Google e Netflix juntas em projeto aberto para testes de programação

As chamadas “análises canário” (ou “canary analysis”) são notificações sobre mudanças em linhas de programação. São muito úteis para realizar testes porque o impacto de alterações é imediato e facilmente reversível, especialmente em ambientes controlados. Empresas como a Google e a Netflix já usam suas próprias ferramentas para isso e agora elas se juntam para lançar a Kayenta, um projeto em código aberto, pronto para ser usado por mais pessoas.

Serviço antes disponível para nichos especializados agora estará disponível para um público mais amplo

A Kayenta terá integração com o Spinnaker, usado pela plataforma de streaming para entrega contínua de conteúdo de desenvolvimento em diversas nuvens públicas e privadas. As duas juntas podem agilizar o lançamento e a adaptação do produto em diferentes tipos de ambientes. Companhias como a Phillips comemoram essa novidade, porque essa seria uma forma de duas empresas famosas popularizarem um serviço antes disponível para nichos especializados.

Kayenta

O plano é desenvolver a comunidade de ambas e a sala Spinnaker Slack já tem mais de 4 mil participantes. E, com o sucesso das versões gratuitas, pode ser que em breve sejam lançadas versões comerciais, com soluções mais avançadas.

Google e Netflix levaram um ano para lançar a Kayena

O processo tradicional ainda é feito com a verificação feita pelos programadores, mas isso aumenta as chances de erro humano. E a maioria dos exames automatizados observam falhas óbvias, que não são suficientes quando os códigos são colocados em produção, principalmente em microsserviços que podem interagir de forma inesperada. A “análise canário”, então, torna-se uma mão na roda para resolver isso.

Google e Netflix trabalharam juntas durante um ano para limpar os códigos e torná-los mais acessíveis e modulares

O sistema faz um alerta antecipado para evitar problemas importantes durante a execução de uma atualização em um serviço ou na infraestrutura. À medida que o update é distribuído, um subconjunto de novos usuários (ou servidores ou partes da rede), a “análise canário” verifica se o novo sistema se comporta como deveria — ou ao menos tão bem quanto o antigo. Essa validação acontece constantemente e evita que algo passe batido pelos testes regulares e posteriormente crie problemas em um sistema mais complexo.

kayenta

Para abrir o código e viabilizar a Kayenta, tanto a Google quanto a Netflix trabalharam para reescrever as partes específicas do serviço de streaming, onde o conjunto crescia de forma bastante orgânica. Isso não significa necessariamente um bom código, então, as empresas levaram um ano limpando o código e tornando-o mais modular.

A Kayenta já está disponível no Github, neste link, e a Google já marcou uma webconferência a respeito — para fazer o cadastro e participar, clique aqui.

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: