a Zuckerberg: “O senhor se sentiria confortável em dizer o hotel que ficou hospedado na noite anterior?”. Sabendo onde o senador chegaria, Zuckerberg responde com um riso desconfortável: “acredito que não, senhor”. Mas o executivo segue dizendo que todos os dias usuários escolhem a plataforma para compartilhar aquilo que eles querem compartilhar e dar o controle a isso para eles é importante.

Em seu discurso de abertura, Zuckerberg admitiu que os dados coletados pelo desenvolvedor do aplicativo-teste “This is Your Digital Life” foram vendidos à CA. Esta foi a primeira vez que ele reconheceu o movimento que deu origem a brecha sem precedentes da história do Facebook.  

Desconfortável, o CEO disse que, quando soube que a Cambridge Analytica não havia deletado os dados de usuários anos atrás, em 2015, o Facebook decidiu não notificar os afetados porque considerou se tratar de um caso encerrado.

A audiência durou mais de duas horas, e Zuckerberg também respondeu a perguntas a respeito de como a plataforma opera o seu modelo de negócio voltado a anúncios. 

Uma das perguntas mais incisivas veio do presidente do comitê de Justiça, Chuck Grassley. Ele perguntou quantas vezes um aplicativo fez uma transferência de dados, assim como o fez a Cambridge Analytica. Zuckerberg contornou e se limitou a dizer que a rede social conduz uma investigação sobre o tema. O executivo também não conseguiu responder quando foi questionado sobre quantas vezes fez valer aos desenvolvedores suas políticas de uso. “Eu não saberia dizer quantas vezes isso aconteceu”.

A sabatina de Mark Zuckerberg ainda não acabou. Amanhã, o presidente do Facebook será interrogado pelo Comitê de Energia e Comércio, que já, inclusive, liberou o testemunho que será dado pelo executivo. Nele, Zuckerberg, novamente assume responsabilidade: “Agora está claro que não fizemos o suficiente para evitar que essas ferramentas fossem usadas para o mal também.”

 

 

via IDG Now!

Deixe uma resposta