Samsung tira a Intel do topo do ranking da indústria de semicondutores

O ano começou muito bem para a Samsung. Pela primeira vez em 26 anos, a empresa sul-coreana assumiu o primeiro lugar da indústria de semicondutores, tirando do posto a Intel. Agora, a fabricante do Galaxy detém 14,6% do mercado global.

O mercado mundial de semicondutores teve receita de US$ 419,7 bilhões em 2017, um crescimento de 22% em relação ao ano anterior. A Samsung aproveitou o bom momento da indústria e registrou alta de 52,6%, resultado que a levou ao topo do ranking, segundo a firma de pesquisa de mercado Gartner.

O que também explica o resultado é que as memórias representaram mais de dois terços de todo o crescimento da receita de semicondutores em 2017 e já é a principal categoria dessa indústria. Isso porque houve falta de estoque, o que provocou um aumento nos preços. A Samsung, a principal fornecedora de memórias, navegou bem nesse cenário.

Segundo o Gartner, a memória NAND teve alta de 17% nos seus preços, enquanto a DRAM cresceu 44%. Isso ajudou também a encarecer computadores e smartphones.

A Intel, que liderava o ranking desde 1992, cresceu pouco: a receita saltou 6,7% de 2016 para o ano passado, a maior parte originada da demanda por serviços de comunicação e nuvem.

O que travou o crescimento da Intel foram os processadores para PC, que tiveram alta na receita de apenas 1,9%. A avaliação é que neste ano os índices melhorem, pois os desktops estão sendo reposicionados no mercado. 

Queda esperada

O mercado vê a liderança da Samsung como algo passageiro. Os preços das memórias devem voltar ao patamar normal já em 2018. Além disso, a empresa vai sofrer concorrência da China, que deve aumentar sua capacidade de produção.

Para o vice-presidente de pesquisa do Gartner, Andrew Norwood, "a liderança da Samsung foi literalmente construída na areia, sob a forma de memória de silício", o que indica que em breve esse castelo deve desmoronar.

via Canaltech

Deixe uma resposta