Cabo submarino atinge recorde de 144 terabits entre Hong Kong e os EUA

Em apenas 1 segundo, o cabo submarino que liga Hong Kong a Los Angeles, nos Estados Unidos, bateu o recorde de transmissão de 144 terabits. Esse cabeamento será essencial para empresas como Google e Facebook seguirem atendendo à demanda internacional.

O início das operações do cabo submarino está previsto para o final de 2018, percorrendo 13 mil quilômetros entre o continente asiático e o norte-americano, enviando dados em ambas as direções. O cabo conectará os data centers das gigantes entre os EUA e a Ásia pelo Pacífico.

No ano passado, 77% do tráfego que corre abaixo do Atlântico foi destinado a dados telefônicos, segundo Alan Maldin, diretor de pesquisa da TeleGeography. Por conta de seus benefícios, Facebook, Google e Microsoft compraram grandes posições em empresas de cabeamento submarino para suas operações. A Google, por exemplo, precisa dobrar sua capacidade de transmissão anualmente para sustentar toda sua demanda.

Por mais de 30 anos, o crescimento na transmissão de dados de fibra óptica ultrapassou a Lei de Moore, e novos tipos de fibras introduzidas na década de 1980 impulsionaram essa capacidade de 90 megabits para mais de 1 gigabit. Então, transmissores ópticos conseguiram elevar essa taxa para 10 gigabits por segundo na década seguinte. Até 2010, uma atualização sofisticada dessas redes aumentou a taxa de dados por comprimento de onda, fazendo com que fosse possível transmitir 10 vezes a quantidade anterior. Mas a demanda segue em largo crescimento, e as estruturas atuais já não conseguirão mais comportar tamanha necessidade.

Então, o novo cabeamento, chamado de Pacific Light Cable Network, será responsável pelo futuro próximo dessas transmissões. "Os cabos submarinos representam o auge das competências de transmissão óptica, não em termos de capacidade, mas em termos de produto de alcance de capacidade", declarou Geoff Bennett, diretor de soluções e tecnologia da Infinera Corp.

via Canaltech

Deixe uma resposta