Quanto custa para manter o Air Force One operando?

Há algumas semanas nós publicamos aqui o TecMundo qual era o custo para se manter um Boeing 747 no ar durante uma hora, o que dava algo em torno de US$ 25 mil (ou quase R$ 80 mil por aqui). Mas… E se esse 747 for o meio de transporte do presente dos Estados Unidos?

O grupo Judicial Watch – o mesmo que vazou os e-mails da então candidata a presidência Hillary Clinton – resolveu fazer esse cálculo e o resultado é “ligeiramente” maior do que para a versão comum do imenso Boeing: cada hora do Air Force One voando resultam em US$ 142,3 mil (R$ 444 mil) a menos na conta do governo norte-americano.

Os dados foram levantados com base em informações divulgadas pela Força Aérea dos EUA considerando voos realizados durante duas semanas entre fevereiro e maio, totalizando nove horas no ar.

Entre os dias 3 e 6 de fevereiro, por exemplo, o Air Force One voou 4,7 horas a um custo de US$ 669 mil, enquanto em outra ocasião, em março, foram 4,3 horas no ar a uma cifra total de US$ 612,2 mil.

Por que tão caro, você deve se perguntar? Bem, o voo do presidente de um dos países mais poderosos do mundo não é exatamente a atividade mais simples de se organizar: os custos envolvem o combustível, todos os consumíveis de dentro da aeronave, manutenção do avião e das turbinas.

O Judicial Watch resolveu acompanhar as informações depois das frequentes viagens do atual presidente Donald Trump a sua residência em Mar-a-Lago, no estado da Flórida. Ainda assim, o grupo também levantou os dados da gestão anterior, do presidente Barack Obama, que acumulou US$ 97 milhões em viagens durante seus anos no comando dos EUA.

O “Força Aérea Um”

O Boeing 747-200B, de codinome técnico VC-25A, mas mais conhecido por seu apelido “Força Aérea Um” vem, sendo usado desde o governo de Ronald Reagan e começou a operar em 1990. O interior dos primeiros modelos foi desenhado pela então primeira dama, Nancy Reagan.

O presidente e seus acompanhantes contam com 371 metros quadrados de espaço divididos em três andares. Nesse espaço está incluída uma suíte com escritório e sala de conferência para a maior autoridade do país, além de um setor médico que também pode servir como uma sala de cirurgias. A cozinha da aeronave tem capacidade para servir até 100 pessoas ao mesmo tempo.

A aeronave possui a capacidade de abastecer em pleno voo e todos os equipamentos internos são protegidos contra ataques de pulsos eletromagnéticos, além de toda a parte de comunicação ser protegida – o que pode fazer com que o avião sirva também como um centro de comando móvel em caso de ataque aos Estados Unidos.

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: