Empresa francesa polemiza com software espião que revela se seu filho é gay

Uma empresa francesa está sendo duramente criticada por ter lançado um software de espionagem “invisível” que pode ser usado por pais para “descobrir se seu filho é gay”. A epresa chamada Fireworld foi criticada até mesmo pelo governo do país, depois de listar como comportamentos “suspeitos” o uso de piercings e gostar de cantoras mulheres.

Em seu site, a empresa disse que o software é capaz de “hackear a conta do Facebook de seu filho e observar se ele visitou sites voltados ao público gay”, como se esse tipo de atividade significasse que o filho é homossexual, ou, ainda, como se ser gay fosse algo condenável. Contudo, após ser denunciado por grupos de ativismo LGBTQ, o texto foi removido da página.

Para a organização L’Amicale des Jeunes du Refuge, que fez uma denúncia à Secretaria de Estado para a Igualdade da França, a “homofobia e o sexismo têm raízes nos mesmos estereótipos de gênero e vamos lutar contra eles, juntos”. No texto deletado, a Fireworld defendia que “família é fundamental, e é por isso que a orientação sexual de suas crianças é muito responsável para você”.

Entre as “pistas” de que o filho poderia ser gay, estavam “cuidar de si mesmo” e se interessar mais por leitura do que por futebol, além de ser tímido, ter piercings e curtir aquelas cantoras consideradas “divas” da cultura pop. O texto também sugeria formas para se confirmar as suspeitas, como “monitorar o uso do Facebook”, ver se o filho “visitou fóruns de gays” e “espionar suas mensagens privadas”.

Em resposta às denúncias, a empresa disse que “o artigo tinha o único objetivo de melhorar a otimização do site para a ferramenta de buscas com SEO e nunca foi feito para ser lido por humanos”. "Lamentamos não termos refletido sobre as consequências deste tipo de conteúdo", disse a empresa, concluindo com um "pedimos sinceras desculpas a todos aqueles que podem ter se sentido ofendidos por este conteúdo".

Vale lembrar que a instalação de softwares de espionagem de computadores de terceiros, sem o consentimento, é uma prática ilegal na França, e o software oferecido pela Fireworld permite o monitoramento de até 10 computadores diferentes, à distância.

via Canaltech

Deixe uma resposta