Encontrado astrolábio que pertencia à esquadra de Vasco da Gama

Pedro Álvares Cabral e sua trupe só conseguiram dar as caras no Brasil em 1500 porque aprenderam com os melhores: foi o povo português que inaugurou a chamada Era das Navegações ainda no século 15, dominando os sete mares e expandindo seus territórios por todo o globo. Ao lado de Fernão de Magalhães, o capitão Vasco da Gama é considerado um dos expoentes desse período, tendo assinado a façanha de cumprir a rota direta até a Índia pela primeira vez na história.

Além de confiar em embarcações de primeira linha, mapas elaborados e na boa e velha ajudinha do vento, era ideal dominar também o uso de instrumentos de navegação. Guiados por equipamentos como o astrolábio, os portugueses diminuíam suas chances de se perder na imensidão azul. A ferramenta era utilizada por marinheiros para medir a altura do Sol durante as viagens. Assim, conseguia-se estimar a localização aproximada do barco a partir da posição do astro no céu ao longo do dia.

A descoberta de um dos astrolábios utilizados pela tripulação de Vasco da Gama foi revelada recentemente. O objeto era um dos 3 mil artefatos que estavam entre os restos de um navio naufragado na costa de Omã, descobertos em 2014. Acontece que, até então, o objeto não havia sido estudado com detalhes. Coube a um grupo de cientistas da Universidade de Warwick, no Reino Unido, confirmar a hipótese de que se tratava mesmo de um astrolábio. Análises feitas com escaneamento a laser revelaram as marcações ao longo do disco, separadas 5º entre si — justamente as medições usadas pelos marinheiros para acompanhar o Sol.

Feito de bronze, o instrumento tem 2 milímetros de espessura e diâmetro de 17,5 cm. Estima-se que ele tenha sido produzido entre 1495 e 1500, e estivesse dentro da nau Esmeralda — que teria afundado no Oceano Índico após uma tempestade, em 1503.

“Era um objeto que eu nunca tinha visto antes, e na hora percebi que deveria ser algo bastante importante, já que havia dois emblemas gravados nele”, explicou David Mearns, arqueólogo que liderou as escavações, em entrevista à BBC. “Um desses emblemas eu reconheci imediatamente como sendo o brasão de armas português… e o outro, descobri mais tarde que se tratava do distintivo pessoal de D. Manuel I, rei de Portugal nessa época.”

Pode-se dizer que astrolábios desse tipo são artigos raros: este, usado por Vasco da Gama, seria apenas o 108º encontrado em toda a história. De acordo com os arqueólogos, a descoberta representa o item de navegação mais antigo que se tem notícia.

via Superinteressante

Deixe uma resposta