Mastercard diz que investiria em criptomoedas regulamentadas por governos

Como quase toda instituição financeira tradicional, a Mastercard sempre teve um pé atrás com o conceito de moedas digitais. Contudo, durante uma entrevista concedida recentemente ao jornal Financial Times, Ari Sarkar, co-presidente da empresa para a região Ásia-Pacífico, deu a entender que a companhia pode mudar seu jeito de pensar em um futuro breve.

De acordo com o executivo, a Mastercard poderia sim investir e explorar o campo das moedas digitais, desde que elas sejam legalizadas e criadas por entidades governamentais. “Se os governos decidirem criar uma criptomoeda nacional, nós estaríamos muito felizes em olhar para ela de um jeito bem favorável”, afirma Sarkar. O executivo ainda explica que, para cumprir os requisitos regulatórios, uma moeda desse tipo não deve ser anônima.

Diversos países já demonstraram interesse em criar criptomoedas próprias para coexistir ou até mesmo substituir o dinheiro físico, mas, até o momento, somente a Venezuela efetivamente lançou sua moeda digital, batizada como Petro. Vale lembrar que, embora a Mastercard jamais tenha se envolvido diretamente com tal ramo de atuação, ela já investiu na tecnologia blockchain, que é essencial para a construção de criptomoedas.

via Canaltech

Deixe uma resposta