Apple lança versão final do macOS High Sierra

O macOS High Sierra foi anunciado em junho durante a WWDC. Suas novidades estão concentradas nos bastidores: um novo sistema de arquivos, suporte melhorado a vídeos, e melhorias importantes no Safari.

A Apple liberou o High Sierra para todos os dispositivos compatíveis; você pode baixá-lo na Mac App Store gratuitamente se tiver pelo menos 8,8 GB de espaço disponível.

Estes são os dispositivos compatíveis:

  • MacBook (final de 2009 ou posterior)
  • MacBook Pro (meados de 2010 ou posterior)
  • MacBook Air (final de 2010 ou posterior)
  • Mac mini (meados de 2010 ou posterior)
  • iMac (final de 2009 ou posterior)
  • Mac Pro (da metade de 2010 ou posterior)

Vamos começar pelas novidades mais visíveis. O Fotos ganhou uma ferramenta conta-gotas para selecionar e editar uma cor específica; uma ferramenta para ajustes finos através de curvas; um recurso “Comparar” para analisar edições lado a lado; e novos filtros.

Há suporte a recursos vindos do iOS, como Live Photos e Memories. Além disso, o Fotos ganhou links para abrir programas como Photoshop e Pixelmator; as edições que você fizer são salvas diretamente na biblioteca.

Quanto ao Safari, ele impede que vídeos sejam reproduzidos automaticamente com som. E graças ao Intelligent Tracking Prevention, o navegador detecta e remove cookies que rastreiam você entre diferentes sites — algo que irritou a indústria publicitária.

A Siri ganhou uma voz mais natural graças à inteligência artificial, e está mais integrada ao Apple Music, permitindo criar playlists personalizadas. O Spotlight exibe detalhes de voos futuros. E você pode inserir tabelas simples e fixar anotações no Notas.

Agora, vamos dar uma olhada nos bastidores. O High Sierra usa o APFS (Apple File System); é a primeira atualização significativa do sistema de arquivos da Apple em cerca de 30 anos.

Ele copia arquivos e pastas mais rapidamente, e ocupando menos espaço, porque trabalha com “clones”: ele cria outro arquivo que faz referência ao original, em vez de regravar os mesmos dados no disco. Confira mais detalhes aqui.

Vale notar que o APFS está disponível apenas em Macs com armazenamento flash: se você tiver HDD ou Fusion Drive, continuará no antigo HFS+ por enquanto — a Apple promete trazer o novo sistema de arquivos para eles “em uma atualização futura”.

O High Sierra também possui suporte nativo a vídeos em HEVC (também conhecido como H.265), se você tiver um Mac com um processador Intel Core da 6ª geração ou mais recente. Isso é útil para assistir vídeos em 4K usando menos armazenamento e largura de banda.

Também temos aqui o Metal 2, que faz a interface entre o sistema e o chip gráfico/placa de vídeo. Ele permite rodar apps com maior desempenho gráfico, inclusive para realidade virtual.

E graças ao Core ML, o High Sierra tem suporte a inteligência artificial — incluindo visão computacional, processamento de linguagem natural, e aprendizado de máquina para reconhecimento de fala.

Você já baixou o High Sierra? O que achou?

Com informações: Apple, Engadget, The Next Web.

Apple lança versão final do macOS High Sierra

via Tecnoblog

Deixe uma resposta