Oukitel U11 Plus: review/análise [vídeo]

O mercado de Androids está cada vez mais recheado de opções chinesas para o consumidor que busca soluções acessíveis com hardwares supostamente competentes. Todavia, a verdade é que nem sempre as marcas asiáticas conseguem entregar soluções completamente inovadoras.

Entre tantos nomes, a Oukitel é uma fabricante que vem chamando a atenção por seus exageros — como baterias de até 10 mil mAh ou celulares com incrível resistências — que, em teoria, devem ultrapassar as vantagens oferecidas por grandes nomes.

Recentemente, nós recebemos o Oukitel U11 Plus, que é para ser o “top de linha” da marca. Com configurações bastante expressivas, este modelo chama a atenção entre tantos dispositivos mais básicos ou que simplesmente não encontram um público-alvo.

Este modelo vem com tela gigante, processador de oito núcleos, muita memória e até leitor de digitais. Além desses diferenciais, a fabricante foca muito na questão da autonomia de bateria. É claro que as promessas são diversas, mas será que ele realmente entrega e experiência de um top de linha?

Especificações

Design genérico

Quando falamos de aparelhos chineses, é comum haver comentários quanto à identidade, às vezes, genérica ou pouco inovadora. Este é justamente o caso do Oukitel U11 Plus, que chega sem ter grande inovação nesse ponto e mais parece uma cópia de um HTC com alguns ajustes pouco coerentes.

O U11 Plus chega nas versões preta e azul, mas o modelo apresentado no site da fabricante não parece bem o que recebemos. Nós testamos o aparelho na cor preta, que tem uma textura diferenciada na parte traseira, com arranjos circulares ao redor do leitor biométrico.

Apesar do visual bem simples, o acabamento é bom e parece bem resistente. As bordas de alumínio ajudam nesse sentido, mas não espere muita coisa da traseira ou da tela (vamos comentar posteriormente sobre isso).

É interessante perceber que existe uma grande discrepância entre a promessa da fabricante e a realidade. A Oukitel diz em seu site oficial que este aparelho é uma “obra de arte de tirar o fôlego”. Essa questão de design é algo bastante relativo, mas considerando os principais modelos do mercado, este dispositivo está bem atrás em tendência e inovação.

Tela de boa qualidade

Seguindo a receita de outras marcas que apostaram em telas com dimensões avantajadas próximas de 6 polegadas, a Oukitel colocou no U11 Plus um display gigantesco. A tela de 5,7 polegadas é bastante agradável para jogos e filmes, ainda mais com resolução Full HD.

Apesar disso, ela nem se compara com as incríveis telas que vemos nos aparelhos da Samsung ou LG. Um olhar rápido já nos permite compreender que o conceito aqui é muito mais próximo do Quantum MUV Up, inclusive pela qualidade de exibição.

Infelizmente, a Oukitel não dá detalhes da tela, então não temos muitas informações sobre a tecnologia exata utilizada aqui. Trata-se de um display LCD de boa qualidade, com colorido bem chamativo e um balanço equilibrado de brilho e contraste.

Quanto à proteção, falta aqui uma tecnologia como a Gorilla Glass para evitar eventuais riscos. O acabamento 2,5D ajuda um pouco nesse sentido e, felizmente, a marca manda uma película contra riscos. Todavia, é importante notar que, com apenas uma semana de uso, a película já apresentou sinais de desgaste.

Android quase original

O sistema do Oukitel U11 Plus já é o Android 7.0, o que realmente nos impressionou, já que ele vem com as mais recentes atualizações de segurança e recursos mais práticos para o dia a dia, bem como se diferencia de outros produtos chineses que ainda optam pelo Android 6.0.

A interface do sistema é própria da Oukitel, porém ela não é tão diferente da versão padrão do Android. A fabricante incluiu alguns temas, que mudam um pouco as cores e acrescentam algumas funções. Os ícones são personalizados e arredondados, o que deixa tudo um pouco confuso nas primeiras horas.

Felizmente, a fabricante inovou ao adicioonar alguns truques neste aparelho. Ele vem com recursos especiais para abrir programas direto da tela de bloqueio (com gestos simples), tirar as screenshots com gesto de três dedos (basta deslizar três dedos de baixo para cima) ou o bloqueio rápido no botão Home.

Desempenho razoável, mas alguns problemas com jogos

Com uma configuração bem equilibrada de hardware, o Oukitel U11 Plus entrega bom desempenho no Android, com rapidez na navegação e muita velocidade para abrir os apps. Os programas simples funcionam tranquilamente e abrem instantanemaente.

O responsável pela mágica do processamento é o chipset MediaTek 6750T. O processador de oito núcleos tem núcleos que rodam com clock de até 1,5 GHz, mas metade deles são limitados à frequência 1,0 GHz. Com 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento, dá para rodar vários apps em paralelo e armazenar muitos arquivos.

O chip gráfico é o Mali T860, que apesar de já ser um tanto desatualizado, ainda dá conta de rodar games recentes. Este componente tem desempenho similar ao que vemos no Moto G5. Com esse chip, o U11 Plus até que roda legal jogos modernos em Full HD, mas não espere aquele desempenho.

É bizarro que o U11 Plus “engasga” em jogos simples como o Comix Zone. O Mortal Kombat X também não apresenta leves travadas e pior, às vezes, o jogo fecha sem motivo. Pelo menos o Asphalt Extreme funciona bem na qualidade média. O jogo do Sackboy rodou com desempenho bom e visual agradável.

Benchmarks – Comparativos de performance

Como de costume, nós realizamos uma série de benchmarks para averiguar o desempenho do hardware dos smartphones. Abaixo, nós comentamos sobre três softwares que usamos como principais referenciais: 3D Mark, AnTuTu Benchmark 6 e PCMark.

3DMark

Considerado um dos principais aplicativos de benchmark para chips gráficos (tanto em computadores quanto em celulares), o 3D Mark verifica as capacidades para renderização de texturas, polígonos, efeitos e filtros que são comumente utilizados em jogos. Para evitar distorções nos resultados, nós rodamos o Ice Storm Unlimited, que analisa a capacidade do chip gráfico independente da resolução.

AnTuTu

É muito complicado averiguar a performance geral de um celular apenas com base na experiência de uso, uma vez que as configurações de hardware atuais entregam resultados similares. Assim, a utilização de um aplicativo especializado é bastante útil. Nós costumamos usar o AnTuTu para esse tipo de tarefa, uma vez que ele testa interface, CPU, GPU, armazenamento e memória RAM.

PCMark

Para uma análise mais completa e que simula atividades práticas, nós usamos o programa PCMark. Este software já ficou famoso nos computadores por sua eficiência e diversidade de testes. Nos celulares, ele testa a capacidade do aparelho para navegação na web, edição de vídeos, escrita e edição de imagens. Ao final, o aplicativo apresenta também uma pontuação geral.

Câmeras bem fracas

A qualidade de foto do U11 Plus deixa bastante a desejar, principalmente no modo automático. A marca ainda tenta dar enganar nos números, com uma propaganda de que a resolução é de 16 megapixels, quando, na verdade, os sensores são de 13 megapixels.

As câmeras fazem imagens bem mais ou menos. Elas são suficientes para registrar momentos no dia a dia, mas o resultado geral fica bem abaixo do esperado, com graves problemas no balanço de brilho, contraste e outros parâmetros.

Celulares que fazem bons registros em cenários escuros são raros, então não nos surpreende que o U11 Plus “faça feio” nesse tipo de situação. Todavia, a falta de qualidade até para capturas em ambientes bem iluminados ou mesmo em cenários com luz do dia nos deixou preocupados. Confira algumas imagens:

A fabricante destaca os flashes, mas isso não ajuda em quase nenhuma situação. No fim das contas, para conseguir fotos com alguma qualidade, você vai precisar fazer ajustes manuais e manjar de fotografia. Bem ruim pra um “top de linha”.

Bateria de boa autonomia

Pelo menos, a bateria do Oukitel U11 Plus está dentro do aceitável. Com componente energético de 3.700 mAh, nós não duvidamos por 1 segundo da capacidade do produto nesse sentido.

Por padrão, nós realizamos um teste padronizado para conferir a autonomia da bateria. Nesse processo, executamos um vídeo de 1 hora no YouTube, com o WiFi ligado, o brilho da tela regulado em 50% e o som ativado. Ao fim do teste, anotamos a porcentagem de bateria restante e, dessa forma, fazemos um cálculo aproximado da duração de energia até que ela se esgote para tal tarefa.

O teste com o Oukitel U11 Plus foi bom: a bateria tem autonomia total de 9 horas e 05 minutos para reprodução de vídeo na internet. Na hora dos games, você pode esperar uma autonomia que chega a quase 5 horas.

Considerando a utilização padrão do dia a dia — com navegação na web, conversas em mensageiros, músicas no Spotify e alguns joguinhos —, a bateria pode ultrapassar facilmente 24 horas. Essa autonomia pode aumentar se você regular o brilho da tela ou fizer outros truques.

Extras

Para compensar as tantas mancadas, a Oukitel instalou um leitor biométrico neste celular. Apesar de não ser o mais rápido ou eficiente, o componente de segurança do U11 Plus se mostra bastante prático no cotidiano.

Quanto à parte sonora, você não deve esperar muito deste smartphone. O som desse Oukitel é bem fraco, com agudos estridentes e uma equalização que não é muito agradável quando o volume está noo nível máximo. Então, melhor você comprar fones de ouvido para curtir suas músicas com qualidade.

Vale a pena?

No fim das contas, o Oukitel U11 Plus é um celular que fica bem longe de ser um top de linha, mas é o que a marca tem para oferecer. Ele jamais tem chances de concorrer com grandes nomes da indústria ou mesmo com os tops de linha da OnePlus. Ele está mais para um concorrente do Moto G5 ou G5 Plus, mas ele perde em todos os aspectos para os principais intermediários premium.

Particularmente, eu achei este celular bem grande e desconfortável. A parte de design também não me agradou e não vi nada de excepcional na parte de hardware. As câmeras são bem fracas e não devem dar conta de bons registros. O áudio também deixa a desejar, o que faz o conjunto ser bem fraco. As únicas vantagens ficam por conta da bateria e da experiência prática com o Android.

Por fim, é importante pensar na questão do preço. O Oukitel U11 Plus se destaca nesse aspecto, já que ele está disponível na Gearbest por cerca de 500 reais, o que é mais ou menos o preço de um LG K4. Pensando nessa parte, até que ele pode ser uma aposta razoável. Todavia, nós não recomendamos este produto. E então, o que você achou desse Oukitel? Conta para gente nos comentários.

Promoções

Este produto foi cedido pela Gearbest para a realização desta análise.

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *