Neil deGrasse Tyson é acusado de drogar e estuprar colega nos anos 1980

Uma história revelada em 2014 veio à tona novamente, graças à campanha #metoo, que reuniu relatos nas redes sociais de mulheres de todo o mundo denunciando casos de abuso sexual. Tchiya Amet aproveitou a ocasião para usar a hashtag e divulgar mais uma vez uma publicação de seu blog pessoal, em que acusou o astrofísico e apresentador da série Cosmos: Uma Odisséia no Espaço-Tempo, Neil deGrasse Tyson, de tê-la drogado e estuprado na década de 1980.

O caso teria acontecido quando ambos estudavam na Universidade do Texas, nos Estados Unidos. Amet contou o seguinte: "eu era uma estudante de astronomia durante o mesmo período do Sr. Tyson. Meu sonho era me tornar a primeira astronauta negra". Ainda segundo o relato, Amet e Tyson eram amigos bastante próximos, e era comum que a moça o visitasse em seu apartamento diariamente. "Ele era uma espécie de irmão mais velho para mim, ou pelo menos era o que eu pensava", disse.

Em um determinado dia, ao chegar no apartamento de Tyson, ele teria oferecido a ela um copo de água. Ela aceitou e, em seguida, tudo ficou confuso. "Eu lembro de recuperar minha consciência momentaneamente e a próxima coisa da qual me lembro é de vê-lo no corredor, no dia seguinte". Ela acredita que o astrofísico a sedou com a "droga do abuso" (ácido gama-hidroxibutírico), deixando-a inconsciente e estuprando-a em seguida.

Como consequência daquele dia, Amet disse que passou a conviver com um estresse pós-traumático durante 25 anos, e que isso teria afetado todas as relações que tentou manter desde então. Neil deGrasse Tyson, por sua vez, se recusa a comentar o assunto desde 2014, quando Amet o trouxe à tona pela primeira vez, e permanece em silêncio agora, quando a denúncia foi retomada.

Caso o estupro seja, de alguma forma, comprovado, a carreira do astrofísico preferido de toda uma geração pode estar em risco. Na segunda-feira (30), o ator Kevin Spacey precisou se pronunciar publicamente por ter assediado sexualmente um ator de 14 anos de idade também na década de 1980, forçando-o a se assumir publicamente como homossexual. A postura do ator foi duramente criticada pela comunidade LGBTQ, que entendeu a "saída do armário" de Spacey como uma maneira de desviar a acusação do assédio. Como consequência do escândalo, a Netflix decidiu cancelar a produção de House of Cards, série em que Spacey é protagonista, com a temporada final prevista para estrear no ano que vem.

via Canaltech

Deixe uma resposta