Windows Defender vai lutar contra “scarewares”

O Windows 10 vai ganhar em breve uma nova arma para lutar contra os scarewares, aqueles softwares que exigem mensagens de erro alarmistas, de forma a forçar usuários a comprarem edições pagas para resolução de problemas. A Microsoft anunciou que em uma atualização do Defender, marcada para março, programas desse tipo serão considerados indesejáveis e removidos automaticamente pelo sistema.

A tática, normalmente, é usada por aplicações de limpeza de disco. Muitas vezes, elas apontam para erros inexistentes na plataforma ou indicam a possibilidade de deixar o PC mais rápido, tudo, claro, em troca de uma módica quantia em dinheiro para aquisição de versões completas ou assinaturas. Na maioria das vezes, claro, o prometido não é entregue.

A Microsoft já considera essa dinâmica problemática há algum tempo, com o Windows Defender apontando tais aplicativos como dignos de atenção ao usuário. Agora, entretanto, vai tomar uma ação mais direta contra eles, com o software de proteção efetivamente removendo as aplicações automaticamente do computador, com o mínimo de ação necessária por parte do utilizador.

Na lista negra, claro, estão alguns dos principais responsáveis por esse tipo de prática, normalmente os reis de anúncios enganosos exibidos em sites e baixados por usuários incautos que procuram exatamente o que eles prometem. Se a tentativa é só de obter ganho por meio de assinatura, menos mal, pois muitas destas aplicações carregam consigo, também, malwares e geradores de anúncios falsos que não somente não cumprem a promessa de melhoria como acabam piorando as coisas.

A limpeza começa no dia 1º de março. Até lá, a Microsoft afirma que os desenvolvedores podem testar suas aplicações por meio do portal do Windows Defender, que indica se um executável será ou não considerado malicioso pelo sistema. A empresa sabe que a nova ferramenta pode gerar falsos positivos, sendo assim, deseja dar um tempo para que os desenvolvedores se adequem às mudanças.

O Windows Defender está presente em todas as versões do Windows 10 e funciona como uma espécie de software de proteção padrão do sistema, sendo a primeira linha de defesa contra vírus e malwares caso o usuário não tenha nenhuma opção específica instalada para esse fim. Assim como o uso da própria ferramenta, a atualização será gratuita.

via Canaltech

Deixe uma resposta