Brasileiros recebem 37,5 ligações de telemarketing em média todo mês

Cada brasileiro recebe, em média, 37,5 ligações “spam” por mês, segundo um estudo da Truecaller. Esse é o maior valor entre os países da América Latina, e cresceu 81% em relação ao ano passado. Entre os principais culpados, estão as operadoras de telefonia, empresas de cobrança, além do velho telemarketing.

Como bloquear ligações de números indesejados no Android

Os serviços não-solicitados que mais ligam para os brasileiros são as operadoras (33%), empresas de cobrança (24%), telemarketing (12%) e serviços financeiros (10%). Há ainda as chamadas indesejadas genéricas, que compõem 21% do total. Números identificados como golpe correspondem a 1%.

Isso “pode ser traduzido não apenas como um incômodo, mas também como um fenômeno que pode ter efeitos negativos sobre a produtividade de um funcionário ou ao tempo valioso dedicado à família ou aos amigos”, diz Nick Larsson, chefe de novos negócios da Truecaller, em comunicado.

O Brasil é o país com o maior número de usuários do Truecaller; são 3,1 milhões. A cada mês, o app bloqueia 7,5 milhões de telefonemas indesejados e 1,7 milhão de SMS no país. Inclusive, a empresa diz que 46% de todos os SMS recebidos pelos brasileiros são spam.

Os dados do estudo foram coletados anonimamente através do Truecaller entre 1º e 30 de junho de 2018. Ele inclui chamadas identificadas pelo app como spam, e ligações marcadas como spam pelos usuários.

Anatel quer regular telemarketing no Brasil

Este ano, a Anatel recebeu sugestões da sociedade para regular o telemarketing no Brasil. A ideia é “criar um cadastro para bloqueio de ligações e mensagens” que poderia valer para todo o país. Atualmente, existem iniciativas espalhadas pelos estados, como a lista de bloqueio da Fundação Procon-SP.

Recentemente, o Procon-SP multou 20 empresas que ligaram para pessoas na lista de bloqueios a telemarketing. Isso inclui operadoras, bancos e lojas do varejo online. No total, a punição foi de R$ 80 milhões, mas o valor pode ser questionado na Justiça.

Entre as principais queixas recebidas pelo Procon, estão as robocalls (ligações que na verdade tocam uma gravação) e chamadas que desligam na sua cara ou ficam no mudo. Existe um sistema de telemarketing que disca para uma lista enorme de contatos, e então interrompe a chamada se não houver atendentes para falar com você.

No final do ano passado, um relatório da Truecaller revelou que o Brasil é o terceiro país com mais chamadas de spam no mundo, ficando atrás somente da Índia e dos EUA. É um problema com o qual teremos que lidar — ele já se tornou muito grande, e deve piorar.

Com informações: Truecaller, Mobile Time.

Brasileiros recebem 37,5 ligações de telemarketing em média todo mês

via Tecnoblog

Gmail ganha nova integração com serviços como Dropbox e Box

Criar uma mensagem no Gmail com um arquivo salvo em outra plataforma não é uma das tarefas mais rápidas. É preciso sair da tela do e-mail, ir até o outro serviço, selecionar o arquivo, voltar para o e-mail e, só então, colar o link.

O tempo desperdiçado é ainda maior quando essa ação é repetida várias vezes em um dia. Pensando em tornar esse processo um pouco mais ágil, o Google criou as Compose Actions, uma integração entre a janela para criar mensagens do Gmail e aplicativos de terceiros.

Google cria Compose Actions para integrar Gmail com serviços como Dropbox e Box

Com elas, é possível anexar mais rapidamente os arquivos salvos em plataformas de armazenamento na nuvem como Dropbox, Box e Egnyte. Basta instalar a extensão de um desses serviços para mostrar um novo ícone.

As extensões também permitem salvar nessas plataformas os arquivos que foram enviados para você pelo Gmail. As Compose Actions foram reveladas em julho deste ano durante a Google Cloud Next e já podem ser usadas.

Elas estão disponíveis para usuários do Gmail e do G Suite, na versão web e nos aplicativos. O Google afirma ainda que o recurso será expandido e que já há novas integrações a caminho.

Com informações: Google, The Verge.

Gmail ganha nova integração com serviços como Dropbox e Box

via Tecnoblog

Google explica para que serve chip Titan M do Pixel 3

O Google divulgou nesta quarta-feira (17) os detalhes do chip Titan M que está inserido como uma das novidades do Pixel 3, lançado neste mês. Com hardware focado em segurança, o gigante das buscas promete que este hardware faz parte da verificação de boot de todo o sistema.

Hardware separado apenas para segurança

 

Google Pixel 3

O objetivo deste componente do Pixel 3 é de verificar qual era a versão instalada do Android no dispositivo, com a intenção de impedir que algum código malicioso faça o sistema operacional móvel do Google voltar para firmware não seguro. Além disso, o chip armazena informações sobre a senha de bloqueio do aparelho e limita a quantidade de vezes que o usuário pode errar a chave de entrada.

O Google acredita que como este hardware está separado da memória interna e do processador, é muito mais complicado acessar as informações contidas lá dentro. O Titan M também é utilizado para autenticação de transações feitas pelo celular, como o Google Pay.

Por fim, é possível que aplicativos criados para o Android 9, ou superior, utilizem o framework StrrongBox para armazenar chaves de acesso no chip e, com isso, acabam oferecendo maior segurança para seus usuários.

Já existe solução parecida, só que menos robusta

A Qualcomm também criou uma área de segurança separada do processador quando lançou o Snapdragon 845 no ano passado, mas ainda dentro do silício que contempla a RAM, a placa gráfica e até mesmo o processador de imagens Spectra.

A diferença para a solução do Google é que este componente está muito mais distante de outros da mesma placa. Na foto acima do pessoal do iFixit, ele é o chip que está com marcação vermelha. O Snapdragon 845, que engloba todo o SoC, fica do outro lado da placa e mais para cima, próximo dos quadrados em verde claro.

Com informações: Google.

Google explica para que serve chip Titan M do Pixel 3

via Tecnoblog

O novo celular da Kyocera tem o tamanho de um cartão de visita

Já conhece a nova extensão do

Tecnoblog

?

Baixe Agora

Enquanto algumas empresas se esforçam para oferecer telas maiores em seus celulares, outras querem lançar aparelhos com o menor tamanho possível. É o caso da Kyocera, que apresenta seu KY-O1L como o “mais fino e mais leve celular do mundo”.

O aparelho possui 5,3 mm de espessura e pesa 47 gramas. A tela e-paper tem 2,8 polegadas e a bateria, 380 mAh. Ele não possui câmera e não permite baixar nenhum aplicativo, mas oferece um navegador para você acessar a internet pelo 4G.

Kyocera KY-O1LKyocera KY-O1L

O KY-O1L começará a ser vendido em novembro pela NTT Docomo, a maior operadora do Japão. Por lá, ele custará 32 mil ienes (cerca de R$ 1.060). Apesar do mote do celular mais fino do mundo, há controvérsias.

Em 2014, a Gionee lançou o Elife S5.1. Como o próprio nome dá a entender, o aparelho tem 5,1 mm de espessura. Há outros modelos ainda mais finos, como o Oppo R5s, que possui apenas 4,9 mm de espessura.

Apesar disso, o KY-O1L consegue ser mais fino que outros celulares realmente pequenos. O Unihertz Atom, por exemplo, é um smartphone em miniatura, mas tem 18 mm de espessura. O Zanco tiny T1, por sua vez, é do tamanho de duas moedas, mas tem 12 mm de espessura.

Veja o KY-O1L em ação:

VIDEO

Com informações: The Verge.

via Tecnoblog

Apple marca evento para outubro e deve anunciar novos iPads e Macs

Já conhece a nova extensão do

Tecnoblog

?

Baixe Agora

A Apple convidou a imprensa para um evento em 30 de outubro a ser realizado no Brooklyn, em Nova York. Ela deve lançar novos iPads e Macs, incluindo um iPad Pro com bordas mais finas e Face ID, um MacBook Air com tela Retina, um Mac Mini atualizado e novos AirPods.

Rumores dizem que o iPad Pro (2018) será vendido em 11 e 12,9 polegadas, ambos com display de ponta a ponta sem notch — e sem botão Home. As bordas serão mais finas, mas terão espaço para as câmeras do Face ID.

O tablet deve vir com um novo conector magnético na traseira, para o Smart Keyboard da Apple; e até mesmo com uma porta USB-C para transmitir vídeo 4K HDR a displays externos. Além disso, o Apple Pencil deve receber uma atualização, emparelhando-se por proximidade (a versão atual precisa ser encaixada na porta Lightning).

Por sua vez, o MacBook Air com tela Retina deve manter o mesmo visual dos modelos atuais, incluindo a tela de 13 polegadas. No entanto, ele teria bordas um pouco mais finas e um preço mais acessível que a linha MacBook Pro.

Acredita-se que o Mac Mini também ganhará uma nova versão, com destaque para o processador e armazenamento; ele não é atualizado há quatro anos. Podemos também ver AirPods que permitem dizer “e aí Siri” para ativar a assistente pessoal; os fones de ouvido viriam com o chip W2 do Apple Watch.

Por fim, esperamos mais detalhes sobre o Mac Pro. Ele foi reprojetado do zero, sem usar o design “lixeira preta” da versão atual; e contará com um design modular, capaz de suportar GPUs mais poderosas. A empresa avisou que ele só será lançado em 2019.

Como nota a CNET, a Apple não realiza eventos em outubro desde 2016. No entanto, ela manteve a tradição de anunciar novos celulares em setembro: vimos o iPhone XS, XS Max e XR, além da nova geração do Apple Watch, o Series 4.

iPad Pro 2018iPad Pro 2018

Novo iPad Pro poderá ter bordas mais finas e Face ID

Tecnocast 098 – Os novos iPhones XS Max Ultra Top Topzeira Topíssimo

A Apple apresentou a nova geração de iPhones e o novo Apple Watch Series 4. Nos smartphones, a principal novidade é o redesign – todos os aparelhos agora possuem a “cara” do iPhone X. Já o smartwatch ganhou uma tela maior, design mais fino e novos tamanhos.

Quer saber tudo o que muda com essa nova geração de aparelhos? Dá o play e vem com a gente.

via Tecnoblog

Essential demite um terço dos funcionários

Já conhece a nova extensão do

Tecnoblog

?

Baixe Agora

A startup Essential, criada pelo pai do Android, Andry Rubin e responsável pelo Essential Phone, demitiu 30% de seus funcionários. A empresa vem sofrendo com problemas desde a entrega das primeiras unidades do aparelho, até no desenvolvimento de sua segunda geração.

De acordo com a imprensa americana, os cortes foram no pessoal de hardware, marketing e algumas partes de vendas. O momento ruim vem desde problemas na entrega dos aparelhos vendidos, bugs no sistema operacional e certo tempo depois do cancelamento do desenvolvimento de um concorrente para o Google Home, mas que não afetou os planos sobre a segunda geração do Essential Phone, que será focada em inteligência artificial de forma ainda mais profunda.

“Essa tem sido uma decisão difícil de tomar. Lamentamos o impacto nos nossos colegas que estão saindo da empresa e nós estamos fazendo todo o possível para ajudá-los com suas futuras carreiras”, disse a empresa em comunicado ao Bloomberg. “Estamos confiantes de que o foco do nosso trabalho será de entregar um produto realmente revolucionário para os consumidores”, completa.

O site da empresa lista 120 funcionários presentes, sem nenhuma alteração depois das demissões. Há investimento de US$ 300 milhões (aproximadamente R$ 1,1 bilhão) na startup californiana, com um terço deste valor utilizado para o desenvolvimento do Essential Phone no ano passado.

Com informações: Bloomberg.

via Tecnoblog

Spotify Premium ganha redesign e busca de músicas mais rápida

Já conhece a nova extensão do

Tecnoblog

?

Baixe Agora

Depois de repaginar a modalidade gratuita, chegou a vez do Spotify Premium receber novidades. Em um anúncio feito nesta quinta-feira (18), o Spotify revelou que os usuários pagantes terão um aplicativo com interface renovada e funções extras, entre elas, o modo Endless Artist Radio, que gera uma playlist “infinita” baseada em um artista.

Novo Spotify PremiumNovo Spotify Premium

O novo visual já era esperado. Ele vinha sendo testado pelo menos desde o início do ano. O objetivo é deixar o aplicativo mais intuitivo e organizado. Para tanto, a interface foi dividida em três guias principais (em vez das cinco que vinham sendo usadas até então): Início (Home), Buscar (Search) e Sua Biblioteca (Your Library).

A guia Início traz todas as principais recomendações para o usuário, enquanto a aba Buscar permite que o usuário encontre determinada música, artista ou álbum, obviamente. A novidade aqui é que a busca está mais precisa, sendo capaz de mostrar resultados mais rapidamente com base nos gostos do usuário e de exibir recomendações personalizadas.

Por sua vez, a guia Sua Biblioteca continua reunindo playlists próprias, músicas favoritas, podcasts, artistas tocados recentemente e assim por diante.

VIDEO

Mas a grande atração é a função Endless Artist Radio. Ela não chega a ser totalmente nova, porém. Trata-se de uma implementação incrementada do modo Rádio atual — agora movido para a guia Buscar. Tendo como base os algoritmos que geram as playlists personalizadas Daily Mix e Descobertas da Semana, a “novidade” cria uma lista condizente com os gostos do usuário usando como ponto de partida uma música ou artista específico.

Funciona assim: simplesmente procure um artista ou música específica e selecione a opção Rádio do Artista (Artist Radio). Na sequência, o Spotify abrirá uma seleção interminável de músicas relacionadas, mas que leva em conta não só a faixa ou o artista pesquisado, mas também as preferências do usuário. Essas playlists serão atualizadas regularmente e poderão ser baixadas para reprodução offline.

As novidades estão sendo liberadas a partir de hoje para todos os assinantes Premium, tanto no iOS quanto no Android. É uma transição progressiva, portanto, se você ainda não recebeu o novo aplicativo, precisa apenas esperar.

via Tecnoblog

Spotify lança novo aplicativo para Wear OS

Já conhece a nova extensão do

Tecnoblog

?

Baixe Agora

O Spotify anunciou nesta quarta-feira (17) a chegada de um novo aplicativo que roda em smartwatches que adotam o sistema operacional Wear OS, ex-Android Wear. Em sua nova versão, o programa permite melhor controle da reprodução de música e até mesmo a escolha de playlists direto da tela do relógio.

O Spotify estava devendo um app decente para Wear OS faz tempo, já que a única opção oficial era capada de vários recursos. A empresa escutou os usuários e recriou o app, que até permite o controle de onde a canção é reproduzida, pelo Spotify Connect.

A interface permanece bastante minimalista e apresenta agora a opção de adicionar uma música dentro da coleção particular, com o ícone de coração que fica no canto inferior esquerdo da tela – o mesmo vale para a reprodução de podcasts, que também é aceita pelo aplicativo para smartwatch.

Estes recursos são muito semelhantes ao que a Samsung oferece em seus relógios que rodam Tizen, com a diferença de que apenas no app para os aparelhos Gear, ou Galaxy Watch, existe a possibilidade de armazenar músicas offline para escutar direto do aparelho em um fone de ouvido bluetooth.

Parceria para app pré-instalado

Por fim, o Spotify firmou parceria com a Fossil e embarca o novo app em todos os modelos da quarta geração de smartwatches da marca, além dos modelos assinados por Michael Kors.

Com informações: Spotify.

via Tecnoblog

A sala de guerra do Facebook para as eleições dos EUA e do Brasil

Já conhece a nova extensão do

Tecnoblog

?

Baixe Agora

A interferência estrangeira e o alcance das notícias falsas na internet na eleição presidencial americana em 2016 fizeram o Facebook se tornar mais ativo neste ano. Com as eleições legislativas nos Estados Unidos e o segundo turno no Brasil, a empresa abriu o que chamou de “sala de guerra”.

Trata-se de uma sala de conferência na sua sede em Menlo Park, na Califórnia, voltada para investigar usos inadequados da rede social com fins políticos. Aberto em setembro deste ano, o espaço é ocupado por dezenas de funcionários que acompanham a atividade no Facebook a partir de diversas telas.

Sala de Guerra do FacebookSala de Guerra do Facebook

Segundo o Facebook, a sala de guerra é importante porque reúne funcionários de setores diferentes e permite que as decisões sejam tomadas com mais agilidade. Com o espaço, a expectativa é impedir que ações irregulares influenciem no resultado de uma eleição.

Para isso, a equipe do Facebook analisa variações suspeitas dos níveis de spam e de discurso de ódio com a ajuda de um software próprio. A ferramenta é capaz de analisar se há muitas publicações recentes tentando mudar o compartamento dos eleitores.

Um dos casos descobertos recentemente diz respeito à eleição brasileira. A fraude dizia que o dia da votação havia sido alterado por conta de protestos. Com a ajuda deste software, as publicações com esse teor foram rapidamente identificadas e removidas pelo Facebook.

A plataforma ainda utiliza o CrowdTangle, outra ferramenta própria que monitora a disseminação de conteúdos no Facebook, no Instagram, no Twitter e no Reddit.

A análise é feita em conjunto por equipes de inteligência contra ameaças, ciência de dados, engenharia, pesquisa, operações, comunicações, além do setor jurídico da empresa e de integrantes do WhatsApp e do Instagram.

Quando alguém identifica algo suspeito, os cientistas de dados do Facebook são alertados. Eles, então, podem investigar o caso e repassá-lo para a equipe de operações, que poderá tomar as ações necessárias, como a exclusão do conteúdo.

Em uma das telas, ainda há uma transmissão de vídeo em uma sala semelhante no escritório do Facebook no Brasil. O objetivo é permitir que as equipes dos dois países troquem informações de forma instantânea.

O Facebook afirma que este trabalho ocorre desde 2016, mas agora a operação está centralizada em um espaço. A empresa não garante que a sala de guerra será usada constantemente, mas com eleições importantes ocorrendo todos os anos, a tendência é que ela continue na ativa por bastante tempo.

Com informações: The Verge, Mashable, TechCrunch.

via Tecnoblog

Mark Zuckerberg é pressionado a deixar conselho administrativo do Facebook

Já conhece a nova extensão do

Tecnoblog

?

Baixe Agora

É possível retirar Mark Zuckerberg do conselho de administração do Facebook? Alguns investidores estão tentando fazer isso desde março, após o escândalo Cambridge Analytica. Agora, acionistas notáveis propõem substituir Zuck por um conselheiro independente. É um ato simbólico, porque o CEO possui controle “semelhante a uma ditadura” na empresa.

Mark ZuckerbergMark Zuckerberg

A proposta de retirar Zuckerberg foi feita pelos fundos de pensão da cidade de Nova York, que detêm quase US$ 1 bilhão em ações da empresa; pelo tesouro público dos estados americanos de Rhode Island, Illinois e Pensilvânia; e pela assessoria de investimento Trillium Asset Management.

“O Facebook desempenha um papel desproporcional em nossa sociedade e economia”, escreve Scott Stringer, auditor dos fundos de pensão de NY, em comunicado. “Eles têm uma responsabilidade social e financeira em serem transparentes. Por isso, exigimos independência e responsabilidade na diretoria.”

A sugestão de trocar Zuckerberg por um conselheiro independente será votada no ano que vem, na reunião de acionistas do Facebook. A chance de ser aprovada é pequena: segundo o Washington Post, apenas 5% das propostas de retirar CEOs do conselho administrativo foram aprovadas nos últimos dez anos.

Mark Zuckerberg tem controle “semelhante a ditadura”

Além disso, Zuckerberg exerce um enorme controle no Facebook devido à estrutura acionária. Cada ação Classe A conta como um voto nas reuniões de acionistas; enquanto isso, cada ação Classe B garante 10 votos. Zuck e algumas poucas pessoas são donos das ações Classe B; por isso, eles detêm 70% dos votos. Ou seja, nenhuma mudança será aprovada se o CEO não deixar.

Este ano, o CalSTRS (Sistema de Aposentadoria dos Professores do Estado da Califórnia) criticou a estrutura acionária do Facebook. “Por que Zuckerberg precisa de uma estrutura de classe dupla? É porque ele não quer que a governança evolua com o resto de sua empresa? Se assim for, este sonho americano é agora semelhante a uma ditadura.” O fundo detém US$ 650 milhões em ações da empresa.

O Facebook responde que essa estrutura “contribui para a nossa estabilidade e isola o nosso conselho de administração e gestão de pressões de curto prazo, o que lhes permite concentrar na nossa missão e sucesso a longo prazo”.

Com informações: TechCrunch.

via Tecnoblog