Netflix: confira os lançamentos da semana (16/06 a 22/06)

Lan?amento Netflix El Chapo

Todos os dias, a fiel companheira dos amantes de filmes e séries atualiza seu catálogo com novidades. Durante a semana, a Netflix disponibilizou títulos como "El Chapo", "Bad Guys", "Bokeh", "iZombie" e mais um episódio da nova temporada de "Orphan Black". Já sabe quais assistirá durante o fim de semana? Confira todos os detalhes para fazer as melhores escolhas!

16/06

17/06

18/06

19/06

20/06 

21/06

22/06

Fora de catálogo

Os seguintes títulos saíram do catálogo da Netflix durante a semana:

  • Akira (1988)
  • A Vítima Perfeita (1998)
  • Encarcerado (2013)
  • Floresta Maldita (2016)

via Canaltech

“Rogue One: Uma História Star Wars” chega à Netflix em julho

Rogue One - Uma Hist?ria Star Wars

A Netflix continua firme em seus propósitos de ser a plataforma que concentra todas as produções da série Star Wars, e agora anunciou o lançamento de Rogue One para o mês de julho. O mais recente filme da franquia, lançado no último mês de dezembro, chega em dia ainda não revelado, mas, por enquanto, seu lançamento foi confirmado apenas para os Estados Unidos.

Rogue One: Uma História Star Wars se passa entre os episódios III e IV da série principal de filmes. No longa, seguimos o grupo de Rebeldes responsável por roubar os planos da Estrela da Morte, uma das maiores armas do Império Galáctico, e entregá-lo de volta às mãos dos heróis. O incidente foi fundamental para a primeira vitória dos mocinhos, ao final de Uma Nova Esperança.

A produção também foi a primeira a contar uma história paralela à dos filmes e sem seus principais personagens. Ela faz parte de um plano da Disney de lançar filmes de Star Wars todos os finais do ano, alternando entre episódios da saga principal e spin-offs. Filmes focados em personagens como Han Solo e Boba Fett também fazem parte dessa empreitada.

Também é parte desse foco de popularização e continuidade da franquia a chegada dos filmes à Netflix, como parte de um acordo assinado em 2012. A empresa, desde então, conta com os longas principais e também seriados, como Clone Wars, entregando aos fãs todo o conteúdo canônico disponível em audiovisual.

Como parte do acordo, a Netflix tem acesso aos longas no mesmo momento em que redes de TV a cabo dos EUA podem negociar para transmiti-lo a seus assinantes. Entretanto, por enquanto o lançamento de Rogue One foi confirmado apenas para os Estados Unidos e a empresa não respondeu aos contatos do Canaltech sobre uma previsão de chegada ao Brasil.

Fonte: The Verge

via Canaltech

Julho na Netflix: séries originais, Jurassic World, Outlander, e muito mais

A Netflix Brasil revelou alguns destaques de sua programação de julho para os assinantes do serviço de streaming.

A companhia agendou novas séries originais que têm tudo para conquistar os mais variados gostos: a animação Castlevania, baseada no game homônimo; a comédia Friends From College, com um grande elenco de feras do humor; e o suspense Ozark, que promete uma ambientação de mistério e tensão.

Além desses programas originais, a Netflix disponibiliza também novas temporadas de Bates MotelOutlander Shooter.

Entre os filmes estreando na plataforma, o grande destaque é Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros, superprodução de 2015 estrelada por Chris Pratt e que revitalizou a franquia dos dinossauros.

Outros longas chegando ao streaming são: MalévolaInvasão ZumbiO Ano Mais Violento, Fome de Poder O Discurso do Rei.

VIDEO

Confira abaixo os destaques de julho na Netflix Brasil:

Séries Originais Netflix

Baseada no game de mesmo nome, esta nova produção original da Netflix mostra a luta do último sobrevivente de um clã sem sorte, com o objetivo de salvar a Europa das mãos do Conde Drácula. A primeira temporada estreia no dia 7 de julho.

Na quarta temporada desta série original da Netflix, que estreia no dia 7 de julho, Grace encontra o amor, Yael enfrenta uma crise de identidade, Frankie se envolve numa relação pouco convencional e Saad luta para que seus colegas possam compreendê-lo.

Nesta nova comédia original da Netflix, um grupo de amigos que se conheceu em Harvard enfrenta a chegada dos quarenta anos, experimentando o sucesso – ou o fracasso. A primeira temporada estará disponível a partir do dia 14 de julho.

Nesta nova série original Netflix, um consultor financeiro precisa se mudar com sua família para Ozark, quando seus negócios com um cartel de drogas vão mal. . A primeira temporada, que terá 10 episódios, é protagonizada por Jason Bateman e Laura Linney e estreia no dia 21 de julho.

Novas Séries e Temporadas

  • Bates Motel: 4ª temporada

No dia 1 de julho estreia na Netflix a quarta temporada de Bates Motel, que continuará narrando a saga da juventude de Norman Bates. A nova temporada revelará detalhes bizarros sobre a relação mantida entre Norman e sua mãe, além dos traumas que irão levá-lo a se transformar em um psicótico assassino.

  • One Punch Man: 1ª temporada

Na primeira temporada desta série de anime, Saitama possui uma força tão brutal que nada cruza o seu caminho, mas por outro lado, não tem o respeito de ninguém. Ao unir-se à Associação de Heróis, os resultados que ele consegue são díspares. A estreia será no dia 1 de julho na Netflix.

No dia 15 de julho estreia a segunda temporada desta série, na qual Claire e Jamie enfrentam novos perigos e prazeres. Dessa vez, eles estarão imersos na vida da corte francesa para tentar mudar a história.

Uma nova batalha acaba de começar para Bob Lee Swagger (Ryan Phillippe), que está mais uma vez envolvido em um plano perigoso. A segunda temporada dessa série original Netflix estreará, com um novo episódio toda semana, a partir do dia 19 de julho.

Filmes

Virando a clássica história da Bela Adormecida de cabeça para baixo, este drama de fantasia volta a contar a história, desta vez a partir do ponto de vista da malvada fada Malévola (Angelina Jolie). Enquanto ela defende sua pátria dos invasores, a jovem Malévola recebe um duro golpe do destino. Estreia na Netflix no dia 1 de julho.

Train to Busan, que estreia na Netflix no dia 1º de julho, é um thriller sobre zumbis que perseguem um apavorado grupo de passageiros em uma luta contra um surto viral que afetou o país inteiro. Tudo isso enquanto eles estavam presos, cheios de dúvidas e sangue, em um trem bala que vai para Busan, uma cidade turística que conseguiu conter os bandos de zumbis… ou pelo menos isso é o que todos esperam.

  • Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água

O pânico se apodera de Fenda do Biquíni, quando um pirata rouba a receita secreta do Hambúrguer de Siri. Bob Esponja e seus amigos saem em uma missão para recuperá-la. Disponível na Netflix a partir do dia 1 de julho.

Contada a partir de duas perspectivas, e em dois capítulos independentes, este fascinante drama descreve a ruptura entre Eleanor (Jessica Chastain) e Conor (James McAvoy), que começam a separar seus caminhos após um trágico evento. Disponível na Netflix a partir do dia 1º de julho.

Dois garotos que vivem em um lixão, e sempre buscam algo valioso entre os restos despejados no local, encontram uma carteira com uma boa quantia em dinheiro. No entanto, logo surge um policial procurando a tal carteira. Os garotos não revelam que a encontraram e pedem ajuda a outro morador do lixão, para descobrirem o que ela tem de tão importante. Estrelado por Wagner Moura, Selton Mello e os talentos internacionais Martin Sheen e Rooney Mara. Disponível na Netflix a partir do dia 8 de julho.

  • Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros

O parque temático Mundo Jurássico permite aos seus visitantes viver a experiência de ver dinossauros de verdade; porém, algo feroz se esconde por trás das suas atrações: um dinossauro geneticamente modificado com capacidades incríveis. Quando a grande criatura escapa, o caos se apodera da ilha. E agora Owen (Chris Pratt) e Claire (Bryce Dallas Howard) têm a responsabilidade de salvar os turistas do parque de um ataque pré-histórico. Estreia na Netflix no dia 9 de julho.

Michael Keaton interpreta um esforçado vendedor que cria um sistema de franquia de um restaurante de comida rápida e ajuda sua expansão através dos Estados Unidos, mantendo o dinheiro e o crédito por isso. A história do fundador do McDonald’s, Ray Kroc, estreia no dia 11 de julho na Netflix.

No dia 14 de julho estará disponível este filme original da Netflix, no qual uma jovem anoréxica embarca em uma viagem de autodescobrimento, após entrar em uma casa de recuperação. Estrelado por Lilly Collins e Keanu Reeves.

Neste drama biográfico que estreia no dia 22 de julho na Netflix, e que ganhou vários prêmios Oscar, o rei da Grã-Bretanha Jorge VI (Colin Firth) luta contra sua vergonhosa gagueira, com a ajuda do pouco ortodoxo terapeuta australiano, Lional Logue (Geoffrey Rush).

  • The Incredible Jessica James

Neste filme original Netflix, que estreou no Festival de Sundance deste ano, uma dramaturga nova-iorquina entristecida pelo fim de um relacionamento ruim, cria uma estranha conexão com um designer divorciado, que ela conhece em um encontro às escuras. A estreia será no dia 28 de julho.

O drama estrelado por Oscar Isaac conta a história de Abel Morales, que tenta evitar o caminho fácil da corrupção enquanto persegue o sonho americano em meio a uma guerra comercial cada vez mais violenta em 1981, na cidade de Nova York. Disponível na Netflix no dia 28 de julho.

Via Minha Série

via Novidades do TecMundo

Em breve, Netflix vai sugerir a você o que assistir através de ‘comerciais’

Você já se perguntou se anda passando tempo demais no Netflix? Pois o próprio serviço acha que não, e está testando com alguns de seus usuários uma nova maneira de deixar seu público com ainda mais vontade de assistir e conhecer novas séries, filmes e documentários.

Como eles pretendem fazer isso? Simples: trazendo vídeos de 30 a 60 segundos com prévias de seus programas, que podem, só em alguns casos, serem pulados ou avançados. Resumindo, pode pensar em algo como um sistema de comerciais que passa sempre que você tenta abrir um novo episódio de uma série.

Acima, um exemplo de como as prévias são exibidas para alguns assinantes

Apesar de tudo, a ideia, em teoria, é bastante interessante. Isso porque, no lugar de sugerir qualquer tipo de conteúdo, essa tecnologia, segundo o site Mashable, usa um algoritmo para saber o que você gostaria de assistir depois de ver uma série ou filme. Com isso, a Netflix espera ajudar o público a perder ainda menos tempo procurando novidades para conferir – algo que ela já vem fazendo com adições como suas prévias mostradas no catálogo.

Uma mudança que vem para bem ou para mal?

Na prática, por sua vez? Bem… Digamos que eles ainda têm um longo caminho para conseguir convencer o público. No Reddit, por exemplo, não faltam pessoas reclamando da mudança, não apenas pelo fato de ser tratada como uma irritante propaganda que não pode ser evitada, como também pela baixíssima precisão da Netflix em recomendar conteúdos de interesse para seus assinantes.

Se nós não testarmos, nós não aprendemos e nós nunca ficamos melhores. E quem quer isso?

Em resposta a isso, um representante do serviço explicou que tudo isso é apenas mais uma maneira que eles ainda estão experimentando de trazer vídeos com recomendações personalizadas e que seu objetivo, no fim das contas, ainda é ajudar seus assinantes a perderem menos tempo procurando conteúdo. “Se nós não testarmos, nós não aprendemos e nós nunca ficamos melhores. E quem quer isso?” afirmou o porta-voz.

Vale lembrar, por fim, que essa tecnologia ainda deve passar por algumas mudanças até chegar a nós em sua versão final. Mesmo assim, fica difícil se animar com uma novidade que tira justamente nossa liberdade de assistir o que queremos sem demora – exatamente o que tantos mais adoram no serviço.

via Novidades do TecMundo

Snapcine vai ser o Netflix brasileiro, com filmes e séries nacionais

O usuário vai fazer ‘locações’ virtuais, ou seja, vai pagar um valor para ter acesso a um filme ou série por tempo determinado

Vem aí uma nova plataforma de streaming de filmes e séries, mas dessa vez com um conteúdo mais específico – o Snapcine vai transmitir apenas filmes e seriados nacionais. O modelo é um pouquinho diferente do Netflix: em vez de cobrar uma mensalidade para usar a plataforma à vontade, o usuário vai fazer “locações” virtuais, ou seja, vai pagar um valor para ter acesso a um filme ou série por tempo determinado.

O serviço vai estar disponível diretamente no site, por meio de um aplicativo para sistema Android e que vai poder ser baixado na Google Play Store, pelo Chromecast e, em um futuro próximo, nas principais smartTVs do mercado.

Estreia em breve

A plataforma deve entrar no ar a partir do dia 15 de julho e você pode cadastrar seu email através deste link para receber um informativo sobre as novidades e as estreias do Snapcine. É possível também, no próprio site, indicar filmes e séries que você gostaria de ver na plataforma. A boa notícia é que o serviço garante que metade do valor pago pela locação do vídeo vai para quem o produziu.

Será que o Snapcine vai dar certo, veiculando o melhor da produção nacional de cinema? Deixe sua opinião nos comentários.

via Novidades do TecMundo

Netflix lança formato que permite escolher o final que você quer assistir

Opção interativa terá como foco conteúdo para crianças. "Gato de botas" é o primeiro título lançado globalmente nesta terça-feira

via IDG Now!

Netflix lança conteúdo interativo para que espectadores escolham suas histórias

Assistindo Netflix

Você já sentiu vontade de escolher outras opções de final para um filme ou série? Pois saiba que a partir desta terça-feira (20) isso será possível na Netflix. De acordo com as informações, a estreia mundial do recurso terá como foco as crianças, que poderão mudar o rumo da história da animação "Puss in Book: Trapped in an Epic Tale".

Batizado como narrativa "branching", a ideia do novo formato é permitir maior interatividade entre o conteúdo e o espectador, que pode criar diferentes versões para um mesmo episódio. "O número de direções diferentes que podem surgir é provavelmente em milhares", explicou Carla Fischer, diretora de inovação de produtos da Netflix.

Ao assistir, os espectadores terão acesso, na própria tela, a duas possíveis continuações da cena que se desenrola. Diante disso, bastará fazer uma escolha para influenciar o rumo da trama. Inicialmente os conteúdos disponibilizados serão infantis por conta da tendência das crianças de interagir com personagens. Apesar disso, é provável que o público adulto também seja contemplado com a novidade em um futuro próximo. "As crianças são um lugar natural para começar, pois elas são loucas para interagir com seus personagens favoritos e já estão naturalmente envolvidas com as telas. A intenção é aprender e ver o que os nossos usuários gostam e como estão interagindo", declarou a companhia.

Por enquanto, a ferramenta funcionará apenas em smartTVs e em dispositivos iOS, mas a expectativa é de que a novidade seja expandida para Android, Apple TV e Chromecast em breve.

Via Mashable

via Canaltech

Netflix está contratando especialista em impostos para trabalhar no Brasil

Netflix Brasil

Tem vaga nova para quem deseja trabalhar na Netflix, mas o motivo não é o melhor para os consumidores. A empresa está em busca de um Especialista em Impostos Sênior para fazer parte da sua equipe no Brasil.

O profissional vai trabalhar no escritório da Netflix que fica localizado em São Paulo e será responsável pela Gerência Financeira da América Latina. Ele trabalhará em estreita cooperação com as equipes de relatórios fiscais e financeiros nos Estados Unidos e Holanda.

De acordo com a descrição da vaga, o contratado será responsável por ajudar no gerenciamento de declarações fiscais diretas e indiretas, questões fiscais rotineiras, bem como lidar com a "legislação fiscal que está em constante mudança no Brasil".

A vaga de emprego surgiu após o governo do presidente Michel Temer ter sancionado uma lei complementar no apagar das luzes de 2016. A medida está relacionada às regras de cobrança do Imposto sobre Serviços (ISS), que agora incidirá também sobre empresas que transmitem conteúdo via internet para assinantes, como Spotify e Netflix.

Os interessados em se candidatar para a vaga de Especialista em Impostos Sênior na companhia de streaming devem ter bacharel em Direito Fiscal, Contabilidade ou similar, com especialização em Impostos Indiretos. Além disso, é preciso ter mais de cinco anos de experiência na área e inglês fluente.

Fonte: Netflix

via Canaltech

As novidades da semana na Netflix (06/01/2017)

Confira todas as novidades que podemos aproveitar neste final de semana

É difícil achar alguém que não ame a Netflix e as inúmeras opções disponíveis em seu catálogo. Por isso, sempre que uma lista de novidades aparece no serviço, muitos consumidores ficam ansiosos para saber o que vem por aí. Neste começo de janeiro, os servidores da Netflix estão sendo atualizados com alguns títulos bem legais e que podem ser ótimas opções para o final de semana.

Entre os destaques da semana, podemos citar a chegada da série original "Um Dia de Cada Vez". Outra grande novidade é a chegada de vários clássicos, como "Batman & Robin" e "Batman: o Retorno". Veja abaixo trailers de alguns destaques e depois confira a lista completa de novos conteúdos.

Leia mais…

via Novidades do TecMundo

Netflix ou Amazon Prime Video: qual é melhor? [Comparativo]

Netflix vs Amazon

A Netflix se tornou onipresente em nosso dia a dia. Mesmo quem não dispõe de um meio eficaz de curtir a plataforma já teve algum contato com ela, seja pelos consoles, PCs ou smartphones. Porém chega mais um rival em solo brasileiro para a disputa, e ele é o Amazon Prime Video. Confira nosso comparativo de plataformas de streaming de vídeo.

Quem são eles?

Você não tem obrigação de saber tudo sobre os dois serviços, portanto vamos introduzir os dois.

Começando pela Netflix, temos uma empresa focada em distribuição de filmes e séries. Ela começou suas operações nos estados unidos via correio bons anos atrás, e hoje é um ícone mundial de distribuição de streaming on-demand, possuindo atuação em mais de 190 países. Hoje a Netflix também faz o papel de estúdio e traz diversas produções originais e incentiva inúmeras produções, algo como "o rumo para ser de fato um Canal de TV online", e não só um repositório de filmes.

Agora, para o Amazon Prime Video. Temos aqui uma companhia gigantesca, enorme, mas que para nós no Brasil não possui o mesmo peso em nome como tem nos Estados Unidos. A Amazon é forte líder em e-commerce e computação em nuvem, oferecendo serviços de comodidade de consumo avançados aos norte-americanos, como seus botões de compra instantânea, Amazon Prime, Prime Air (ainda em testes), a assistente Alexa e outros serviços de armazenagem e facilidades.

No Brasil, a empresa atua com bem menos força, mas trouxe de forma oficial seus mundialmente reconhecidos Kindle, junto com sua conhecida expertise em "livraria", um dos poucos itens que podiam ser comprados para nós na loja internacional antes de sua abertura em solo brasileiro.

Bom, essa complexa mistura é a Amazon, uma rede de venda/logística/TI que pretende dominar o mundo (como o Google), e que oferece também o serviço de vídeo nessa extensa lista de atuações. Esse braço é o Amazon Prime Video, serviço que está abrigado numa conta Amazon. Como o Google, uma conta Amazon abre acesso a tudo que a Amazon oferece, dependendo da região registrada.

Catálogo e travas regionais

Primeiro ponto desse comparativo: Restrições regionais. Todos sabemos que algumas empresas não merecem nosso respeito (alô, Nintendo) por simplesmente deixarem o Brasil e a América do Sul como um todo de fora dos lançamentos e títulos por preguiça/falta de vontade em licenciar conteúdo, ou mesmo arcar com o custo de legendas no títulos. Nem parece que os consumidores pagam para isso acontecer, e fica aquela ideia de que "é um favor" trazer as coisas para cá.

Nesse balde de amargura, temos a Netflix. No início de suas operações, a Netflix era um poço nojento de barreiras e travas regionais para o Brasil, deixando praticamente todo o conteúdo restrito aos usuários norte-americanos, restando para nós títulos pouco conhecidos e mofados que foram lançados apenas para locadoras. Com o passar do tempo, a empresa entendeu como operar por aqui, e veiculou nas TVs nacionais um anúncio absurdo com um castor de pelúcia (sério, isso realmente aconteceu).

Desse momento em diante, a quantidade de títulos no serviço só passou a aumentar, e grande parte dos títulos está disponível para o Brasil, com inúmeros lançamentos simultâneos legendados (e alguns dublados) para nosso país. Claro, existe conteúdo regional para os norte-americanos, porém longe da barreira que isso foi no passado, tendo nosso catálogo hoje grandes títulos de alta qualidade e em alta quantidade. Aquela época onde o Netflix não tinha nenhum filme do ano corrente passou.

Agora, Amazon Prime Video: estreante. Isso resume tudo para vocês?

O Prime Video traz sim séries famosas e filmes relativamente novos, porém não com foco em brasileiros. O serviço abre as portas para nossa conexão, mas não quer dizer que ele se firmou de fato no país com todas as implicações relativas a isso.

Para ter acesso ao catálogo completo (ou pelo menos num nível comparável a quantidade e qualidade dos títulos da Netflix), é preciso abrir mão de VPNs, redirecionamento de conexão para IPs dos EUA, e curtir os títulos em inglês de lá.

Quer um exemplo mais claro? Basta pesquisar pelo nosso amado Nicolas Cage no serviço para ter dimensão do que o Brasil tem de restrição a ponto de abominar o catálogo neste primeiro momento. Nosso ator favorito tem no catálogo do Amazon Prime exatas 3 correspondências à pesquisa, sendo que 1 dos resultados é apenas uma referência, não uma participação de fato. Quanto à Netflix, podemos ver Nicolas Cage em 13 resultados, sendo 1 destes Os Croods, relacionado a dublagem original da animação com o ator. Seria algo como "2 contra 12" na contagem, portanto.

Logicamente você achará coisas no Prime que não estão na Netflix, e vice-versa. Tente procurar Mr. Robot na Netflix: nada. Está no Prime. Tente procurar Black Mirror no Prime: nada. Está na Netflix.

Justamente por causa dessa "guerrinha" que sempre recomendamos que você avalie pela gama de títulos, não só pelas "exclusividades" e afins. Faça o teste Nicolas Cage. Johnny Depp, talvez.

Plataformas suportadas

Ambos serviços cobrem iOS e Android, e ambos permitem o armazenamento offline de alguns títulos para ver mais tarde no ônibus. Até aí, tudo bem.

O problema é que a Amazon quer devorar o Google, e usa o termo "Fire" para sua inciativa, e o "Fire TV" seria seu "Chromecast", portanto nada de Amazon Prime Video no Chromecast por hora. Isso se aplica ao Android TV (vulgo Nexus Player e TVs Android). Sinceramente esperamos que em 2017 a Amazon deixe de ser idiota, e libere seu serviço para o dongle de Streaming mais famoso da internet.

A Netflix, no entanto, roda em tudo que citamos acima, inclusive no Fire TV. Sim, um dos poucos dispositivos que faz essa joça (quer dizer, serviço) da Amazon fazer sentido é também um método de consumir Netflix. Consoles de videogame como PS4 e Xbox One podem baixar o APP de ambos os serviços, como esperado. Navegadores de internet também podem fazer uso de ambos pela aba que você estiver usando.

Até aqui temos a Netflix na frente, afinal está espalhado pelo mundo há mais tempo – e isso reflete consequências em inúmeras coisas, inclusive nas Smart TVs que não contam com muitos recursos, mas trazem botão dedicado à Netflix direto no controle ou mesmo trazem ele pré-instalado. Essa adoção em massa que o recurso oferece (e o suporte ao barato-acessível-funcional Chromecast) não deixa dúvidas da presença do serviço em uma maior gama de plataformas.

Isso inclui até a Apple TV. Netflix está lá, Amazon Prime Video: não.

Preço e pagamento

Estreantes pagam a conta, e nesse caso o Prime Video já chega com 50% de desconto na assinatura nos seis primeiros meses. Porém com preço em dólar, algo que pode ser um fator limitador para seu cartão.

Preço: US$ 2,99 nos primeiros seis meses (depois disso são US$ 5,99). Algo como comparar R$ 10 e 20, respectivamente, pela cotação média do dólar na data de publicação deste vídeo.

Esse plano (promocionalmente mais barato) contempla 3 sessões ativas por vez + resolução máxima 4K (ou seja: você e o vizinho na mesma conta ao mesmo tempo em locais diferentes, mais o irmão dele, vendo ao mesmo tempo com um único login e uma única mensalidade, como a Netflix já faz hoje).  Pagamento: cartão de crédito (com custo cobrado em dólar).

Já para a Netflix e sua completa fixação no Brasil, temos como reflexo preços similares, porém em categorias. Observem os preços:

  • 1 sessão ativa por vez + resolução máxima padrão: R$ 19,90
  • 2 sessões ativas por vez + resolução máxima HD: R$ 22,90
    (ou seja: você e o vizinho na mesma conta ao mesmo tempo)
  • 4 sessões ativas por vez + resolução 4K: R$ 29,90
    (ou seja: você, o vizinho, o irmão dele e o seu padeiro na mesma conta ao mesmo tempo)

Nesse primeiro momento, o Prime (mesmo com o preço cheio) é uma opção um pouco mais barata, mas num desconto tímido (e que dificilmente vá arrancar usuários de um serviço para o outro após os seis meses de super-desconto).

Quem ganha?

Por hora, a Netflix. Dizemos isso pois o serviço também chegou porco ao Brasil anos atrás, e ninguém gostava dele de fato. Era uma locadora de filmes velhos, e era piada dizer que se era um filme antigo, deveria estar na Netflix. Hoje ele é o centro da vida de muitas pessoas (e não estamos brincando, existem quadros extremos de vício e dependência da Netflix em usuários extremos).

O preço do Netflix é imperceptivelmente maior que o Prime Video, ao passo que o catálogo do Netflix é imenso se comparador ao tímido Prime. Nesses primeiros seis meses de desconto, pode ser que uma gama dos usuários experimente o Prime com suas limitações de plataformas onde pode ser consumido, e pode ser que muitos gostem e experimentem melhoras.

Vale lembrar que o Netflix offline só existe graças ao Prime, visto sua concorrência sobre o Netflix (que voltou atrás da promessa de NUNCA trazer NADA offline). Concorrência é uma maravilha, já dizia um sábio de nossos tempos.

Por hora, novamente, Netflix é o vencedor com fatality nessa disputa. Os próximos seis meses poderão fazer o Prime se consolidar no país, mas isso depende somente da Amazon para sair dessa estreia tímida e fraca no nosso país.

via Canaltech