iPhone X pode demorar até seis semanas para chegar aos primeiros compradores

Como se a notícia de esgotamento em apenas alguns minutos não fosse demonstração o bastante para isso, a Apple veio a público para confirmar que as pré-vendas do iPhone X estão tendo performance bem acima da esperada. Em comunicado oficial, a companhia disse estar trabalhando duro para garantir que os dispositivos sejam entregues o mais rapidamente possível, mas que alguns compradores podem ter de esperar até seis semanas para colocar suas mãos no smartphone.

As informações sobre estimativa de envio, entretanto, são rumores, com a Maçã evitando estrategicamente falar em datas. Ela apenas lembra aos interessados que não conseguirem adquirir um produto online que unidades do iPhone X também estarão disponíveis em suas lojas físicas e também de operadoras em todos os países nos quais o lançamento está marcado para o dia 3 de novembro.

Nestes casos, entretanto, o melhor é que os clientes se preparem para longas filas, já que, da mesma maneira, a Apple não falou sobre números de unidades, enquanto os rumores indicam que elas serão poucas e bem abaixo da demanda esperada, entregues em ordem de chegada. Tudo isso é fruto dos problemas de fabricação, principalmente na unidade de reconhecimento facial, uma das funcionalidades inéditas do iPhone X.

Analistas de mercado e insiders das unidades de fabricação na Ásia fazem o trabalho de preencher as lacunas deixadas pela Maçã. De acordo com a KGI Securities, que normalmente acerta previsões relacionadas à empresa, o lançamento do iPhone X contará com de dois a três milhões de unidades em todo o mundo, com estoques bastante baixos e aparelhos esgotados com frequência, pelo menos até o fim do ano.

Já Gene Munster, da Loup Ventures, enxerga uma demanda semelhante à vista no lançamento do iPhone 6 Plus, há alguns anos. O aparelho bateu todos os números de antecipação, vendas e filas da Apple justamente devido à sua tela maior que a dos dispositivos anteriores. Como, agora, também há uma revolução nesse sentido, o analista espera ver movimento semelhante – mas sem recordes de vendas devido, novamente, à falta de unidades à disposição dos consumidores.

Dificuldades na produção

A calamidade teria começado ainda nos primeiros dias de construção do dispositivo. Primeiro, devido à dificuldade da Samsung e outras fornecedoras de entregarem painéis OLED em quantidade suficiente, e depois pela complexidade de fabricação e montagem da câmera e sistemas de reconhecimento facial. Os últimos problemas teriam sido resolvidos somente no final de setembro, garantindo que mais smartphones passassem no controle de qualidade, mas não a tempo de chegarem às lojas no lançamento.

Mesmo com todas as expectativas trabalhando contra si, a Apple não comenta mais sobre o assunto. A empresa deixou até mesmo de liberar os números relacionados à primeira semana de dispositivos nas prateleiras, afirmando que essa métrica não era adequada para consumidores e investidores. Para analistas, isso também tem a ver com a loucura de sempre, com filas e usuários insatisfeitos, e ao fato de a demanda ser sempre bem maior que a oferta.

A insanidade começa no final desta semana. O lançamento do iPhone X está marcado para o dia 3 de novembro na gringa. No Brasil, ainda não há data marcada para a chegada do aparelho. A expectativa é que ele dê as caras por aqui antes do final do ano.

via Canaltech

Deixe uma resposta