Instagram decide banir hashtags envolvendo certos medicamentos após polêmica

Com as polêmicas em torno do Facebook, o Instagram tem feito de tudo para que não sobre pro seu lado. Há vários anos, uma internauta chamada Eileen Carey denunciou perfis associados à venda de opiáceos, sem respostas. Após Eileen cobrar medidas dos executivos do Facebook por meio do Twitter, o Insta resolveu que era hora de meter a mão na massa para evitar escândalos.

Até a semana passada, caso você buscasse pela hashtag #Oxycontin, o nome comercial de um analgésico opióide mais conhecido no Brasil como Oxicodona, mais de 30 mil postagens apareceriam como resultado. Após esforços da rede social, houve uma limpeza das hashtags envolvendo drogas de abuso e hoje o resultado dessa mesma busca não aponta nenhum resultado.

Scott Gottlieb, comissário da Administração de Alimentos e Medicamentos, na semana passada, convocou algumas empresas, incluindo Facebook e Instagram, por permitir ofertas ilegais em suas plataformas. “”Eu sei que as empresas de internet estão relutantes em cruzar um limite, onde poderiam se encontrar assumindo um papel mais amplo de policiamento, mas essas são ameaças insidiosas propagadas nessas plataformas da web”, disse ele.

Um porta-voz do Instagram informou que as hashtags envolvendo medicamentos de abuso estão sendo mais cuidadosamente monitoradas, e ressaltou que as diretrizes da rede social “deixam claro que comprar ou vender medicamentos não é permitido no Instagram, e nós temos zero tolerância quando se trata de conteúdo que coloca em risco a segurança de nossa comunidade”.

Segundo Eileen Carey, a rede demorou tempo demais para se importar com as denúncias. Outros críticos dizem que a medida de proteção só veio agora devido às polêmicas que se propagaram com o nome do Facebook. Eileen disse, em entrevista à CNN: “o Instagram permitiu que isso acontecesse a ponto de ninguém estar escondendo isso”. Atualmente, o Insta tenta desenvolver mecanismos que tornem mais simples a denúncia de casos semelhantes por parte de sua comunidade, mas ainda falta muito trabalho para que as denúncias feitas consistentemente por Eileen nos últimos anos sejam completamente averiguadas pela plataforma.

A FDA está organizando uma reunião com executivos de tecnologia, que deve acontecer no meio do ano, durante o verão do hemisfério norte. O intuito é encontrar possíveis soluções para alertar potenciais compradores de drogas de abuso sobre os riscos à saúde que o consumo dessas substâncias pode causar, além de oferecer tratamento para pessoas que desejem se libertar do vício. Em fevereiro, senadores estadunidenses escreveram uma carta endereçada aos CEOs de grandes empresas como Google, Microsoft, Yahoo e Pinterest, convocando ajuda para combater a venda ilegal de medicamentos pela internet.

Libby Baney, diretora executiva da Aliança de Farmácias Seguras Online, disse em entrevista à CNN: “Uma criança de 13 anos pode fazer essa pesquisa e perceber que há coisas ruins em sua plataforma – e provavelmente já o fez – você não precisa do comissário da FDA para lhe dizer isso. É ótimo que ele tenha dito, mas não deveria ter chegado a este ponto”.

Fonte: Digital Trends

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

Deixe uma resposta