Qualcomm quer impedir Apple de fabricar e vender iPhones na China

Antes a gente lia muita coisa sobre as brigas judiciais entre Apple e Samsung, mas agora a inimiga da Maçã é outra: a Qualcomm. As duas empresas vêm promovendo um verdadeiro vale-tudo jurídico nos últimos meses, com reviravoltas dignas de séries de TV. Nesta sexta-feira (13), por exemplo, a fabricante de componentes eletrônicos entrou com vários processos na China para impedir a manufatura e venda de iPhones naquele país.

De acordo com a Bloomberg, os processos foram registrados em setembro numa corte de patentes em Pequim e alegam que a Apple infringiu várias propriedades intelectuais da Qualcomm. O centro da briga toda, no entanto, são os sistemas de gerenciamento de energia e a tecnologia responsável pelo Force Touch empregada nos iPhones, cujas propriedades a fabricante dos Snapdragon alega serem dela.

Toda essa briga começou quando a Apple processou a Qualcomm e pediu US$ 1 bilhão por ela ter quebrado algumas de suas patentes. A ação judicial foi respondida pela contraparte com um pedido à Justiça dos EUA para impedir a importação de iPhones para o território norte-americano. Claro que a jogada não colou e agora a Qualcomm quer prejudicar sua rival em um dos mercados mais promissores para o iPhone.

Para o analista da Cacaccord Genuity, Mike Walkley, os processos fazem parte de uma estratégia da Qualcomm para fazer a Apple voltar a negociar o valor do processo original com ela. Mais do que isso, o analista acredita que este é um claro sinal de que as coisas não vão bem para fabricante de componentes eletrônicos.

Isso por que a empresa já vem enfrentando diversos processos em vários países e de entidades reguladoras diferentes. No começo desta semana, por exemplo, ela foi condenada por práticas comerciais abusivas e terá de pagar US$ 774 milhões às entidades reguladoras de Taiwan. Nos Estados Unidos, a Qualcomm também enfrenta um processo da Comissão Federal de Comércio do país por práticas antitruste.

via Canaltech

Deixe uma resposta