Papa do Blockchain dá aula sobre a tecnologia

Eram 20h32 quando Don Tapscott subiu ao palco principal da Campus Part neste quinta-feira (1). O renomado economista e escritor foi bastante aguardado pelo público ávido em aprender mais sobre o assunto do momento: Blockchain. O canadense, que arriscou algumas palavras em português, usou uma linguagem simples para explicar a tecnologia e abordou de forma bem didática 10 grandes aplicações para a “cadeia de blocos”.

“Eu vou explicar a vocês como o Blockchain funciona em três minutos. Demorei quatro anos para conseguir isso. Vamos começar pela Bitcoin. Quando eu te mando R$ 10 mil em Bitcoins, o valor passa por uma rede de milhares de computadores ao redor do mundo. Cada um com um nível maior de criptografia. Por trás desses computadores há um grupo de pessoas chamados de “mineradores”. Eles possuem uma capacidade computacional absurda, cerca de 20 vezes maior que a força do Google. Esses caras usam todo esse poder para encontrar a verdade do que realmente aconteceu. A cada 10 minutos, assim como um batimento cardíaco da rede, um bloco é criado. Esse bloco contém todas as transações dos últimos dez minutos. Os mineradores, então, usam o poder computacional para validar o bloco e os primeiros mineradores a chegar a um consenso são pagos em moeda criptografada a partir daquela Blockchain. Aquele bloco contendo a transação se conecta com o bloco anterior e este se conecta ao anterior e assim por diante, criando uma cadeia de blocos”, disse.

Tapscott continuou: “Se eu quiser hackear aquele bloco e mandar o mesmo dinheiro para diversas pessoas e cometer uma fraude, eu tenho que hackear aquele bloco e o anterior e o anterior e etc. Tudo isso em milhares de computadores ao redor do mundo, cada um deles usando um nível maior de criptografia. E eu ainda tenho de fazer isso ao mesmo tempo em que a força de todos os mineradores checam as transações", completou.

Segundo ele, não é impossível hackear a Blockchain, mas a tecnologia é infinitamente mais segura do que os sistemas usados atualmente pelos governos e instituições financeiras. "É como um nugget, do McDonalds, algo extremamente processado que passou por diversas etapas. Hackear a Blockchain é como tentar transformar o nugget em um frango novamente”, finalizou.

Quando questionado sobre reais ameaças, Tapscott garantiu que a única tecnologia que pode combater o Blockchain é a computação quântica rodando com Bitcoin. O Blockchain Research Institute, criado por Don Tapscott, está fazendo duas pesquisas na área e descobriu que essas tecnologias combinadas podem ser bastante poderosas daqui algum tempo. Mas ainda não se sabe quando isso se tornaria realidade.

Tapscott é autor de A Revolução do Blockchain, livro que detalha como a tecnologia por trás do Bitcoin está mudando o dinheiro, os negócios e o mundo, e como essa revolução afetará a vida das pessoas nos próximos anos.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *