Reciclagem de Samsung Galaxy antigos transforma smartphones em mineradores

Que atire a primeira pedra quem não tem aquele smartphone antigo guardado no fundo do armário. Pior ainda, um dispositivo que foi de topo de linha há alguns anos, mas hoje já não recebe mais atualizações, apesar de estar em perfeitas condições de uso. Caso esse exemplo se encaixe para o seu Galaxy S5, a Samsung tem uma ideia para ele: transformá-lo em um minerador de Bitcoins.

O projeto é do C-Lab, o laboratório de inovação da fabricante que trabalha no desenvolvimento de ideias experimentais, e é apenas uma das ideias disponíveis como parte de uma iniciativa da empresa. Originalmente, essas ideias não necessariamente fazem parte do mainstream de propostas da asiática, mas aqui é diferente, com as soluções se tornando parte do programa de reciclagem de unidades antigas da empresa, de forma a reduzir os custos com desmontagem e a poluição caso tais dispositivos fossem simplesmente jogados no lixo.

Usando 40 smartphones do modelo, a Samsung diz ser capaz de criar um sistema de mineração com o mesmo poder de um processador Core i7 de segunda geração, o mais utilizado em máquinas do tipo, só que com muito mais eficiência energética. Um sistema operacional proprietário e voltado para a mineração desliga todas as funções desnecessárias dos aparelhos, usando apenas o processamento de CPUs e GPUs para obter moedas digitais.

 

Em um site dedicado exclusivamente à reciclagem de dispositivos da linha Galaxy, outras ideias estão disponíveis. No GitHub, o grupo de desenvolvimento exibe outras ideias diferenciadas, como a transformação de um modelo S3 em um monitor para aquários ou o uso de um tablet, agora rodando Ubuntu, transformado em um notebook bastante funcional, com tela sensível ao toque e leve o suficiente para ser carregado por aí.

Isso sem falar, é claro, de outras utilizações que soam mais convencionais, como a transformação dos smartphones em uma central de emulação de jogos antigos, utilizando uma versão customizada do Android, ou seu uso para automação doméstica, que nem mesmo necessita de mudança no sistema operacional, apenas da personalização de alguns aplicativos e recursos.

Por fim, a Samsung ainda convida desenvolvedores e entusiastas a contribuírem com seus próprios projetos, de preferência de maneiras amigáveis para que qualquer um possa fazer a transição de seus equipamentos antigos. A plataforma já está no ar e a expectativa é que novos projetos sejam liberados em breve.

via Canaltech

Deixe uma resposta