Samsung Galaxy J7 pega fogo em voo na Índia

Parece que as companhias aéreas da Índia e a Samsung vivem em um dilema preocupante. Depois dos casos incendiários com o Galaxy Note 7 que fizeram com que os passageiros do país não pudessem despachar o aparelho como bagagem e nem deixá-lo ligado durante o voo, agora mais um dispositivo da marca sul-coreana enfrenta problemas.

O "dispositivo-problema" desta vez foi um Galaxy J7, que pegou fogo na última sexta-feira (20) em um voo da companhia Jet Airways entre as cidades indianas de Deli e Indore. 120 passageiros estavam a bordo.

O aparelho pertencia a Arpita Dhal, moradora de Deli, que percebendo uma fumaça saindo de sua bagagem de mão, cerca de 15 minutos após a decolagem, pediu imediatamente ajuda à tripulação.

"Foi um pânico no meio do ar. Nós oramos por Deus!", comentou Atul, marido de Arpita. Para piorar a situação, nenhum extintor de incêndio a bordo funcionou. "Eu vou reclamar com a Jet Airways assim que retornarmos para casa. Esta é uma questão de segurança dos passageiros. O que eles fariam se os extintores não funcionassem assim no caso de um incêndio ou grande explosão a bordo?", reclamou Atul.

A companhia aérea confirmou o incidente, mas disse que tudo foi resolvido "de acordo com as diretrizes".

"Foi observado, durante o voo 9W-791 Deli-Indore da Jet Airways, que havia fumaça saindo da bagagem de mão de um dos passageiros. A tripulação da Jet Airways imediatamente se encarregou da situação, como também de todos os passos necessários como medida de precaução e de acordo com as diretrizes prescritas", informou um porta-voz da companhia.

A Samsung India também se pronunciou dizendo que estão em "contato com as autoridades relevantes para obter mais informações" e acrescentou que "na Samsung a segurança do consumidor é prioridade máxima".

Ah, e você quer saber como o fogo foi apagado se os extintores não funcionaram? A tripulação mergulhou o Galaxy J7 em um recipiente com água. Outros três celulares que estavam na mesma bagagem também foram mergulhados como precaução.

A Jet Airways ainda informou que o smartphone havia sido confiscado e seria devolvido após a investigação.

via Canaltech

Deixe uma resposta