Para desenvolver veículos autônomos, Intel vai mapear ruas com carros comuns

Um dos requisitos fundamentais para a operação de veículos autônomos é o mapeamento de ruas e estradas, de forma que as inteligências artificiais possam se guiar. Mas como fazer isso sem que seja preciso rodar toda a extensão global de vias com câmeras e carros próprios? Utilizar a frota já instalada, conforme demonstrou a Intel em sua conferência na CES 2018.

No palco do evento, a empresa anunciou um conceito que chama de RoadBook, um acervo de imagens de alta definição com ruas, caminhos, sinalização, infraestruturas e outros elementos que são importantes no desenvolvimento dos carros que se dirigem sozinhos. E todos esses dados serão obtidos a partir da frota já existente, por meio de câmeras instaladas em carros comuns.

A iniciativa é possível por meio da Mobileye, uma empresa recém-adquirida pela Intel, justamente, como parte de seus esforços rumo à autonomia. A companhia tem relações com grandes companhias do setor automotivo, como Volkswagen e Nissan, para utilização de um sistema chamado Gerencamento de Experiência em Estrada (ou REM, na sigla em inglês), que monitora o que está à frente do veículo durante todo o tempo.

Hoje, essa tecnologia é usada para aplicação automática do freio de forma a evitar colisões ou detecção de obstáculos que possam causar danos ao veículo. Agora, as mesmas imagens usadas para esse fim também contribuirão para o RoadBook, sendo enviadas para a nuvem como forma de mapear o mundo.

Na apresentação, a Intel demonstrou também como todo esse fluxo de dados, que de acordo com a empresa, consome pouca banda e espaço devido a tecnologias de compressão, também servirá para manter os sistemas sempre atualizados. Como os veículos estão rodando no dia a dia, eles também serão utilizados para detectar mudanças em sentido, obstruções em vias, bloqueios e outros atributos que precisam ser levados em conta no cotidiano de um serviço autônomo.

Os dados passarão a ser integrados às plataformas da Intel ao longo deste ano, com o lançamento formal do RoadBook – como sistema de mapeamento e navegação – acontecerá em 2019. Isso também vai significar o compartilhamento de informações com parceiros, como a NavInfo, da China, e o consórcio Here, também focados em mapeamento e implementação para os veículos que se dirigem sozinhos.

A compra da Mobileye pela Intel foi anunciada em agosto do ano passado e custou US$ 15 bilhões para a fabricante de chips. O grande investimento teve a ver, principalmente, com as tecnologias de inteligência artificial e machine learning da empresa, aplicadas, justamente, no sistema REM, no que o CEO Bryan Krzanich, na época, chamou de um dos maiores desafios de engenharia na história da companhia. O anúncio do RoadBook é um dos primeiros frutos dessa empreitada conjunta.

A CES 2018 está acontecendo em Las Vegas, nos Estados Unidos, e vai até o dia 12 de janeiro. O evento é um dos maiores do mundo em divulgação de produtos e novidades para o consumidor, e em sua edição deste ano, uma das grandes vedetes são os veículos autônomos, com anúncios nesse sentido aparecendo em conferências e estandes de praticamente todas as grandes companhias presentes na feira.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *