Escândalo do Facebook serve como um alerta para usuários Android

Dicas simples ensinam a verificar quais aplicativos possuem permissão para acessar as mais variados informações no seu smartphone.


 Todo esse escândalo sobre os dados do Facebook está se transformando em um verdadeiro fiasco para a rede social, não? Parece que a cada dia surge uma nova informação sobre como os dados pessoais dos usuários foram usados (e abusados) sem o conhecimento deles. 

Apesar de a maior parte do problema girar em torno do próprio Facebook e de práticas que estão fora do nosso controle, há um ângulo que se conecta diretamente com o Android – e é algo importante para pensar, independente se você usa o Facebook ou não.

Estou falando sobre a revelação recente, em meio a todo o resto, de que o Facebook estavam mantendo registros de longo prazo de todas as ligações e mensagens realizadas/enviadas em aparelhos Android com os aplicativos Messenger e Facebook Lite instalados.

O Facebook agora diz que escalou de volta a coleta desses dados, mas o simples fato de a companhia acessar e armazenar essa quantidade de informações pessoais – geralmente de usuários que não tinham conhecimento do que estava acontecendo – certamente é algo para abrir os olhos, para dizer o mínimo. 

Como o site especializado Android Central explica, tecnicamente o Facebook não estava fazendo nada de errado com essa ação; a empresa estava simplesmente se aproveitando do modelo antigo (pré-2015) de permissões do Android, que apresentava aos usuários uma lista extensa com permissões necessárias toda vez que um novo app era instalado. A configuração mais recente – introduzida em 2015 com o Android 6.0 Marshmallow (mas aparentemente adotada pelo Facebook apenas no meio de 2017, conforme o AC Crew) – apresenta as permissões caso a caso à medida que um aplicativo as exige e então permite que o usuário aceite ou negue essas permissões de maneira clara.

Então agora, se o Facebook ou qualquer outro aplicativo quiser acessar os seus contatos, dados de telefone, informações de mensagens, ou qualquer outra coisa, precisará pedir de forma explícita por isso – e você poderá aprovar ou negar essa permissão (e então continuar usando o aplicativo).

A dura verdade, no entanto, é que mesmo com esse cenário novo e melhorado, todos somos culpados por aceitar cegamente algumas das solicitações dos apps sem realmente ler os conteúdos com cuidado ou pensar com mais calma. É o bom e velho efeito “termos de serviço”: quando você está no meio de uma tarefa e aparece uma janela/notificação pop-up, seu primeiro instinto costuma ser algo como: “Sim sim, qualquer coisa – apenas saia do meu caminho”. E isso pode significar que você acabe concedendo permissão para um app fazer algo que você, na verdade, não gostaria.  

Mas aqui vai a boa notícia em meio a isso tudo: o estado atual do Android torna incrivelmente fácil o processo de visualizar as permissões comuns no sistema e ver quais apps possuem acesso a elas. A partir daí, tudo que você precisa é de um simples toque na tela para retirar um app da lista e cortar inteiramente esse acesso.

Por conta de tudo o que está acontecendo com o Facebook no momento, parece uma boa hora para todo mundo – seja usuário da rede social ou não – tirar alguns minutos do dia para revisar as permissões dos apps no Android e se certificar de que entende exatamente quais programas possuem acesso a quais tipos de informações. Neste domínio, afinal de contas, o poder está nas nossas mãos.

Verificando as permissões dos seus apps Android

Presumindo que o seu aparelho Android tenha o Android 6.0 ou versão mais recente – presentes nos aparelhos mais recentes – veja abaixo o que você precisa fazer para entrar nas permissões de apps e ver o que eles estão acessando:

1-Abra a seção Apps & Notificações nas configurações do sistema. (Caso o seu aparelho não tenha uma seção com esse nome exato, busque pelo equivalente mais próximo, como Aplicativos.)

2-Busque pela opção Permissões do Aplicativo e toque nela.

3-Vê todas essas categorias diferentes? São os tipos de permissões que você concedeu aos apps com o passar do tempo.

4-Toque em Telefone para ver quais apps estão autorizados a gerenciarem as diversas funções relacionadas ao seu celular.

Agora, eu não mexeria em itens relacionados à operadora ou à Google Play, uma vez que isso pode fazer com que partes importantes do aparelho deixem de funcionar como deveriam.

Mas se você encontrar algo como um app do seu banco ou de um serviço de streaming, pode ir em frente e desativar a chave ao lado. A pior coisa que poderá acontecer é que o app irá solicitar novamente por permissão na próxima vez que você tentar fazer algo para o qual ela seja exigida, e então você poderá decidir se quer liberar ou não. 

5-Navegue pelas outras categorias de permissões para os apps – especialmente Local, Contatos e SMS – e considere cuidadosamente cada app para o qual você concedeu permissão e se realmente quer que o software tenha esse tipo de acesso (e que tipo de funcionalidade você poderá perder ao removê-la).

6-Configure um lembrete para revisitar essa seção das permissões de apps a cada seis meses ou algo assim. Nunca é demais saber o que está acontecendo no seu smartphone e quais tipos de permissões você está liberando para empresas terceirizadas.

via IDG Now!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *