O Facebook jura que não usa o microfone do seu celular para direcionar anúncios

O Facebook usa o microfone do seu celular para espionar suas conversas? Há quem acredite que sim. É estranho notar que, após conversar sobre determinado assunto, começam a aparecer anúncios relacionados no seu feed — mesmo que você não tenha pesquisado nada a respeito.

PJ Vogt, apresentador do podcast Reply All, reuniu uma série de histórias para seu episódio mais recente, sobre anúncios que apareceram no feed após determinados assuntos serem discutidos verbalmente.

Então, o vice-presidente de marketing Rob Goldman respondeu no Twitter: “eu cuido de produtos publicitários no Facebook. Nós não usamos — e nunca usamos antes — seu microfone para anúncios. Simplesmente não é verdade”.

Foto por Oliver Graumnitz/Pixabay

No ano passado, aconteceu algo semelhante. Kelli Burns, professora na Universidade do Sul da Flórida, fez um experimento: ela falou sobre alguns assuntos específicos próxima ao smartphone, e depois encontrou anúncios relacionados em seu feed do Facebook.

Na época, a rede social emitiu o seguinte comunicado:

O Facebook não usa o microfone do seu celular para direcionar anúncios, nem para alterar o que você vê no Feed de Notícias… Mostramos anúncios com base nos interesses das pessoas e em outras informações de perfil — não no que você está falando em voz alta.

Nós só acessamos seu microfone se você deu essa permissão para nosso aplicativo, e se você estiver usando ativamente um recurso específico que requer áudio, como gravar um vídeo.

Ainda assim, as pessoas não acreditam na rede social e acham que estão sendo espionadas pelo microfone.

O músico Bipul Lama disse este mês ao Mashable que fez um teste: passou dois dias falando sobre Kit-Kats e, no dia seguinte, só via anúncios do chocolate nos feeds do Instagram e Facebook. Segundo ele, o experimento foi repetido com sucesso ao falar sobre o desinfetante Lysol.

No YouTube, o usuário Neville Black explica que falou, durante uma hora, sobre ração para gatos com o iPhone da esposa nas proximidades. “Dois dias depois, o Facebook começou a exibir propagandas para comida de gato”.

Viés cognitivo?

Por que é tão difícil acreditar que o Facebook não está espionando a gente através do microfone? Isso pode ser culpa do fenômeno de Baader-Meinhof, também conhecido como ilusão de frequência.

O cérebro humano é especialista em reconhecer padrões; ou seja, ele lembra mais fortemente quando uma informação aparece mais de uma vez, em um curto espaço de tempo — por exemplo, quando um assunto discutido verbalmente aparece no Facebook.

Para fazer isso, a mente precisa ignorar tudo o que não é repetido, ou que não se encaixa no padrão — por exemplo, todos os assuntos que você discute verbalmente e que não correspondem aos anúncios do Facebook. Isso é descartado como informação irrelevante.

O professor de matemática David Hand, da Imperial College London, explica à BBC: “quando ocorre uma aparente coincidência, pensamos que deve haver uma explicação, que não pode ser acidental. Mas há muitas oportunidades para que essa coincidência ocorra. Se você tomar algo que tem uma pequena chance de ocorrer e lhe dar oportunidades suficientes, ela inevitavelmente vai acontecer”.

Há outro aspecto importante: “a forma como interagimos com outras pessoas no dia-a-dia é muito semelhante ao que fazemos online”, diz a pesquisadora Brandie Nonnecke, da Universidade da Califórnia em Berkeley, ao Mashable.

Mesmo sem perceber, nós indicamos determinados interesses ao navegar na internet. “Se eu estou discutindo com meu marido sobre ter um filho e vejo coisas no Facebook sobre crianças, é provável que eu esteja procurando outros assuntos que também indicam que estou tentando engravidar”, explica Nonnecke.

Além disso, há algo de invasivo no Facebook, na forma como ele consegue detectar nossas preferências e sugerir amigos com relativa precisão. Como os usuários não sabem os detalhes desse processo, eles sempre assumem o pior.

“As empresas estudam de perto seus usuários e não há transparência nesse processo, então eles assumem outras correlações — que na verdade são coincidências”, diz Ryan Calo, Universidade de Washington, ao Mashable.

Se você acredita que o Facebook está usando seu microfone a todo momento, é possível impedir isso. No iOS, siga o caminho Ajustes > Facebook > Configurações e desligue a permissão Microfone. No Android (Marshmallow 6.0 ou superior), vá em Configurar > Aplicativos > Facebook > Permissões e desative a opção Microfone.

Ou, é claro, você pode tentar evitar o Facebook caso essa onisciência pareça assustadora demais. Infelizmente, essa não é uma tarefa fácil: a rede social reúne quase dois bilhões de usuários, e é dona do Instagram e do WhatsApp.

Com informações: The Next Web, Mashable.

O Facebook jura que não usa o microfone do seu celular para direcionar anúncios

via Tecnoblog

Deixe uma resposta